O Anel da Escuridão Retorna

por - 11:45

“Ash nazg durbabatuluk agh burzum ishi krimpatul”. E quem diria que o bom e velho Burzum voltaria com tudo. Depois da prisão de Varg Vikernes, as gravações de Belus foram interrompidas e só retomadas dez anos depois (vale lembrar que Varg foi preso por matar a facadas o parceiro baixista Euronymous, por divergências ideológicas, e está sob liberdade condicional). O álbum faz referência a deidade nórdica Belus e o disco conta a história de sua morte e seu retorno, fazendo um pequeno resgate da cultura nórdica que cada vez mais tem se difundido.

Consigo dizer com segurança que mesmo com o passar do tempo, a sonoridade é a mesma de dez anos depois. A idéia do ambient black metal ainda é muito presente, o que torna o som ainda mais atmosférico. O disco possui faixas que se completam como uma só. É como se fosse necessário ouvir cada uma delas para entender a outra. Se tratando de técnica, Belus faz lembrar muito “Filosofem” pelo som atmosférico e pelas repetições de riffs usadas como ferramenta para introspecção e reflexão profunda do ouvinte, segundo o próprio Varg.

O disco saiu no dia 8 de março, mas só chegou em minhas mãos há uns dias. Talvez por gostar de Burzum, a resenha tenha ficado curta e boba, mas até pra quem não gosta de ambient black metal, black metal, ou simplesmente metal mesmo é uma ótima pedida, a considerar, claro, a genialidade e complexidade do trabalho de Varg Vikernes.

Se tiver interessado no download: hominiscanidae-alt

Você também pode gostar

0 comentários