Legalização da maconha aos olhos da juventude brasileira

por - 12:57

 

Jovens gritam pelas ruas em dias de marcha, campanhas no twitter e pessoas que dizem ser vítimas de preconceito e moralismo conservador. Isso é a legalização da maconha no Brasil. Sem querer esbarrar em um moralismo, como foi dito, falarei sobre este assunto que ao meu ver, não passa de mais uma forma da juventude ganhar status.

Os argumentos apresentados são fracos e clichês, já caíram no bla bla bla de uma criança de 8 anos: “ninguém nunca morreu”, “não faz mal como o cigarro e o álcool” e tudo isso que todo mundo está cansado de ouvir. Mas bem, eu dou argumentos (ou tento) que não são tão clichês e talvez possam fazer alguém pensar: o poder de tráfico diminuiria bastante, a maconha de fato não faz mal como erva pura, mas com a quantidade de coisa que é misturada hoje em dia, sim, faz um mal enorme e te vicia. Eu, conservador demais? Longe disso. Sou tão a favor da legalização disso quanto você, creio que o ser é dono de si antes de qualquer instituição, seja ela o Estado ou a Igreja. Mas fumar maconha para ganhar status na Augusta ou no baile funk, não serve como desculpa para pressionar o governo a dar um grande salto em um governo democrático.

Esses tempos atrás, estava tendo uma passeata para a legalização da erva no Parque do Ibirapuera em SP. Estava sentado em um banco e não sabia do ocorrido. Um moleque me parou e perguntou: “eae, moleque, firmeza? Viu a marcha passando ae? Então fechou, é nóis”. O vocabulário não me incomoda, mas o celular dele bem alto ouvindo “novinha vê se não mexe comigo” sim. Aposto o que for, que ele estava ali porque pensou que tinha meninas bonitas. Aposto que ele fuma maconha porque algum Mc diz na música que isso é legal e te traz dinheiro. A juventude de cabeça fraca. A juventude transviada que James Dean interpreta em seu filme. A juventude com heróis plásticos da Cultura de Massa que Edgar Morin tanto falou em seu livro.

Em suma, o que levanto é basicamente dados. Espero não ter me prendido a uma visão conservadora que não é o que eu carrego. Só que se vocês querem tanto isso, precisam aprender a utilizar a maconha ao seu favor e não como mais um fator a se somar com seu tênis da nike e com seu facebook bombando ou com fotos de armas achando bonito. E não, não culpo inteiramente os jovens de hoje (principalmente os menos favorecidos economicamente, porque como diz o Edy Rock: “ele se espelha em quem tá mais perto”. Culpo a Cultura de Massa no Século XXI, culpo o governo e o monte de pessoas que financiam tudo isso por puro modismo e falta de senso-crítico e não porque lhes faltam oportunidades pois na verdade isso sobra, mas por serem apenas robôs de alguns meios de comunicação e de subculturas.

Você também pode gostar

0 comentários