Entrevista com Fernado Cappi (Ou o Chankas)...

por - 07:55


Fernando Cappi é conhecido pelo seu trabalho em conjunto com seus amigos e companheiros da banda paulistana de música instrumental Hurtmold. Alem de sempre estar presente nos projetos solos dos outros hurtmolders como o Bodes & Elefantes do Guilherme Granado, o novo projeto MDM encabeçado pelo Mário Cappi, irmão dele e o disco com o M.Takara. A Hurtmold ficou popular nos últimos anos por acompanhar o eterno Hermano Marcelo Camelo na tour do seu primeiro disco solo, alem de participar das gravações do mesmo. Mas o objetivo aqui é falar de mais um projeto hurtmolder e tentar desvendar algumas dúvidas sobre o mesmo. Neste caso em questão estamos falando do “Chankas”, trabalho solo do Fernando. Descobri que Chankas também é o nome de uma civilização e um grupo étnico do Peru contemporâneo aos Incas.


O disco homônimo foi lançado no primeiro semestre de 2010, Em meio a simplicidade do Lo-Fi e do Folk, e com um pé na MPB, Fernando utiliza elementos estéticos do eletrônico e percussão experimentando muito. Destaque pras letras e melodias, tudo parece estar no lugar. Trata-se de uma obra ao acaso feita sem pressa e desenvolvida pelo próprio Fernando e contando com participações dos outros hurtmolders e agregados, como o trompetista americano Rob Mazurek. Trata-se de um trabalho dividido em nove faixas com diversas temáticas e climas, porem percebemos uma calmaria predominante, trazido pelo som acústico feito pelo Cappi com seu violão. Mostra um lado mais orgânico do músico normalmente caracterizado pelas guitarras bem trabalhadas da banda Hurtmold. Aqui deixou vocês com as palavras da Yasmin Muller da Rádio UFscarFernando parece querer exercitar seu lado mais orgânico, mais simples e calmo. Nos remete bastante a um universo bucólico, rural, mas até intelectualizado em suas experimentações e sensações beirando o incomum – embora mantendo uma familiaridade. Esse “incomum” tem um tom xamânico e ritualístico, tocando no âmbito mais humano do espiritual. Vozes, tambores e cordas. Só. Até ouvimos o movimento das pernas das pessoas, girando em torno da banda – ou da fogueira?



Todo esse clima vai finalmente poder ser visto e vivenciado ao vivo caso você esteja na cidade de São Paulo, no lançamento do Chankas que irá ocorrer no próximo dia 14 de Outubro (quinta) às 19h no Centro Cultural São Paulo - Sala Adoniran Barbosa. Rua Vergueiro, 1000 (Paraíso), de Gratis.


Eis aqui as palavras do Fernando Cappi, falando sobre a vida, sobre os projetos musicais individuais ou com os hurtmolders. Falando sobre o Fernando Cappi ou simplesmente o Chankas...




1. Antes de tudo, é chankaS ou ChankaZ?! Porque o myspace é com Z, o takara escreve com S no disco dele com você. E o que significa chankas?!


É CHANKAS, o myspace é com Z porque já existe um tiozão gringo usando o myspace chankas com S. Chankas é um apelido que um amigo meu me deu, meio do nada... RS



2. Onde é possível adquirir o disco do seu projeto solo?! Saiu por algum selo?! O submarine ou coisa do tipo?!


O disco é totalmente independente, não tem selo. da pra comprar os discos com o Fred pela submarine ou com o Luciano Valério da desmonta (em breve), ou nos shows, sempre a 5 R$.



3. Quem é o Fernando Cappi?! Tipo, você tem alguma formação?! Musical ou outra área, etc.?! Como se deu seu contato com a musica?! Porque resolveu viver dessa arte?!



Cara, eu sempre estudei musica, fazendo aulas ou por conta própria, em casa. Compro uns livros e vou embora. Fiz dois anos de faculdade de geografia, mas parei. Meus pais sempre ouviram musica em casa, MPB, blues, rock. Aprendi a gostar de musica com eles que depois me deram um violão e aí comecei a tocar. É o que eu gosto de fazer.



4. Existe algum show marcado em vista?! Já ocorreram apresentações ao vivo do seu projeto solo?! Se sim, Como funciona?! Quais os integrantes do projeto?!


O show de lançamento é no Centro Cultural Sao Paulo dia 14/10. A formação é:


Richard Ribeiro (porto) - bateria/sampler/xilofone; Marinho (MDM, hurtmold) - guitarra; Regis Damasceno (cidadão instigado) - guitarra; Chankas (Fernando Cappi) – violão



5. Como foi o processo de gravação do disco solo?! Da pra ver um lance mais acústico, é caseiro também?! Alguma participação especial?!


O disco eu fiz todo em casa, só a masterização que foi feita no estúdio El rocha com o Fernando Sanches. As participações foram todas especiais pela contribuição nos arranjos, cada um que participou criou suas próprias linhas e melodias ou batuques.





Fernado Cappi e Rob Mazurek



6. Em que consiste o disco?! Alguma temática?! As letras são suas?! Como ocorre o processo criativo das letras?! Curiosidade minha, porque eu realmente acho a música bastante significativa. Quem é Raphael?!


É um disco de musicas que eu fui compondo sem pressa, sem prazo, sem a própria pressão de se fazer um disco... pra algumas musicas fui imaginando quem eu poderia chamar pra participar e dar um grau, daí fui convidando uns amigos e deu no que deu, gostei bastante do resultado. As letras vão saindo, pra cada caso é uma situação. Raphael é meu avo, que faleceu há mais ou menos vinte anos, eu era criança...



7. Você tem idolos?! Quais seriam eles, não só na música, mas em qualquer vertente possível?!


Cara, eu adoro o bob marley, é um dos meus guitarristas preferidos...eu não me canso de ouvir. Sou fã do uakti tb, o show emociona.



8. No que diferencia o trabalho do chankaS, alem do fato de um projeto feito por uma cabeça só, do processo de criação e gravação da hurtmold?!


É como você mesmo disse, é diferente pelo fato de que no hurtmold são seis cabeças compondo, pensando, direcionado juntas, é isso que torna o processo todo diferente, dos ensaios ate a gravação. De resto, não tem diferença.



9. Um fato a ser visto é quão diferente são os projetos os solos dos integrantes da hurtmold, da própria hurtmold! No seu caso isso é natural ou uma proposta?!


É sempre natural. Os discos solo de cada um são naturalmente diferentes pois cada um é cada um. No caso do hurtmold é o som que sai naturalmente quando se juntam os seis.



10. Quantas bandas ou projetos musicais você já teve?! Como foi o contato com os demais hurtmolders?! Eu sei que o Mário é seu irmão, mas e com os demais?!


Antes do hurtmold teve o pudding lane e o default, antes eu tinha ate uma banda de cover do nirvana com meu irmão lá em 1996. De lá pra cá eu perdi a conta. O Guilherme, o Marcos e o Marinho são amigos do colégio, o Mauricio nós conhecemos no estúdio do pai dele (El Rocha), seu Claudio, onde ensaiamos ate hoje. Depois um amigo apresentou o Roger que logo entrou na banda.



11. Você ainda desenvolve trabalhos de trilha sonoras, comerciais?! Algumas faixas me remetem a isso, casariam bem em algumas cenas...


Faço sempre trilhas pra vinhetas e programas de tv ou internet, comerciais, etc. é bem descolado do processo de se fazer um disco ou ter uma banda, praticamente outro trabalho. Quando é pra fazer uma trilha quase sempre vem muitas referencias musicais pra seguir, ou BPM, duração, mudanças em momentos certos, vídeos...as vezes me pedem pra fazer um pump it up, vou lá e faço, fica bom, é só encomendar...rsrs




12. Você sempre viveu de música?! Eu sei que você já deu aula de violão, alem da própria hurtmold! A tour com o Camelo abriu horizontes para viver apenas da criação musical?!


Nem sempre, só de uns quatro anos pra cá...eu gosto muito do Marcelo e da musica dele, é sempre legal tocar e fazer as tours. Acho que sempre que tocamos com pessoas que admiramos, que é o caso também no hurtmold, MDM, Chankas, abrimos horizontes.



13. A hurtmold ta de ferias das gravações?! Quando será o próximo trabalho do grupo junto?!


A gente esta ensaiando e criando, vamos começar a gravar logo menos, acho que no primeiro semestre do ano que vem sai o disco novo.





14. Tem crescido muito a procura pelo seu disco no blog, queria saber se ta rolando divulgação do trabalho, idéia de sair em tour solo, essas coisas, manda a idéia pra galera que curte seu som...


Fico bem feliz com a procura, estou agilizando esquemas pra facilitar a procura por discos... a idéia agora é fazer bastante shows, começando no dia 14/10, mas ainda não tem nada fechado, fora esse. Começamos a ensaiar agora, logo vai estar tudo pronto.



abratz
cks




Fernando Cappi é conhecido pelo seu trabalho em conjunto com seus amigos e companheiros da banda paulistana de música instrumental Hurtmold. Alem de sempre estar presente nos projetos solos dos outros hurtmolders como o Bodes & Elefantes do Guilherme Granado ou o novo projeto MDM encabeçado pelo Mário Cappi, irmão do Fernando. A Hurtmold ficou popular nos últimos anos por acompanhar o eterno Hermano Marcelo Camelo na tour do seu primeiro disco solo, alem de participar das gravações do mesmo. Mas o objetivo aqui é falar de mais um projeto hurtmolder e tentar desvendar algumas dúvidas sobre o mesmo. Neste caso em questão estamos falando do “Chankas”, trabalho solo do Fernando. Descobri que Chankas também é o nome de uma civilização e um grupo étnico do Peru contemporâneo aos Incas.


O disco homônimo foi lançado no primeiro semestre de 2010, trata-se de uma obra ao acaso feita sem pressa e desenvolvida pelo próprio Fernando e contando com participações dos outros hurtmolders e agregados, como o trompetista americano Rob Mazurek. Trata-se de um trabalho dividido em nove faixas com diversas temáticas e climas, porem percebemos uma calmaria predominante, trazido pelo som acústico feito pelo Cappi com seu violão. Remete a um clima interiorano, mostra um lado mais orgânico do músico normalmente caracterizado pelas guitarras bem trabalhadas da banda Hurtmold. Aqui deixou vocês com as palavras da Yasmin Muller da Rádio UFscar “Fernando parece querer exercitar seu lado mais orgânico, mais simples e calmo. Nos remete bastante a um universo bucólico, rural, mas até intelectualizado em suas experimentações e sensações beirando o incomum – embora mantendo uma familiaridade. Esse “incomum” tem um tom xamânico e ritualístico, tocando no âmbito mais humano do espiritual. Vozes, tambores e cordas. Só. Até ouvimos o movimento das pernas das pessoas, girando em torno da banda – ou da fogueira?


Todo esse clima vai finalmente poder ser visto e vivenciado ao vivo caso você esteja na cidade de São Paulo, no lançamento do Chankas que irá ocorrer no próximo dia 14 de Outubro (quinta) às 19h no Centro Cultural São Paulo - Sala Adoniran Barbosa. Rua Vergueiro, 1000 (Paraíso), de Gratis.


Eis aqui as palavras do Fernando Cappi, falando sobre a vida, sobre os projetos musicais individuais ou com os hurtmolders. Falando sobre o Fernando Cappi ou simplesmente o Chankas...



1. Antes de mais nada, é chankaS ou ChankaZ?! Porque o myspace é com Z, o takara escreve com S no disco dele com voce. E o que significa chankas?!


É CHANKAS, o myspace é com Z porque já existe um tiozão gringo usando o myspace chankas com S. Chankas é um apelido que um amigo meu me deu, meio do nada... RS



2. Onde é possível adquirir o disco do seu projeto solo?! Saiu por algum selo?! O submarine ou coisa do tipo?!


O disco é totalmente independente, não tem selo. da pra comprar os discos com o Fred pela submarine ou com o Luciano Valério da desmonta (em breve), ou nos shows, sempre a 5 R$.



3. Quem é o Fernando Cappi?! Tipo, você tem alguma formação?! Musical ou outra área, etc.?! Como se deu seu contato com a musica?! Porque resolveu viver dessa arte?!


Cara, eu sempre estudei musica, fazendo aulas ou por conta própria, em casa. Compro uns livros e vou embora. Fiz dois anos de faculdade de geografia, mas parei. Meus pais sempre ouviram musica em casa, MPB, blues, rock. Aprendi a gostar de musica com eles que depois me deram um violão e aí comecei a tocar. É o que eu gosto de fazer.



4. Existe algum show marcado em vista?! Já ocorreram apresentações ao vivo do seu projeto solo?! Se sim, Como funciona?! Quais os integrantes do projeto?!


O show de lançamento é no Centro Cultural Sao Paulo dia 14/10. A formação é:
Richard Ribeiro (porto) - bateria/sampler/xilofone; Marinho (MDM, hurtmold) - guitarra; Regis Damasceno (cidadão instigado) - guitarra; Chankas – violão



5. Como foi o processo de gravação do disco solo?! Da pra ver um lance mais acústico, é caseiro também?! Alguma participação especial?!


O disco eu fiz todo em casa, só a masterização que foi feita no estúdio El rocha com o Fernando Sanches. As participações foram todas especiais pela contribuição nos arranjos, cada um que participou criou suas próprias linhas e melodias ou batuques.


6. Em que consiste o disco?! Alguma temática?! As letras são suas?! Como ocorre o processo criativo das letras?! Curiosidade minha, porque eu realmente acho a música bastante significativa. Quem é Raphael?!


É um disco de musicas que eu fui compondo sem pressa, sem prazo, sem a própria pressão de se fazer um disco... pra algumas musicas fui imaginando quem eu poderia chamar pra participar e dar um grau, daí fui convidando uns amigos e deu no que deu, gostei bastante do resultado. As letras vão saindo, pra cada caso é uma situação. Raphael é meu avo, que faleceu há mais ou menos vinte anos, eu era criança...



7. Você tem idolos?! Quais seriam eles, não só na música, mas em qualquer vertente possível?!


Cara, eu adoro o bob marley, é um dos meus guitarristas preferidos...eu não me canso de ouvir. Sou fã do uakti tb, o show emociona.



8. No que diferencia o trabalho do chankaS, alem do fato de um projeto feito por uma cabeça só, do processo de criação e gravação da hurtmold?!


É como você mesmo disse, é diferente pelo fato de que no hurtmold são seis cabeças compondo, pensando, direcionado juntas, é isso que torna o processo todo diferente, dos ensaios ate a gravação. De resto, não tem diferença.



9. Um fato a ser visto é quão diferente são os projetos os solos dos integrantes da hurtmold, da própria hurtmold! No seu caso isso é natural ou uma proposta?!


É sempre natural. Os discos solo de cada um são naturalmente diferentes pois cada um é cada um. No caso do hurtmold é o som que sai naturalmente quando se juntam os seis.



10. Quantas bandas ou projetos musicais você já teve?! Como foi o contato com os demais hurtmolders?! Eu sei que o Mário é seu irmão, mas e com os demais?!


Antes do hurtmold teve o pudding lane e o default, antes eu tinha ate uma banda de cover do nirvana com meu irmão lá em 1996. De lá pra cá eu perdi a conta. O Guilherme, o Marcos e o Marinho são amigos do colégio, o Mauricio nós conhecemos no estúdio do pai dele (El Rocha), seu Claudio, onde ensaiamos ate hoje. Depois um amigo apresentou o Roger que logo entrou na banda.



11. Você ainda desenvolve trabalhos de trilha sonoras, comerciais?! Algumas faixas me remetem a isso, casariam bem em algumas cenas...


Faço sempre trilhas pra vinhetas e programas de tv ou internet, comerciais, etc. é bem descolado do processo de se fazer um disco ou ter uma banda, praticamente outro trabalho. Quando é pra fazer uma trilha quase sempre vem muitas referencias musicais pra seguir, ou BPM, duração, mudanças em momentos certos, vídeos...as vezes me pedem pra fazer um pump it up, vou lá e faço, fica bom, é só encomendar...rsrs


12. Você sempre viveu de música?! Eu sei que você já deu aula de violão, alem da própria hurtmold! A tour com o Camelo abriu horizontes para viver apenas da criação musical?!


Nem sempre, só de uns quatro anos pra cá...eu gosto muito do Marcelo e da musica dele, é sempre legal tocar e fazer as tours. Acho que sempre que tocamos com pessoas que admiramos, que é o caso também no hurtmold, MDM, Chankas, abrimos horizontes.



13. A hurtmold ta de ferias das gravações?! Quando será o próximo trabalho do grupo junto?!


A gente esta ensaiando e criando, vamos começar a gravar logo menos, acho que no primeiro semestre do ano que vem sai o disco novo.



14. Tem crescido muito a procura pelo seu disco no blog, queria saber se ta rolando divulgação do trabalho, idéia de sair em tour solo, essas coisas, manda a idéia pra galera que curte seu som...


Fico bem feliz com a procura, estou agilizando esquemas pra facilitar a procura por discos... a idéia agora é fazer bastante shows, começando no dia 14/10, mas ainda não tem nada fechado, fora esse. Começamos a ensaiar agora, logo vai estar tudo pronto.



abratz
cks



Você também pode gostar

0 comentários