"Está difícil ser cavalheiro em tempo integral"

por - 15:29

E está mesmo. Ser gentil com quem a gente não conhece exige muito esforço em algumas ocasiões. A menos que você seja vendedor das Casas Bahia, você adquiriu muita experiência neste assunto, mas ao menos pra mim, isso tem sido cada vez mais complicado. E não é nem por ser gentil o tempo todo, mas sim por falta de prática.

Como semana passada, quando estava num elevador. Ele estava totalmente cheio, provavelmente excedendo sua capacidade de peso e excedendo totalmente a minha capacidade de respirar. Só tinha forças para um movimento: o de apertar o botão do elevador. E quando eu finalmente faço isso, o elevador lentamente se fecha. Mas não sem antes aparecer uma mulher tentando enfiar a mão na porta, só para testar se os sensores do elevador são potentes o suficiente pra deixar 18 pessoas muito mais apertadas do que já estavam. Eis que num lapso de Neandertal gritei “SAI!” e a mão da mulher se afastou tão rápido que se alguém estava atrás dela, provavelmente vai entender por que morreu ao fim deste texto. E antes da porta fechar, tive que me certificar de que não estava tendo nenhuma ereção, senão poderia esquecer a idéia de trepar num paraglide na lua de mel.

“Gentileza gera gentileza”, já dizia aquele profeta, que por acaso não viveu nos dias de hoje. O que também me fez lembrar a vez que minha mãe contou que foi assaltada. Segundo ela, no final da ação, o ladrão agradeceu e foi embora. Será que foi um ato de gentileza? Isso o tirou da qualidade de verme desgraçado e o colocou num nível mais elevado? Ou será que hoje em dia o atendimento é padronizado? Não sei. Pensando bem, que se foda. Estou quase desistindo desse papo de ser educado...

Você também pode gostar

0 comentários