Jair Naves, Apanhador Só e Bicicletas de Atalaia no Cedo e Sentado

por - 12:11



Para quem não conhece o projeto Cedo & Sentado que rola no Studio SP, explico: a ideia é a de reunir o pessoal que gosta de música independente, em um horário favorável para quem usa transporte público e gosta de ver os shows numa boa, tranquilos, sem toda aquela agitação das casas convencionais. Nesta terça-feira, 29 de março, acontecerá o evento com as bandas Apanhador Só (RS), Bicicletas de Atalaia (SE) e Jair Naves (SP). Se estiver de bobeira de noite e quiser dar uma saída, tá aí um belo programa. Lembrando que a entrada na casa é gratuita para quem entrar até às 23h00 permanecer até a 0h00, depois disso é gerado automaticamente o valor do ingresso na comanda. Se você não conhece uma das bandas, segue o texto retirado do Fora do Eixo sobre cada uma:




Apanhador Só
:
O Apanhador Só tem sido apontado como uma das maiores revelações do pop nacional. Seu álbum homônimo frequentou grande número listas de melhores discos brasileiros de 2010, alcançando o terceiro lugar na repercutida lista do Scream & Yell. Indicado à categoria Aposta MTV na última edição do Video Music Brasil, o quarteto de Porto Alegre surgiu em 2006, quando gravou o EP Embrulho Pra Levar. Com este trabalho, inscreveu-se e garantiu primeiro lugar no concurso de bandas do festival Trama Universitário, promovido pela TramaVirtual, que selecionou novos talentos para abrir shows de artistas consagrados. No caso do quarteto, a artista em questão era a cantora Maria Rita, que recebeu o grupo no Rio de Janeiro. A partir daí, o Apanhador Só não parou de crescer e circular pelo país. Em 2008 foi destaque n’O Estado de S. Paulo em matéria de Jotabê Medeiros sobre “bandas para ficar de olho”. Em 2009 participam da Feira Música Brasil em Recife. Também em 2009, graças à aprovação em edital do Fundo Municipal de Apoio à Produção Artística e Cultural de Porto Alegre (FUMPROARTE), o Apanhador Só gravou seu celebrado álbum de estreia, produzido por Marcelo Fruet e com distribuição nacional. Disponível para download gratuito em seu site, o trabalho está prestes a atingir a marca de 20 mil downloads. Em fevereiro de 2011, o grupo lançou o clipe da música Um Rei e o Zé, com exclusividade para a MTV. No vídeo, dirigido e produzido pela Sofá Verde Filmes, o grupo protagoniza uma emocionante partida de toca-bola na Zona Norte da capital gaúcha. A sonoridade do Apanhador Só é desafiadora: o rock mistura-se com as mais diversas influências e referências, seja com a presença do bandonéon em um legítimo tango (Balão-de-Vira Mundo) ou na sucata utilizada como percussão em quase todas as músicas – furadeira, máquina registradora, pato de borracha e até uma bicicleta modificada, que acompanha o grupo no palco.




Biciletas de Atalaia
:
A Bicicletas de Atalaia surgiu no segundo semestre de 2009 liderada pelos irmãos Bruno Mattos e Leo Mattos. O conceito original nasceu da idéia de escrever poesias e harmonias que mesclassem rock, samba e pop anos 60. Os/as Bicicletas de Atalaia se apóiam em traços clássicos da mpb brasileira mesclados a elementos da música pop. A pegada acústica do samba e da bossa nova, aliada a sutis e determinantes viagens experimentais estabelecem uma sonoridade que por ser difícil de classificar a torna tão promissora. A atmosfera das composições é desenhada por sofisticadas harmonias de Bossa Nova e melodias densas e cativantes. Em 2010 tiveram a música Diga-lhe que mando a meia classificada no conceituado festival de MPB Certame da Canção de Tatuí-SP e receberam elogiosas críticas na coluna “Destaques do MySpace” da revista Guitar Player pela música Insomnia. Em Julho, lançaram seu primeiro EP (homônimo), trabalho independente que vem atraindo ouvidos aguçados e curiosos.




Jair Naves
: Araguari
, primeiro trabalho solo de Jair Naves, chega ao público na forma de EP em fevereiro de 2010. Na primeira audição e na passada de olhos pelos títulos das canções, percebe-se a homenagem à cidade que dá título ao trabalho e que fica ao norte do Triângulo Mineiro, celebrada no cinema nacional pelo filme O Caso dos Irmãos Naves, sobre a prisão, tortura e morte de dois irmãos que confessaram um crime que jamais cometeram. Mas Araguari é também e principalmente um mergulho na memória do compositor, que passou parte da infância na cidade. As lembranças e experiências do músico conduzem as canções, por vezes, ao lirismo das modas de viola e à nostalgia invertida das lacunas de quem se viu à margem; em outras, à volubilidade de quem não acredita mais no amor, mas que se vê surpreendido pela paixão; finalmente, ao travo da injustiça e do desajuste que Jair parece ter herdado da história da cidade.

Porta 21 h / show 22 h
Local: Studio SP
Endereço: Rua Augusta, 591 - São Paulo - SP

Entrada gratuita até às 23h00.

Você também pode gostar

0 comentários