Cine PE 2011 - Pelé e cinema para os recifenses

por - 14:03


Pernambucano tem mania de querer ser grande. E com o cinema, não podia ser diferente. É com esse espírito que começa nessa quinta-feira (28) e vai até a próxima sexta (06) o Cine PE 2011, considerado o maior festival de cinema de público do país, com exibições de curtas e longas para cerca de 3 mil pessoas. O festival, que comemora seus 15 anos, traz nessa edição 51 filmes, sendo 38 curtas e 13 longas-metragens, divididos entre as Mostras Competitivas, Especial, Infantil (no Teatro Guararapes) e Pernambuco (no Cinema da Fundação).

O Cine PE possui também uma tradição de homenagear personalidades e obras importantes do cinema, sendo este ano nove homenageados: os atores Wagner Moura, Chico Diaz e Camila Pitanga, o cineasta Zelito Viana, o longa Baile Perfumado (que também comemora 15 anos de sua exibição no festival), a montadora Vânia Debs, a Revista do Cinema e o Programa Revista do Cinema e, o mais comentado homenageado do festival, Pelé, o rei do futebol, que promete ser um atrativo enorme de público, já que estará na noite de abertura (o que me preocupa, visto que o público do Cine PE já costuma ser muito inquieto nas sessões).




No geral, a programação dessa edição está boa, com filmes esperados como O Rochedo e A Estrela, de Katia Mesel, que está fora de competição e fala sobre a primeira colônia judaica das américas, localizada no Recife, e que teria dado origem à comunidade Nova Iorquina. Além disso, Luci Alcântara faz sua estreia no festival com o longa JMB, o famigerado, um retrato de um dos mais lendários agitadores culturais do Recife, o poeta Jomard Muniz de Britto.

Entre os curtas-metragens exibidos no Teatro Guararapes (marca importante do festival), vale a pena prestar atenção em Mens Sana In Corpore Sano, de Juliano Dorneles, que vem sendo muito bem recebido e bastante elogiado, e no qual Dorneles questiona os limites e a luta de domínio entre o corpo e a mente. Um filme que promete ficar interessante com Mens Sana é o documentário digital Vou Estraçaiá, de Tiago Leitão, sobre a trajetória do pugilista Todo Duro. A programação conta ainda com o premiado Acercadacana (considerado o Melhor Filme no Festival de Brasília), de Felipe Peres, que deve cutucar o público. Tem também Calma, Monga, Calma!, de Petrônio Lorena, muito divertido, e que brinca com o imaginário popular. Não esqueça de ver também Janela Molhada, de Marcos Enrique Lopes e Café Aurora, de Pablo Polo.




Já no Cinema da Fundação, no Derby, a Mostra Pernambuco vai exibir os curtas Palavra Plástica, de Leo Falcão, e Aeroporto, de Marcelo Pedroso, além do irreverente Vodka, de Victor Dreyer, entre outros. Os ingressos dessa mostra são 4 reais (inteira) e 2 reais (meia), e devem ser vendidos na bilheteria do Cinema da Fundaj, meia hora antes das sessões, que serão nessa quinta (28) e sexta (29), às 19h.

Os ingressos para o Teatro Guararapes já estão sendo vendidos no Café Castigliani, nas lojas BR Mania de Postos BR e no Disk Ingresso, e é sempre legal comprar antecipado, pra não ter que pegar fila durante o festival. Eles custam 8 reais (inteira) e 4 reais (meia). Durante o festival os ingressos devem ser vendidos na bilheteria do Guararapes e nas lojas BR Mania (nestas, até as 15h). Você pode ver a programação completa do Cine PE 2011 (além de informações sobre oficinas e seminários) clicando aqui.


Você também pode gostar

0 comentários