Conheça o Lado EЯЯado do zine brasileiro

por - 16:23



Em tempos de internet e suas diversas ferramentas novas que aparecem a cada dia, hora, momento, segundo. O twitter, em sua diversidade de funções pífias, normalmente acaba atualizando as pessoas sobre o que se comemora em cada dia do ano. É dia do indie (fazer barulho), é casamento real de cicraninho, é morte de fulaninho. Eis que, por intermédio desta valiosa ferramenta nerd descobrimos que essa semana, mais precisamente amanha, é o Dia Mundial do Fanzine (29 de abril). Isso caiu como uma bela deixa para mandar aqui, uma entrevista que fizemos com Leandro Menezes, um dos integrantes do coletivo zineiro potiguar Lado Erre, que como todo bom prensado é passado de mão em mão para pessoas interessadas de diversos pontos do Brasil (eu ainda tenho algumas cópias comigo, no Recife, caso alguém tenha interesse).

Falamos um pouco sobre o processo criativo, a temática do zine, como funciona o esquema e o que fez ele e os demais integrantes entrarem nessa brincadeira anárquica. Se você não conhece, bom divertimento, pra você que curte zine, dissemine, interaja, repasse...

1-) De onde surgiu a ideia de criar o zine e como de fato ela começou? Impresso, internet ?

O Lado[R] é ideia de três amigos (eu, Dimetrius Ferreira e Rafael F.) que já escreviam e liam fanzines e decidiram se juntar e fazer algo juntos. Na época eu e Dimetrius éramos estagiários de uma editora universitária e começamos a aprender a mexer com programas de editoração eletrônica como Indesign, além de Photoshop e Ilustrator. Lá também tivemos acesso a impressões 'clandestinas' se é que você me entende. Então foi tudo muito natural até o nascimento da primeira edição, que saiu em julho de 2005. O zine a priori era impresso, e ainda é, apesar de existir alguns braços virtuais na internet (twitter, facebook, issuu...).

2-) Quem a faz e qual a formação de vocês?

A formação original do time é Dimetrius Ferreira, Rafael F. e eu. Ao longo dos anos outros amigos se juntaram a nós como Renata Marques e Filipe Mamede, que hoje já são parte do time oficial também. Eles já eram nossos amigos desde a época da faculdade. Além deles, tivemos vários colaboradores, cada um dando uma força de forma diferente, seja sugerindo,escrevendo, mandando uma ilustra, um quadrinho... Cada edição do Lado[R] acaba sendo produzida de forma bem mambembe, uma produção coletiva mesmo.




3-) Vocês obtêm algum lucro a partir dela ou é apenas diversão?


Nunca obtivemos lucro de nada, a não ser uns 100 contos de uma festinha de lançamento que fizemos anos atrás, que transformamos em cerveja. Sempre demos um jeitinho de colocar o fanzine na praça, seja tirando do bolso, seja através de cópias clandestinas na antiga editora que estagiávamos, na manha e na malícia, pondo em prática o velho jeitinho brasileiro (sic). Hoje, por sorte, temos o apoio de uma gráfica, nós só compramos o papel e eles fazem o resto pra gente na faixa. Acaba ficando bom para as duas partes. Conseguimos colocar 2000 exemplares na rua, número significativo quando se trata de um fanzine.

4-) De onde veio o nome Lado[R]?


O nome surgiu de forma espontânea, assim como surgem nossas pautas, assim como foi a ideia do formato, assim como foi a ideia de fazer um fanzine. A intenção é remeter ao Lado A / Lado B de um vinil ou de uma velha fita k7, ou ao velho termo Lado B, como era mais conhecida a música independente anos atrás... Então nós somos o Lado R, lá na frente no alfabeto, distante do convencional, talvez... E tem a idéia do "erre", de errar, de uma vida errante, subversiva. Estamos do lado errado. Inclusive, nós também fazemos outro fanzine chamado Errado, que é uma espécie de Lado[R] versão de bolso.


5-) Qual a ideia da tirinha Zé e Paulão?

Zé & Paulão são personagens de Jansen Baracho, um chapa nosso aqui de Natal que criou a tirinha depois que pegou o zine pela primeira vez e decidiu fazer algo, espontaneamente, pra mandar pra gente. Ficamos muito felizes e surpresos. Desde então adotamos esses dois pirados como nossos 'mascotes'. Eles tem tudo a ver com a gente mesmo e se parecem muito com alguns amigos nossos.

6-) Tudo é feito em casa mesmo ou existe uma 'mini redação' onde rola tudo: diagramação, produção, seleção de fotos e etc.?


Tudo é feito de forma mambembe, autônoma. Durante a produção das pautas, dos textos, cada um faz em sua casa mesmo e sempre trocamos ideia por email, messenger e até mesmo ao vivo. Como somos amigos, é comum a gente se encontrar no dia a dia. Quando temos tudo em mãos e partimos para parte da diagramação, nos encontramos na casa de Dimetrius, que é quem diagrama o zine. Aproveitamos para nos confraternizar, tomar uma brejas em meio a muita fumaça, trocando ideia e vendo o zine tomar forma.



7-) Existe alguém que vocês tenham muita vontade de falar sobre no zine mas sempre passa? Um músico, cineasta, artista plástico...


Sempre pensamos em fazer uma matéria sobre o Rocksteady, estilo meio obscuro da musica jamaicana, mas por pura preguiça, esquecimento e sequela, sempre deixamos pra depois. Também tem um pintor aqui da cidade chamado Marcelus Bobs que já tentamos entrevistar algumas vezes, mas o cara é difícil de encontrar, não usa celular e não gosta de entrevistas, mas um dia a gente consegue, espero. Teve muita coisa boa que a gente já pensou em fazer, mas agora eu não lembro mais. =)

8- ) Man, uma ultima pergunta! Quem quiser conseguir o fisico do lado erre, como faz?! Tem pontos de distribuição em quais cidades?! Etc...

Não existem pontos de distribuição fixos ainda. Nós sempre mandamos para outras cidades como Recife, João Pessoa, São Paulo, Brasília, entre outras, mas a distribuição é sempre feita de forma aleatória mesmo. Temos a intenção de criar essa teia de distribuidores, ainda estamos estudando isso. Assim como vamos fechar alguns pontos de distribuição aqui em Natal também, em bancas, bares, faculdades... Para quem quiser adquirir uma edição do Lado[R] impresso tem que nos enviar selos e um envelope para o envio ou a grana mesmo, no velho esquema fanzineiro. Para maiores detalhes é só entrar em contato através do nosso email lado.r.zine@gmail.com que nós falamos o endereço e tudo mais.

Para quem quiser conhecer as edições anteriores do Lado[R] e do Errado, as versões digitais estão disponíveis em www.issuu.com/ladoerre; no twitter eles são o @ladoerre e no facebook eles têm um perfil e uma página, é só procurar por Fanzine Ladoerre.

Você também pode gostar

0 comentários