Conheça o Ragga/ Dancehall do paraibano Fábio Sacal...

por - 12:53


Fábio Sacal
é uma das figuras mais representativas e respeitadas do alterna paraibano, é uma das figuras de maior destaque desta nova cena de artistas que estão aparecendo em João Pessoa. Pude presenciar shows do camarada por lá e participações dele em alguns shows da última edição do Festival Mundo, onde o mesmo se apresentou com outra banda local e com o B Negão e os Seletores de Frequência (baixa o aúdio do show aqui), mandando o som do próprio B Negão e algumas faixas do disco do Sacal. O Bernardo deixou claro toda admiração dele pelo Sacal, dizendo que o som que o Sacal faz é universal.

O 1º cd dele, Gangstar jegue, é uma mistura de ritmos e recheado de participações. O camarada é um dos encarregados de animar todos que comparecerem a abertura da edição 2011 do Festival Abril Pro Rock na próxima Sexta-Feira (08/04 - Amanhã! Voce pode ir de gratis, veja a promo). Resolvemos então bater um papo com o figura, apresentando ele para quem ainda não conhece e trocando uma idéia sobre música, sonoridade, João Pessoa, o show e novos projetos que estão por vir, se liga ai...


1. Como voce começou a fazer música?! Quais suas influências musicas e Como chegou no Ragga e Dancehall?! Explica um pouco o estilo pra quem não conhece...


Sacal: Na real, eu faço música desde criancinha quando tocava escondido o violão da minha irmã e a guitarra do meu irmão [risos]. Também fiz alguns Remixes na época do Drum'n Bass aqui em Jampa (98/99), mas foi em 2003 quando comecei a trabalhar em um estúdio musical e através do contato diário com os músicos da cidade, eu desembestei a produzir.

Minhas maiores influências são sem dúvida nenhuma Chico Science, Planet Hemp, O Rappa, B.Negão, Black Alien, Sean Paul, Movimiento Original e Caporal Nigga. O estilo que eu toco Dancehall/Ragga. O Dancehall é um vertente do reggae que surgiu na Jamaíca nos anos 70, só que o Dancehall que eu canto é adaptado, por exemplo, ao invés de usar gírias e expressões Jamaicanas, eu uso gírias e expressões da minha região.

2. Muito de suas letras falam sobre joão pessoa, a paraiba, como é o processo das letras?! Falar de jampa é uma coisa natural?!


Falar sobre Jampa se torna natural, porque ela faz parte de mim, assim como faço parte dela. São nada mais do que crônicas do meu próprio cotidiano. Não sei se vocês querem saber exatamente como é o passo-a-passo do processo de criação, mas de qualquer forma existem alguns detalhes que prefiro manter em sigilo [risos].

3. Em 2009 voce lançou o gangstar jegue, cd promocional que foi muito bem aceito. Ja existe algum material novo?! Algum novo projeto?!


Tem muita coisa nova sim para 2011, mas o que eu posso adiantar é que título do próximo álbum é "O Lado Que Alisa É Lixa" contém 12 faixas, uma das faixas chama-se "Leve-me Para o Hospital" e como sempre o álbum será disponibilizado gratuitamente na rede. Outra novidade é o formato SACAL BANDA que entra em campo em 2011 também. A escalação do time é Alex Madureira (guitarra), Fabiano Formiga (teclado/sampler), Dj Guirraiz (pickups), Felipe Kariri (viola tradicional nordestina, flauta, sax e percussões) e eu. [risos]


4. O gangsta jegue é recheado de participações. Tem gente de diversos estados do pais, como é a cena ragga dancehall no brasil?! E em jampa?


A cena do Dancehall no Brasil ainda está ganhando forças, mas existe, está em boas mãos e no caminho certo. O Jimmy Luv, o Arcanjo Ras, o Pump Killa e o Ragga Rural são os que mais se destacam na minha opinião. Em Jampa a cena do Dancehall ainda é fraca, porém tem o pessoal do Abiarap que mandam bem, tem o Atômico Mc que ta bem focado e inclusive eu estou terminando de produzir o disco dele que é 100% Dancehall/Reggae, tem participação minha e de uma galera da cena nacional.

5. Voce é reconhecido por diversos artistas do rap e hip/hop nacional. Como é esse reconhecimento pra voce?! Ja tocou muito fora da paraiba?!


Esse tal reconhecimento só veio depois de muita divulgação, ajuda dos amigos e depois que eu passei acreditar mais no meu trampo e no meu potencial. Antigamente o pessoal do rap tirava sarro do meu som, hoje dia a conversa é outra.

Por enquanto só toquei em Pernambuco, Rio de Janeiro e vou aproveitar pra vender meu peixe aqui... [risos] Quem quiser contratar Sacal pra tocar basta enviar um email para fabiosacal@gmail.com e dizer que leu essa entrevista que faremos um precinho camarada.


6. O que o pessoal que vai chegar la no show do Apr Club pode esperar?! Como vai funcionar o show?! Quem vem com voce, etc...


O formato do show tá bem corrido, se você sair no meio do show pra comprar uma cerveja perde duas músicas [risos]. A formação será 2mcs e 1dj, sendo Atômico Mc nos backing vocals, Dj Guirraiz nas pickups e eu cantando. Vou levar o Sasquash daqui de Jampa que canta duas faixas comigo "Eu Nasci" e "Tá Demais". Será bagaceira como sempre.

7. Bom, valeu o tempo e as repostas. Espaço aberto pra falar o que voce quiser, falar mal, mandar a ideia...


Primeiro eu quero agradecer pelo espaço e pelo convite. Vou deixar aqui meu twitter e lá, quem tiver interesse, pode ficar sabendo da minha agenda e lançamentos. Quero aproveitar também pra mandar um abraço pra galera do Skate Plaza Manaíra que consome meu som todo dia, e um salve pra Chepsté, Gurú, Miquimba, Nota, Côco, Poiô, Neguim, Zé Bumbada, Mario Cocão, Defeito, Tapioca, Chibata, Disdondô, Disdondédi, Dr. Smith, Dr. Estranho, Benju, Totó, Poloca, Mininim e Boca Murcha.


Ps: Todas as fotos por Rafael Passos (como boa parte das fotos do NE desse site)

Você também pode gostar

0 comentários