Impressões Abril Pro Rock 2011 - Primeiro Dia

por - 13:07

Dia 15 de abril, a primeira noite do Abril Pro Rock, a noite do peso e das camisas pretas, dessa vez saindo de um sábado e aparecendo em uma sexta-feira. Esse ano contando com bandas como o Misfits e DRI, as expectativas eram as melhores possíveis pra uma noite memorável no Recife.






Um pouco atrasado devido à viagem, cheguei ao Chevrolet Hall as 21h15minh, e peguei o Cangaço já em palco. Banda pernambucana bastante coesa ganhou o Metal Battle ano passado e foi pra Alemanha tocar no Wacken, fez um show bastante objetivo com músicas boas, bem tocadas, um bom esquente pro Festival.





Fim da primeira banda, vinheta rolando, e já no segundo palco começando a segunda banda, um dos shows que mais queria ver na noite, o Facada. De cara o som apareceu estourado, sem definição, não dava pra distinguir o que era guitarra, o que era baixo, o que era bumbo, grande falha que foi sendo corrigida durante o show dos cearenses, que mesmo assim não amansaram. Foi porrada atrás de porrada, e o primeiro circle pit da noite foi formado e, diga-se de passagem, bem violento. Músicas antigas e novas do álbum "O Joio" foram executadas, e com a participação do Ari, guitarra da banda que mora na Alemanha, os cerca de 30 minutos de show do Facada mostraram que temos no nordeste bandas que não devem pra outras de canto nenhum do mundo. Fim de show com "O Cobrador", e menos alguns dentes pro público do APR.





Seguindo a programação, mais uma prata da casa sobe aos palcos, o Desalma. Banda que vem ganhando destaque no cenário pernambucano, o Desalma fez um show caótico, segurando bem as pontas da chacina que foi o Facada. Com um Death/Thrash a banda leva em seus sons algumas pitadas de sludge e stoner, algo que me chamou atenção, ponto pra eles, que tão gravando um álbum novo e no qual um cd promocional com três musicas, foram distribuídos durante o show.






Chevrolet Hall já cheio, stands de lojas e merch de bandas sem bem visitados, uma praça de alimentação fraca, com poucas opções e caras. Mas tudo parou quando foi anunciado que a próxima atração seria o Violator. Pouco se tem o que falar do show dos caras, é isso que todo mundo diz e vê nos vídeos, destruidor! O Violator sobe aos palcos e entre discursos certeiros do vocal Poney sobre underground, cada música tocada servia como trilha sonora para um pogo ensandecido e violento formado por headbangers, punks, hardcore, e quem mais tivesse lá. Músicas do Violent Mosh, Chemical Assault e do mais recente Annihilation Process foram tocadas, e a banda ao vivo confirma: É um show que você precisa ir.






Sem parar, termina o Violator, vem a brutalidade do Torture Squad. Já conhecia bem o som dos caras, sei quanto é bom ao vivo por ter os visto já em dois shows, mas o que ocorreu ontem no APR foi devastador. "Chaos Corporation", "The Unholy Spell", "Living For The Kill", músicas de vários anos de carreira estavam lá, e como já presenciei, a banda derrama técnica e destruição. Amilcar, o batera, é um show a parte, e conduzindo o que hoje é um dos grandes expoentes do metal brazuca, o Torture Squad fez o que pra muitos, foi o melhor show do Festival.






Logo em seguida foi a vez do Musica Diablo tocar. A banda de Derrick Green do Sepultura com membros do Nitrominds foi talvez a mais chata de toda a noite. Sem muito que falar, a banda toca um thrashzão muito bem, mas nada demais, parecia um Sepultura na época do Arise, e creio que não só, não queria ver de outra banda do Derrick algo que fosse muito parecido com a banda mineira. Serviu pra descansar, comer algo e ir da uma olhada com mais calma nos merchan das bandas.






Antes de acabar o show, os paulistas do Musica Diablo, já estava pronto para o que viria a seguir. Dirty Rotten Imbeciles. Era gratificante demais poder ver um show destes tão perto, e logo nos primeiros acordes "Beneath The Wheel" começava o que ia ser uma aula de pogo e mosh. Foi foda, talvez pela idade dos caras, esperava que fosse talvez mais calmo ou algo assim, mas tava enganado, o DRI tocou com a mesma vontade e energia de 20 anos atrás. Tocaram vários clássicos, um hit atrás do outro, mosh e mais mosh, a roda de pogo só aumentava, e depois de tanto suor e escorregadas no chão do Chevrolet Hall, encerrando com a memorável "The Fiver Year Plan". Vi até gente chorando nesse show, belo tiro do Abril em ter trazido uma banda como eles pra cá pro nordeste.






Pra encerrar a noite, uma das bandas que mais esperava me decepcionar, o Misfits, e assim foi feito. Jerry Only não engana ninguém, e essa formação ainda vive apenas pra ganhar dinheiro com o nome do que foi uma grande banda. Com um batera novo e o Dez Cadena, ex-Black Flag, o Misfits no meu ver assassinou o próprio Misfits. Eram musicas tocadas de forma erradas, rápidas demais, saindo do tempo algumas vezes, cantadas sem a maldade de um Danzig ou sem a emoção de um Michale Grave. Foram várias músicas, acho que perto de umas trinta e três covers do Black Flag, mais que no geral me fez distanciar e assistir tudo sentado de longe. Muita gente foi pra ver a lenda do Misfits e adorou o show, outros fãs se decepcionaram bastante. Fico mais perto da segunda opção.

Bom, primeira noite do Abril foi positiva, acho que mais de cinco mil pessoas no Chevrolet Hall, estrutura de primeira, salvo o som que não estava lá essas coisas e prejudicou show de algumas bandas como Facada e Violator. Parabéns a organização de todo festival, trouxeram dois nomes gigantes do rock pra Recife, e fez uma noite inesquecível pra muita gente. Uma noite de muitas vitórias, onde só quem perdeu, foi quem não foi.



Todas as fotos por Rafael Passos

Você também pode gostar

3 comentários

  1. >Musica Diablo pra mim foi o fracasso da noite, lembra sepultura, mas é ruim. Linear demais, chato demais.Infelizmente não pude ver o Facada, mas tendo visto outros shows, dificil decepcionar. E Violator, bem, o violator ta numa fase absurda.O melhor show da noite que vi foi o do Torture Squad, tecnica, energia, tudo no lugar, parada bem absurda.O Misfits realmente foi um show estranho, mas divertiu bem o publico.

    ResponderExcluir
  2. >Desalma em São Paulo, JÁ!

    ResponderExcluir
  3. >Melhor show de Torture mesmo!Cangaço, Desalma, DRI e Violator tbmMisfits tava muito rápido e o mesmo acontecido do show do Motorhead guitarras mais altas que o vocalMúsica Diablo tava chato e monótonoFacada com um som muito sujo e aboloadoMas foi um bom festival!

    ResponderExcluir