Entrevista com Wash de Souza e a segunda Mostra Instrumental Contemporânea no Rio...

por - 12:52



Como voces podem ver ai no cartaz, no próximo final de semana, mais precisamente a partir do dia 10 de Junho, acontece a segunda Mostra Instrumental Contemporânea de mistura de ritmos. Realizada pela produtora Coquetel Molotov, com patrocínio da Caixa Econômica Federal, a Mostra Instrumental Contemporânea teve sua primeira edição em 2010. As apresentações aconteceram em três dias seguidos no Teatro Nelson Rodrigues. Nesse evento a musicalidade dos instrumentos será o protagonista, mostrando que não existe necessidade de voz para passar uma mensagem. Em cada noite, duas atrações, de diferentes localidades, se apresentam, tendo em comum essa característica de não contar com vozes em suas músicas.

Na sexta (dia 10), duas bandas paulistas comandam a primeira noite da mostra. as Aeromoças e Tenistas Russas, que usam climas sonoros, passagens grooveadas e disco-rock, com pitadas de trilhas sonoras e jams. A outra banda é a Eu Serei a Hiena, uma das bandas favoritas aqui da casa que tem uma pegada mais direta, utilizando instrumentos comuns do rock, com duas guitarras, baixo e bateria. No Sábado (dia 11), o segundo dia da Mostra vem com atrações bem distintas entre si. Diretamente do Chile, tocando pela primeira vez no país, Mostro faz um pop bizarro e retorcido, com temas instrumentais munidos de bateria, guitarras, teclados e mais uma série de artefatos musicais. A Mostra também é uma oportunidade para revisitar o passado, com o Mestre Vieira e Pio Lobato, artista da música paraense e responsável pela criação de um dos gêneros mais conhecidos daquela região: a Guitarrada paraense. No domingo (dia 12), último dia da mostra, a noite começa com a presença do grupo carioca Fantasmagore, um quarteto instrumental pesado e atordoante, transitando entre a eletricidade do rock setentista e a intensidade da pegada metal. Quem encerra a Mostra é a banda paraibana Burro Morto, outra favorita da casa, que lançou um dos melhores discos do ano o Baptista Virou Máquina. A sonoridade do grupo paraibano incorpora elementos de afrobeat, jazz, funk e psicodelia, e resulta em músicas vibrantes e cheias de nuanças.





Aproveitamos a oportunidade e fizemos uma entrevista rápida com o Wash Souza, que também escreve neste site vez por outra. Mas o motivo da entrevista é pela sua função musical, ele é um dos integrantes da banda Eu Serei a Hiena, que toca no primeiro dia do evento. Coisa rápida, mas bem legal, sacai...

01. Como é tocar num evento de musica instrumental?! A hiena rola muito com bandas de hardcore e vocal, muda alguma coisa no set ou no público que seja perceptivel?!


então... a predominância dos shows é tocar com o pessoal do punk/hardcore, de fato, mas nosso repertório é bem maleável; nossas musicas foram feitas pra tocar primordialmente em versões instrumentais. os convidados em gravações deram suas interpretações vocais, mas segurando a base dos temas, um ensaio e alguns improvisos, elas podem ser facilmente moldadas e modificadas, não só pra interpretações sem voz, mas em tonalidade, suavizando em algumas versões e enfatizando outras, assim por diante. isso é uma coisa que temos feito há muito tempo, tanto que já me disseram que "o legal em ir num show do ESAH é que ele é sempre diferente do último". tem funcionado, hehe!

02. Qual a expectativa (trocadilhos a parte) de tocar fora de SP depois de um tempo parado?!


poh, tocar fora de casa, pra um pessoal que nunca nos viu, é sempre bom, né! tem um pessoal que nos chama pra tocar no Rio, por exemplo, há muito tempo, e mesmo sendo bem perto de São Paulo a gente nunca teve tempo, ou não se organizou direito pra isso. então pra essa galera que tava afim de ver, acredito que vai ser legal (vamos nos esforçar pra que seja, hehe). e pro pessoal que nem conhece também é sempre um prazer, ver as expressões pós-show dessa galera, que geralmente fica intrigada com essa vertente que a gente escolheu praticar. acaba sendo sempre uma boa surpresa. tomara que nessa seja também.

03. Ja vai rolar som novo?! Tão compondo algo... O público pode esperar alguma surpresa?!


estávamos compondo alguns sons no começo do ano, mas tivemos que interromper o desenvolvimento; nesse show vai rolar coisas dos dois discos gravados, com algo improvisado no meio... vamos ver o que conseguimos, né! hehe

04. Falando em Som novo, previsão de disco, ja tem?! Alguma info que possa adiantar?!


nada ainda. vamos ver o que rola até o fim desse ano; o lance é que, de repente, a gente pega e fala um pro outro "bora fazer esse disco!", e dentro de um mês, mais ou menos, os esqueletos de várias idéias estão prontos. depois é só moldar em alguns ensaios e pronto. foi assim que compomos os 2 gravados. pode acontecer no prazo de 2 meses. ou não.

05. Voces foram aposta MTV dois anos atras, como voces veem a cena instrumental brasileira atual?! Algum destaque na cena?!


me parece que vai de vento em popa! aparecendo cada dia mais bandas com essa proposta instrumental, mesclando estilos e ritmos, o jazz emergindo novamente, parece que mais acessível e mais compreendido... acho que o prórpio cenário mundial também contribui. ainda acredito na mesma coisa que diziamos uns anos atrás: a música que mescla estilos e que não tem uma voz, ela independe dessa coisa de "torre de babel", de regionalismo cultural falado (que eu gosto muito também, mas não vem ao caso). ela dá vazão SOMENTE pro som que sai dos instrumentos, e esse som é ouvido e interpretado de forma homogenea por qualquer pessoa. esse modelo integra músicos e estilos de todo o planeta. Labirinto, Burro Morto (que vai rolar nesse mesmo evento do Rio) e esse link Brasil-Chicago criado pelos Hurtmolde músicos de Chigago, por exemplo, são provas bem claras que esse estilo tá longe de ficar só como categoria "do momento" da MTV.








Mostra Instrumental Contemporânea
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Teatro Nelson Rodrigues (Av. República do Chile, 230, Centro. Próximo ao Metrô: Estação Carioca)

Datas: 10, 11 e 12 de junho de 2011
Hora: 19h30
Ingressos: R$ 8,00 (inteira) e R$ 4,00 (meia)
Informações: (21) 2262-8152/ www.caixa.gov.br/caixacultural

Você também pode gostar

0 comentários