"Antes a Cuca viesse pegar mesmo..."

por - 15:33



Acho que aquele discurso sobre os filhos serem uma bênção não cola mais. Vira e mexe alguma mãe abandona ou faz aleluia com o filho e joga ele pro alto, literalmente. Antigamente as pessoas se contentavam em ser pais ausentes e mães relapsas, mas não sei se essa questão tomou proporções tão grandes a ponto de chegar nesse nível. Nessas horas eu me pergunto se dez minutos de sexo valem mesmo tudo isso.

Quando eu era moleque, bem que eu fiz por merecer. Minha mãe podia ter me jogado do oitavo andar, podia ter me colocado num saco de lixo e poderia até ter me levado pra ver algum filme da Xuxa, mas ela resistiu a seus impulsos mais selvagens e me criou até chegar aonde cheguei. Quer dizer, ao menos eu não uso (mais) drogas e nem matei ninguém (ainda), o que hoje em dia, dá pra considerar como motivo de orgulho.

Sabe, criar um filho deve ser algo realmente difícil, mesmo achando que isso não é desculpa pra largar a molecada por aí. Mas se pensarmos bem, acredito que a pessoa que larga sua cria por aí sofre. Sim, deve sofrer. Nesses casos, todo mundo só vê pela parte da criança abandonada, mas nada deve doer mais para uma mãe do que ter que largar o filho, seja por qual motivo for. Aliás, nunca sabemos o real motivo das mães abandonarem seus filhos e acabamos por julgar erroneamente àquelas que o fazem.

No fim das contas, mesmo se seu filho te matar de desgosto, você não deve abandoná-lo. E digo isso da maneira mais politicamente correta possível. E digo isso por estar em liberdade condicional. Mas eis algo que vale a pena pensar: Do mesmo jeito que uma criança teme ser abandonada, um jornalista teme não ter uma história para cobrir, né, Sônia Abrão?

Você também pode gostar

0 comentários