"Prelúdio ao ódio - Aborto"

por - 12:49



Desta vez fiz diferente. Resolvi reproduzir um diálogo que tive com uma colega de faculdade há um ano e meio atrás. Os resultados deste diálogo dão nome à crônica. O diálogo foi levemente adaptado para que as pausas fossem mais curtas e os salmos da Bíblia fossem cortados.


(...)

- Welker, qual a sua opinião sobre o aborto?

- Deve doer... pra criança, claro.

- Mas você é a favor ou contra?

- Não acho que faz muita diferença eu responder.

- Por que?

- Porque eu não tenho um útero. Não dá pra dizer se eu aprovo ou não algo que nem diz respeito a mim.

- Não dificulte as coisas... você acha certo ou não?

- Não sei dizer. Por que seria errado?

- Você sabe o que é um aborto?

- Sei. Você sabe o que é errado?

- Sei. Por isso perguntei se você acha errado.

- E por isso perguntei se você sabe realmente o que é errado.

- E o que tem a ver uma coisa com a outra?

- É exatamente isso que eu quero descobrir.

- Ah, esquece... mas se você fosse mulher, acharia certo abortar?

- Hum... teoricamente não.

- Como se aborta teoricamente?

- Quando você me perguntou se eu sabia o que era um aborto, achei que você soubesse também...

- Mas eu sei o que é um aborto, só não sei como se aborta uma feto na teoria.

- A vida de um feto já é a teoria em si.

- Como assim? Se foi fecundado, já está vivo!

- Não sei... a ciência prova isso?

- Não sei... mas também tem o lado religioso. Se Deus fez fecundar, era pra nascer.

- Engraçado como nessas horas todo mundo resolve ouvir Deus, né?

- Oi?

- Nada.

- Então quer dizer que você não abortaria?

- Teoricamente não.

- Por que?

- Simples. Se eu soubesse que quase fui abortado, peidaria na cara dos meus pais toda noite. Se tratando de um filho ou filha, há uma certa chance de rolar essa idéia também.

(...)

Você também pode gostar

1 comentários