"Numa juventude não muito longe da que conhecemos"

por - 19:42


Hoje pela manhã quando estava escrevendo esta crônica dominical, cujo tema era absurdamente oposto ao que se seguirá, li uma notícia que mudou completamente meu dia. Fred Durst, o pai de todos os “gordinhos dark” que infestaram e infestarão o universo, vai estrelar uma sitcom sobre sua vida.  Isso tem potencial, hein. Essa eu até PAGO pra ver!

Lembro-me da tenra adolescência, onde rolavam vários shows de bandas de nu metal nas casas de show medianas de São Paulo. Leia-se por casa mediana de show, casas podreiras que fizeram a adolescência da molecada com seus shows que seguiam um padrão chinês de venda de ingresso. Explicando rapidamente, as casas de show abriam espaço pra bandas, mas faziam-nas  vender uma cota de ingressos e sem dar nenhuma porcentagem pra molecada que vendia os ingressos.

Quem se lembra do Ska Rock, Cerveja Azul, Tribe House, Satva I e II, Blackmore, Manifesto e tantas outras, que ou cresceram ou ficaram ainda menores, por favor, compartilhem este momento saudosista comigo. Lembro bem do naipe das bandas, que eram cheias dos famosos “gordinhos dark”. Este é um termo que remete ao famoso gordinho que se achava muito mal por usar roupas pretas e ouvir bandas que seguiam o mesmo padrão. É impossível que só eu tenha vivenciado toda essa experiência nefasta de jovialidade.

Hoje em dia todos aqueles “gordinhos dark” que existiam viraram fãs de metalcore. A roupagem deles não mudou muito, exceto pela gordura, que se transformou em feminilidade. A diferença é que praticamente todos substituíram o Limp Bizkit pelo Avenged Sevenfold. E que fique bem claro, eu não me acho melhor do que nenhum desses que citei. Até porque apesar de achar o Fred Durst um babaca, ainda consigo rir muito com ele. E por ser uma pessoa muito saudosista, de vez em quando me pego ouvindo os clássicos dessa adolescência que passou e que não voltará, a menos claro que eu tenha síndrome de Peter Pan.

Mas se tratando da tal sitcom, esperarei ansiosamente. Nunca fui fã dessas séries novas, quem sabe essa me atraia atenção. Sou do tempo de Buffy, Angel, The Fresh Prince of Bel Air, Friends. Essa época era boa. Hoje em dia temos que aturar a galera que assiste Big Bang Theory e acha que entende de comédia. Como se já não bastasse a galera que ouve Zeca Baleiro e acha que entende de música.

Você também pode gostar

0 comentários