Duas perguntas com o artista Raul Luna (ou o Pinguim do Inferno)...

por - 15:15


O pernambucano Raul Luna é o que se pode chamar de multiartista. Falo isso com propriedade de quem tem acompanhado de perto todo o caminho artístico do designer desde os tempos dele como estudante de arquitetura. Raul esteve envolvido em diversos projetos na cidade do Recife, foi (ou ainda é): cineasta (fez parte da Trincheira Filmes, assiste a egolombra Eisenstein), Dj, VJ, arquiteto, desing, músico, produtor, etc. A imagem acima remete a um desses períodos e a uma característica onipresente em todos os momentos e trabalhos desenvolvidos por ele, sempre tentar inovar e se diferenciar no meio. A Tv Primavera era um combo multi-artístico audio-visual encabeçado por representantes de diversas áreas e locais do Recife que tinham uma sincronia no mix de ideias e piadas internas (isto é uma constante) com a "cena" pernambucana. Nela, Raul e comparsas desenvolveram invasões expressivas de artes de maneira independentes em locais específicos da cidade (como galerias, cafés e cinemas) e até em eventos organizados como o SPA das Artes. Fora isso, Raul é responsável pelo topo e identidade (formato e artes) deste site e dos dois blogs do Hominis Canidae, além de ter realizado umas das artes de nossas coletas mensais.





No ano de 2011, Raul Luna ja deixou algumas marcas, ele é responsável pela arte dos discos dos pernambucanos Bande Dessinée, Tibério Azul e China. No mês de Setembro o camarada inovou mais uma vez ao lançar uma exposição onde ele tenta (e consegue) apresentar o Design realmente como um tipo de arte (abstrata ou não). Realizou a exposição "LAVA: Posso Trocar Minha Janta por Ração Humana?" em locais como São Paulo, Belo Horizonte e desde o mês de setembro a mesma se encontra em exposição no Centro de Design do Recife. Na época da abertura do evento, enviei duas perguntas básicas sobre a exposição com intuito de divulgar a abertura da mesma, mas como aqui nada é 100% profissional e o camarada tava numa correria monstra, as perguntas foram respondidas após a abertura da mesma e se perderam no limbo de emails. Porém, a exposição fica por lá ate o dia 25 de Novembro, então ainda estamos em tempo, seguem as respostas para as duas perguntas que não querem calar....







De onde voce tirou a inspiração pro lava?

O projeto começou como uma tentativa de pensar minha atuação como designer gráfico de uma forma mais livre, sem relação à uma demanda previamente solicitada. Eu decidi no ano passado fazer uma exposição, cujo conteudo simbolizasse o que eu considero ser a essencia do meu trabalho... Passei a trabalhar com esse tema de origem, simplicidade e crueza. O nome lava vem disso, do elemento da origem, que nao necessariamente é bem resolvido ou bonito, mas é o start da coisa toda, do pensamento, conceito, etc. Penso também nessa metáfora da rocha como um momento posterior da sedimentação da  lava como algo associado ao stablishment ou mainstream. Boa parte do material que tá exposto é feito de esboços e desenhos nao terminados, material que eu compilei durante um ano e foram reestruturados para a exposição.




Quem são os seus designers preferidos?

Po, eu acabo tendendo a gostar bastante de artistas plásticos que possuem um trabalho proximo do design gráfico, até tipograficamente falando, mas que aparentemente ainda nao se assumiram como designers, ehehehe. Dois caras que eu admiro bastante são Fernando Peres e Cristiano Lenhardt, ambos tem um trabalho de grande bom gosto mas também de desprendimento, o que eu acho muito legal. Fui muito influenciado pelos coletivos recifenses ativos nos anos 90 e 00 como Submarino, Carga & Descarga, um bando de artista bom convivendo e criando arte junto... Isabela Stampanoni, Renata Faccenda, Dani Brilhante, Flavio Emanuel, Renata Pinheiro...

No mundo do design gráfico propriamente dito, gosto muito do trabalho do Carlos Fernando Eckhardt, que é um designer de uma geração anterior à minha, com o qual eu tenho uma grande identificação em ideias. Espero que façamos algum trabalho juntos.



Agora você chega por lá pelo Centro de Design pra pirar, presta atenção nos textos (randômicos) expostos em todos os locais possíveis, além das imagens. Aconselho ate levar uma grana pra comprar uma das belas bags ou camisas (sempre em preto ou branco).


Serviço:
Exposição “LAVA: Posso trocar minha janta por Ração Humana?”
Onde:
Centro de Design do Recife - Pátio de São Pedro, Casa 10, Bairro de São José.
Visitação:
De segunda a sexta, das 9h às 17h
Até o dia 25 de Novembro, Acesso gratuito
Informações:
3355-3148

Você também pode gostar

0 comentários