"Na dúvida, marque C"

por - 18:36


Final de ano tem sempre as mesmas coisas rolando. As lojas vendem até o que não tem pra negada poder consumir dinheiro que não possui e fazer dívidas que vai pagar pelo resto do ano que vai vir, vai chegando a pior época do ano, que é quando todo mundo treina a falsidade pra virada do ano sorrir pra você segurando uma faca pelas costas e claro, a molecada quase parindo por causa do vestibular. A galera pressiona demais a molecada a estudar muito pra fazer essa prova no final do ano. Talvez se incentivassem os estudantes como incentivam agora em todos os meses do ano, não precisássemos pilhar tanto os juniores agora. Ou eles já estariam sobrecarregados bem antes disso. Mas é a vida. Gente ficando maluca por um ideal, certo? Provavelmente não.

Eu fiz vestibular. Não preciso nem dizer que não passei, né? Ainda que seja quase irônica a idéia de que meus pais tenham me feito numa rapidinha, eu não sou do tipo que passa muito tempo fazendo a mesma coisa. Principalmente se esta coisa é estudar, ainda mais se for pra ter uma boa vida. Pra fazer o vestibular, não estudei muito, não sabia nada sobre as matérias, não conhecia a prova, não sou japonês. A sorte não estava do meu lado. Nunca esteve, mas nunca contei muito com ela. Hoje eu conto com apenas uma coisa: com o apoio maravilhoso de uma universidade particular, que reconheceu meus dotes acadêmicos... em pagar religiosamente as mensalidades.

Por favor, não pensem que sou mais burro ou menos inteligente que a média por isso. Tem uma galera que se cobra demais por uma equação tão cruel, que é: Preparação exagerada + pressão da família, amigos e mídias sociais = aluno retardado que se passar na USP, vai querer fumar maconha o dia inteiro pra aliviar a pressão. Nada contra quem fuma maconha e é da USP, mas convenhamos que lutar pelo direito de fumar maconha na faculdade é complicado. Para isso sempre teremos as ruas escuras, os parques e praças desertas e os shows do Teatro Mágico (aliás, para alguma coisa eles servem).

Mas é sério, não valorizem tanto um lugar a ponto de tentar entrar nele mais de três vezes, a não ser que este lugar seja um banheiro. O que faz a faculdade não é o nome dela e muito menos a quantidade de asiáticos que ela têm, mas o desempenho de você, aluninho, antes, durante e depois dela. Entrar numa faculdade X não quer dizer muita coisa hoje em dia. Até porque tá todo mundo desempregado junto...

Você também pode gostar

0 comentários