A Nova Luz e o quanto o Kassab quer que você se foda

por - 15:14



Você pode não morar em São Paulo e nunca ter vindo para cá, mas ao menos já ouviu falar do projeto, daquele senhor legal, Gilberto Kassab, que visa detonar o bairro da Luz e imediações. O argumento usado pelo prefeito é que isso acabaria com a Cracolândia e revitalizaria o local. Balela. Foi implantado um mesmo projeto no Largo da Batata, em Pinheiros e o lugar continua uma merda. Continua sujo, o número de assaltos aumentou com a chegada da estação Faria Lima, as ruas continuam escuras e as prostitutas ainda estão lá (e eu realmente fico feliz por isso).

Saiu um documentário feito pela produtora Left Hand Rotation, com depoimento de moradores, arquitetos e até uma mina da ONU, explicando o que exatamente é isso e os interesses envolvidos. A região, segundo mapas e pesquisa do documentário, sofreria uma demolição de 33% de sua área total, além de ignorar comércios que estão lá há muito tempo e que possuem uma história por ali.

Apenas para deixar um pouco claro: a Nova Luz é uma espécie de higienização do lugar, a ideia é deixa-lo nobre e expulsar do centro, sim, tirar a força, todas as pessoas que vivem ali, de baixa renda aos moradores de rua e fazer daquilo, um local chato, sem história e com pessoas de caras pálidas, sem sexo pelas ruas, sem o “psiu” característico do lugar, sem as famílias, os movimentos sociais que têm certa força e tudo o que aquele local tem a oferecer e vai por mim, é muita coisa além do crack e do sexo.

Bom, pararei de encher o saco e deixarei o vídeo para vocês assistirem e tirarem suas próprias conclusões, mas vai por mim, o Kassab é um grande filho da puta.




LUZ - Left Hand Rotation

Você também pode gostar

1 comentários

  1. SANÇÃO À DITADURA: Kassab declarou que irá fazer uma obra irreversível em uma área em litígio sobre a qual não há qualquer sentença publicada nas diversas e diferentes ações judiciais; foram julgadas somente liminares quanto a alguns aspectos da legislação; cada ação analisa aspectos diferenciados que devem ter seu mérito julgado pelo poder Judiciário – antes de viabilizar qualquer projeto urbanístico. O Tribunal se preocupa que a prefeitura já gastou R$ 15 milhões e não se preocupa que a prefeitura gastará R$ 300 a 600 milhões para a especulação imobiliária lucrar. O Tribunal equipara simulacro de audiências publicas, onde a prefeitura responde a questões sobre o projeto Nova Luz como um papagaio sobre o que já está escrito no mesmo projeto Nova Luz, com a “participação popular” agora sancionada; ainda mais, substitui a falta de participação popular prévia na lei especifica 14.918 de aplicação da concessão urbanística no bairro Santa Ifigênia, nascida no mesmo dia e na mesma hora da lei 14.917 geral, ao simulacro de participação posterior na lei ilegalmente promulgada, ou seja, aceita a ilegalidade de que mãe e filha nasçam juntas – assim restringindo drasticamente os limites da real participação em farsa de “participação popular” posterior. A sanção do Tribunal aos malfeitos do executivo e do legislativo nada mais é que a promulgação da ditadura paulistana onde todos não mais terão direitos à moradia, ao trabalho e à propriedade na cidade; àqueles que acreditam que isso só acontece aos outros, saibam que tal fato se concretizará na cidade inteira através do plano SP2040 que está pipocando por aí.

    Suely Mandelbaum,urbanista

    ResponderExcluir