Baixem a coletânea Alagoas Baixa Fidelidade 1 do Coletivo PopFuzz

por - 15:14


Saudações fãs de blogs de download de música alternativa, experimental e tudo o que não está tocando com o Michel Teló (ícone da música brasileira, sem ironia). O pessoal do Coletivo PopFuzz lá de Alagoas começou a montar uma coletânea que circulará com periodicidade, a primeira tem o nome sugestivo de Coletânea Alagoas Baixa Fidelidade 1, baixa fidelidade não por ser ruim, na tradução literal do termo gringo lo-fi, consolidado pelo Guided By Voices lá no final da década de 80. Os artistas são locais, um pessoal que circula por lá e criam músicas dentro de casa, sem gastar tanta grana assim e disponibilizam na net, tanto que a maioria dos artistas tem discos disponibilizados por eles nos bandcamps da vida, num zip circulando pelo mediafire e claro, no Hominis Canidae.Tem muito som legal, rolou até o lado artístico do Bruno Jaborandy que escreve na coluna "O que eu leio e o que eu faço", aqui no altnewspaper e eu não conhecia essa faceta do Bruno, fiquei até surpreso.

A sonoridade mescla tudo o que a cidade tem a oferecer: post-rock, lo-fi, folk, eletrônico e até noise, para mostrar que ali não é a personificação do rancor e que a cena não vive em cima de algo (bem como Recife, ok, Capilé?).



Capinha da coleta, psicodelia total

Abaixo vocês irão sacar todas as bandas que participaram, com um release sobre cada uma, apresentando ao ouvinte o que eles têm a oferecer. Bora parar de enrolação e dar uma saca nas músicas que os caras gravaram e estão ai embaixo, para download gratuito.



Bad Rec Project é Caíque Guimarães, como muitos já devem saber por aqui e entre outros campos da mídia, o cara também faz parte da banda Baztian assumindo a guitarra e vocal, um dos cabeças do trio. Com dois discos já lançados pela Popfuzz e o selo liderado por Lê Almeida da Transfusão Noise, lá do Rio de Janeiro, Caíque vem representando fortemente a cena ‘’low-fi’’ de Maceió desde quando lançou seu primeiro album intitulado de ‘’A Pack Of Cigarettes For The Midnight Trap’’ em 2010, contendo 20 faixas gravadas em sua própria casa que, por sinal, é uma beleza de disco pra se ouvir em qualquer lugar que você esteja.


















Mario The Alencar
é baixista e vocal da Flowed, assumindo o papel de ‘’frontman’’ na banda ele tem um projeto solo sem muito compromisso pra passar um tempo dentro de casa. Com 5 discos virtuais até agora, 3 EPs e 2 albuns independentes, o último a ser lançado ‘’Songs For The Crap’’ incluindo 13 faixas no natal de 2011, saindo em um acervo de blogs. Mário tem a compulsão de mudar em cada trabalho a sua sonoridade, folk, dream pop, noise pop, shoegaze, experimental. Enfím, muita bipolaridade tu vai encontrar aqui Soundcloud.




Katty Wine surgiu no fim de 2009 com o EP ‘’Super Universe’’ e ano passado ela lançou duas músicas elogiadas por muitos na cena: Tchutchutchururu e We`re Falling In Love, ambas na tradição do indie pop lo-fi pegajoso que estará no seu segundo EP chamado “Molly Gun”, no próximo mês. Winne também é integrante da banda shoegazing Slowdrop junto com Mário Alencar.



Black Jeans My Dear é o projeto solo de Bruno Jaborandy. Ele faz um folk cantado em português e inglês, com longas letras intimistas, influenciado pelo folk tradicional e pelo folk indie de Bright Eyes e Owen. Por enquanto, Brunão só lançou um EP de 5 músicas, “Primeiro”, que pode ser comprado na banquinha da Popfuzz.




Sticky Garden são três rapazes legais fãs de rock 60s e de indie pop: Gabriel Passos na guitarra, Henrique no baixo e Felipe Soares na bateria. Em 2011, fizeram muitos shows divertidos e cheios na capital e um elogiado na Semana da Música em Arapiraca. Ainda ano passado, lançaram o EP “Dizzy” e começaram agora a pré-produção do próximo disco.





A My Midi Valentine lançou em 2011 provavelmente o disco mais comentado de Alagoas, depois do disco do Wado. “The Fall of Mesbla” foi aclamado em todo lugar, de blogs a jornais, com os hits “Angelica Bella” e “Hammer” tocados no Festival Capacete Subsolo, no Rio de Janeiro e no Domingo na Casa Fora do Eixo em São Paulo. Atualmente Marcos Cajueiro e Tales Maia estão em turnê pelo Nordeste, com 12 datas e muita chinfra.




Cross The Breeze é formada por Kayê Holanda (bateria/voz), Pablo Perez (baixo) e Smhir Garcia (guitarra). Atualmente, depois de 2 ou 3 tentativas frustradas de gravar um EP, a banda se encontra em hiato por saudade do baixista. Abriram pra o Macaco Bong e pro Neon Night Riders em 2009 e em 2010, dentre outros shows barulhentos, tocaram no Festival Maionese (entre Lê Almeida e Super Amarelo) e no Grito Rock de Arapiraca. Ouça os fantasmas do EP “Oceak Leak”.




Flowed em meados de 2011 o trio Mário Alencar (baixo/voz), Leonardo Santiago (guitarra) e João Victor (bateria) formaram a banda. A Flowed lançou o seu primeiro registro no fim do ano passado, o EP ‘’Flow’’, já muito bem criticado em vários cenários, o cd foi nomeado ‘’Um dos melhores discos nacionais do ano’’ segundo o site Floga-se, e estão prestes a fazer sua primeira apresentação mês que vem pela Popfuzz.




Kidnap K é o projeto solo de Kayê Holanda, com produções eletrônicas no Fruity Loops crackeado, aprendido na raça, desde 2008. A sonoridade varia entre trip hop, dark ambient, synth pop e um pouco de IDM. Você pode baixar os 5 EPs já lançados em seu Last.fm e checar seu Soundcloud.




Awake In The Dew é projeto de Diego Henrique, já foi muito cultuado na cena eletrônica de Maceió sendo DJ na década de 90 discotecando seus trabalhos autorais. Awake In The Dew surgiu em 2005 e já há uma penca de discos gravados, no máximo uns 8 albuns e uns 5 EPs, e está prestes a lançar o próximo ainda neste ano. O ‘’Love Us Invisible Secrets Alarms’’ vazado em 2008 é um dos discos mais legais do cara em meu ponto de vista, e você segue aí o download da versão extendida lançada no ano passado. Pra quem gosta de Boards Of Canada, Autechre, Aphex Twin e muita loucura experimental, é vibe cheia.




Dot Place Everton Dimoni é o responsável por este projeto tecnológico, progressivo, psicodélico e cheio de camadas atmosféricas em suas composições. Você irá ‘’nostalgiar’’ algumas viagens do Pink Floyd em seus 2 albuns já gravados, o ‘’Switched On Disturbs’’ de 2007 e o ‘’Orange Sounds’’ de 2008. Ninguém sabe por onde anda Dimoni, esperamos que essa coletânea sirva de incentivo para que o rapaz continue o projeto.




Lembraille é Felipe Soares, baterista da Sticky Garden, fazendo arte no Fruity Loops, um tanto minimalista e bastante influenciado por música eletrônica, você pode conferir o resto das músicas do EP ‘’From Bad to Worse’ no myspace que ele mantém desde o ano passado.




Plumarino é Mário Alencar (guitarras) e Diego Henrique (programações/sintetizador) trazendo uma sonoridade bastante caótica. Minimalista, shoegazer, drone, e muita porrada de distorções agonizantes e batidas da IDM, o primeiro trampo do duo já foi lançado independente ano passado, o album ‘’Senseless’’. O projeto foi criado por Mário gravando apenas umas guitarras barulhentas com melodias tristes em sua casa, e logo depois chamou Diego para fortalecer o lance e, aí, o resultado tu ouve baixando o disco depois.




Don Gizmo é o Nando Magalhães slow-rockeando via samples e programação eletrônica. O EP “Teste #1” lançado pela Popfuzz Records em 2009 tem forte influência de post rock, música ambiente e eletrônica. Apesar de todos pedirem um show, Don Gizmo nunca se apresentou ao vivo.




Hûl é o projeto solo de Smhir Garcia, que transita entre o post rock, o doom metal e o ambient em produções caseiras que servem, mais do que qualquer coisa, como válvula de escape. Tem influências de Boris, Earth, Explosions in the Sky, Sigur Rós, Boards of Canada e Ulver. AMT serve como aperitivo pro EP Blank/White que vem aí.

Você também pode gostar

1 comentários