"O efeito sexta 13"

por - 18:16



Tivemos uma recentemente. Nada de tão especial assim, exceto pela babaquice que eu não via desde quando eu tinha 8 anos sobre azar e gatos pretos. Nunca achei que as pessoas fossem tão supersticiosas, mas parece que assim como o patriotismo em época de copa e o antipatriotíssimo em época de eleição, essas coisas se afloram do âmago da alma. Comovente, né? Não sei, talvez tolice.

Sou um pouco supersticioso, devo admitir. Acredito que por não ter religião, acabo escapando por essas vertentes ainda mais inexplicáveis que uma entidade divina que me assiste como um filme da Sessão da Tarde, do qual ele conhece bem e já sabe como vai terminar. Acho até que é mais fácil acreditar em sorte que em religião as vezes, ao menos é o que eu percebo das pessoas no geral. Como quando você acha dinheiro no bolso e a outra pessoa fala “uau, que sorte” ao invés de “aleluia, senhor!”, a não ser que o dinheiro achado vá pro dizimo, mas enfim, não quero entrar nesse mérito.

O que faz a sexta 13 ser tão especial mesmo? Não acredito que tenhamos chegado a esse ponto na bobeira por causa daquele filme do Jason. Ok, talvez tenha sido um filme importante pra alguém, mas não foi pra mim. Filmes americanos de terror sempre foram bons em ser patéticos, mas devem ter sua relevância pra sétima arte. Filmes japoneses são bons. Aliás, os asiáticos se superam em MUITAS coisas. Quem me conhece mais profundamente, sabe que falo em todos os sentidos mesmo.

Olhando rapidamente no calendário, temos mais duas sextas feiras 13 chegando. Só quero ver se todo mundo vai agir da mesma forma que agiu nessa. Sinceramente, acho que o natal é mais assustador que uma sexta feira 13. Imagine um monte de gente que fala mal de você te admirando e te cumprimentando por ser a pessoa maravilhosa que você não é para eles. Não é assustador? Ou ainda pior: imagine uma data onde as pessoas entregam ovos feitos de chocolate umas para as outras. Ou o apocalipse das datas nefastas, imagine um dia do ano em que várias pessoas se reúnem para ouvir o Teatro Mágico. Só de imaginar, sinto calafrios.


Você também pode gostar

0 comentários