Top 5 Admirável Mundo Novo.

por - 12:12



olha, não sei se essa parada de 2012, calendário maia, caos iminente e o cacete de rosca tem algum fundo de verdade, mas uma coisa dá pra afirmar: 2011 foi a véspera do fim-do-mundo. aahhh foi!! esse mundão virou do avesso e deu um nó na cabeça de grande parte da população mundial que ainda não havia caído a ficha do tamanho do caos, da beirada de precipício qual essa organização humana "proto-himenóptera" inevitavelmente caminha para.

então ok. eu saudávelmente procrastinei um pouquinho, deixando pra depois do ano novo (e depois da ressaca monstruosa que me abate sempre após a festiva passagem de ano) pra fazer minha lista de 2011. a típica "enrolada" acabou servindo pra alguma coisa: notei que muita gente, em suas recomendações e oferecimentos sobre o próximo ano que começa, demonstrou suas reais opiniões sobre o ano que passou, principalmente via redes sociais. e a média não foi lá muito animadora.

muita gente odiou o ano que passou; ou encontrou muitos problemas pelo próprio caminho, ou visualizou no contexto geral, analisando socialmente cada fato ocorrido isoladamente, enfim, mas a média de ânimo foi bem baixa. eu digo que 2011 foi um ano bom. não só pelo meu ponto de vista particular, que de fato, não tive do que reclamar, tendo em vista que nunca almejei uma vida abastada e espalhafatosa, mas ao menos grana pra pagar as contas, comer por aí e encher a cara, isso não faltou!: então pra mim foi bom.

mas digo que 2011 foi um ano bom, porque algo (uma sequencia de fatos) aconteceu. algo que despertou a consciencia das massas, algo que fez essa massa pensar e trabalhar juntas novamente, depois de décadas de monotonia social e de uma isolada reclusão consentida, o individualismo de cidade grande.

sinceramente gosto de pensar que esse é o final de uma era que se tornou arcaica e insípida em várias ramificações - política, social, comportamental, economica, educacional, cultural... o único problema é que ainda não enxerguei uma luz no fim do túnel, no contexto todo. não há grandes sinais de uma mudança significativa, já que muita gente tem se colocado bem puto com a situação toda, mas estamos todos como barata-tonta-pós-rajada-de-inseticida: um enorme queijo na mão sem nenhuma faca pra cortá-lo. de qualquer forma, estão (estamos) tentando.

eu até que gostaria de fazer esse meu Top 5 uma coisa mais light, mais zen e tal, falando sobre música, cinema, livros e tv; mas diante dessa catarse coletiva iniciada nesse conturbado 2011, não tenho como ignorar os fatos: deixo o deleite cultural para meus companheiros colaboradores desse espetacular e-zine (como vocês podem acompanhar nas últimas postagens, eles têm dado conta da empreitada com louvor)

portanto, vamos lá para o TOP 5 ADMIRÁVEL MUNDO NOVO:


1. twitar "xingando muito" e "não curtir" no facebook - taí uma coisa que não se esperava de forma alguma há 10 anos atrás: a importância da internet na comunicação moderna. isso pode parecer ridiculamente infimo e particularmente cretino, principalmente se usado sim de maneira incorreta como a maioria usa. mas de fato foram esses mesmos veiculos comunicativos que proporcionaram a REAL COMUNICAÇÂO entre os fatos e o mundo, livrando o intermediário atravessador da comunicação verbal entre governo e população chamada IMPRENSA CORPORATIVISTA, que moldam as informações e insere medo e falta de perspectiva na população; servicinho grosseiro prestado ao Estado, o qual aparentemente tiveram seu "muro de Berlin" derrubados. culpa da internet.




2. a "primavera árabe".povo sainda às ruas para exigir seus direitos. policia violenta e obstrução de informações. ditadores milenares depostos, alguns mortos pelas mãos do próprio povo, exemplo de Mohamar Ghaddafi. e o que mais chama atenção: nos países de ascendência islamica, um povo que não costuma desobedecer as leis internas, principalmente quando essas leis são baseadas em citações sagradas. aí fomos surpreendidos novamente!



3. Marcha da Maconha e a receptividade policial, que gerou uma outra marcha MUITO MAIOR somente em resposta do direito de pura e simplesmente protestar. despertou também uma sequencia de outras "marchas", que por pouco não atingiu status de virar piada de si próprio.






 

 

 

4. Guy Fawkes e o movimento Occupy. bom, por essa o Alan Moore, não esperava nem a pau. mesmo porquê o que ele sempre espera é que NUNCA adaptem suas obras para o cinema, mas ele não tem muita escolha nunca, poruqe suas obras foram vendidas e não são mais suas. mas isso é outra estória. a estória mesmo aqui é que quase 10 anos da mascara de Guy Fawkes ir parar no cinema, e quase 30 anos depois de Alan Moore dar sua aula de terrorismo poético em "V for Vendetta", sua criação tomou vida, e saiu nas ruas fazendo seu papel, nos movimentos Occupy pelo mundo, na cara de hackers ativistas, crianças, velhos, estudantes e gente que prefere que tudo mude.



5. Banksy e Annonymous: o cyberpunk é botado à prova,na especulação mais direta e ativa possível: FAZENDO as coisas. os caras não mandam recado, eles vão e fazem. espero sinceramente não estar enganado sobre esses dois exemplos - entre outros. o "ato de caridade" promovido pelos Annomynous, na véspera do natal, onde vestiram a capa e espada de um Robin Hood futurista distribuiram dinheiro de instituições bancárias e figurões da politica americana, para assitencias de saúde, asilos, etc. atos como esse faíscam realmente uma esperança efetiva de que alguma coisa mude, que que as pessoas se influenciem e que deixem de lado os velhos dogmas que só atrapalham o inefável caminhar do homem. essa caminhada pode ser longa e proveitosa ainda, se alguns desses muros forem derrubados definitivamente. mas se não... então prepare seu estado de espírito pra a shitstorm coming up.

PS: só pra constar no geral cultura, vá!






DISCO: Metá Metá / Bixiga 70. fiquei entre 2 discos brasileiros esse ano, primeiro porque são realmente petardos da sonoridade nacional moderna. e segundo porque o som gringo em 2011, com excessão do The Whole Love do Wilco,  foi dificil engolir o resto...


TV: Walking Dead não engatou esse ano. fez tantas mudanças no enredo que acabou ficando irritante. até o produtor original pediu as contas. meu voto vai pras assombrações estilo Gasparzinho do American Horror Story, e a estória cabulosa do independente Pioneer One. esse promete! nosso serial killer preferido Dexter, em sua sexta temporada, também deu boas continuidades nesse quesito.



GIG: peguei alguns poucos shows recompensantes nesse 2011, ano que o calendário previlegiou quem tinha maior poder aquisitivo, afinal desembolsar 500 dinheiros pra um show não é pra qualquer um que ganha um salário, né. aliás, esse ano também os brasileiros "descobriram" o som gringo né, de acordo com o "jênio" e ex-ídolo Perry Farrel. é de fuder mesmo... depois sulamericano que é inculto e primitivo! uhum! senta lá, perry. Meu preferido de longe foi o sincero e contagiante show que o Superchunk fez pra meia dúzia de fãs de verdade em Mogi, na Virada Cultural Paulista. ô banda pra não envelhecer, viu, putaquepariu! lavou a alma! fez valer a pena ainda gostar de rock. outros muito bons: Matts Gustafsson e Hurtmold no SESC Pompéia, Sonic Youth, Faith No More e Down no SWU, D.R.I. no Carioca Club, a banda paulistana Noala no Kool Metal Fest, The Bad Plus também no SESC Pompéia, qualquer show do Test no meio da rua, o saudoso Gorilla Biscuits no Carioca também, Limp Wrist no CCSP... nesse quesito, tanx 2011.





CINEMA: fui pouco esse ano: a falta de tempo me levou a assistir mais filmes no computador do que na telona, infelizmente. Woody Allen salvou o ano novamente com seu "Meia Noite em Paris". a idéia básica do filme "limitless", com o mais novo estandarte de hollywood Bradley Cooper, foi bem bolada. o filme não é lá essas coisas, transbordante de clichês e aquelas cenas de ação e romance que fodem qualquer filme. mas quebrou o galho. e a arte de chocar as pessoas alcançou um novo patamar, com "A Serbian Film". ganhei mais tempo com os velhos film makers clássicos, admito.






e o vídeo da internet que eu mais vi esse ano: acho que assisti, sei lá, umas 300 vezes esse garoto falando isso...

Você também pode gostar

0 comentários