Criolo, Stomp e Versu2 fazem shows memoráveis em Salvador

por - 16:15


O encerramento do Digitália(festival/congresso de música e cultura digital) foi realizado em grande estilo, neste domingo (05), com um show no clássico palco da concha acústica do Teatro Castro Alves, em Salvador. Os ingressos foram trocados por livros infantis e a escalação do show contou com Soundsystem Afrofuturístico, Stank, Versu2, Stomp Stage Experience e Criolo.O domingo era de tensão na capital baiana, devido à greve da Polícia Militar que já havia provocado o cancelamento de quase todos os eventos culturais do fim de semana. Felizmente, o Digitália conseguiu resistir, agilizar segurança no local e salvar o dia das cerca de cinco mil pessoas que foram conferir os shows.


Stank


Não cheguei a tempo de conferir o Soundsystem Afrofuturístico, primeira atração do evento, capitaneada por DJ Riffs e Edbrass. Dado o conhecimento de causa que esses dois nomes possuem se tratando de música africana, quem perdeu fui eu. A segunda atração foi o Stank, projeto composto pelo DJ Dolores e o guitarrista Yuri Queiroga. O duo faz um som bem experimental e de qualidade, sem soar erudito demais e, mesmo parecendo meio alheios ao público, conseguiram agradar a galera que ia chegando e lotando aos poucos degraus da concha acústica.


Versu2

A Versu2 trouxe para o Digitália o show Apresento Meus Amigos, baseado no EP que lançaram o ano passado e que, como sugere o título, não se resume apenas aos dois MCs e DJ que compõem o grupo. O palco foi tomado por uma barreira com alguns dos nomes mais representativos do cenário baiano. Eram eles: Daganja, Fall, OtraVidda, Diego 157, Haggar e Yuri, que se juntaram a Versu2 para fazer um show certeiro, daqueles que quando acaba você fica tipo “já?”. Vale destacar também a presença do ativista Hamilton Borges com uma performance que chamou atenção para a situação problemática em que Salvador se encontra. Se havia alguém ali pensando que o rap não é mais aquela música de meter o dedo na ferida, deve ter se assustado. Parece que esse foi um dos últimos shows da Versu2. Se o grupo realmente encerrar suas atividades, vai ser com mais uma missão cumprida: levar novamente ao palco da concha o rap de qualidade feito na Bahia.


Stomp Stage Experience 


Na sequência, direto de New York, o Stomp Stage Experience retornava a Salvador com um show arrebatador. O grupo percussivo muniu-se de suas latas, palmas, botas e vassouras para deixar impressionado o público da terra mais percussiva do Brasil. Confesso que poucas vezes me surpreendi tanto com uma apresentação. Além da sonoridade que eles conseguem tirar desses instrumentos inusitados, as coreografias e a energia e interação dos componentes no palco contagia. Não precisaram de quase palavra nenhuma para fazer um show incrível.


Criolo


Atração mais aguardada pela maioria, Criolo foi recebido por uma concha lotada cantando os versos de Mariô, música que abriu o show do paulistano. Nó na Orelha é um disco de qualidade indiscutível, mas o que surpreende é ver como no show o MC cantor e sua banda conseguem melhorar ainda mais músicas como Subirusdoistiozin, Lion Man e Grajauex, com certeza pontos altos da apresentação. O repertório foi composto por todas as faixas do disco de 2011, algumas novas e o “flashback do Grajaú”, Vasilhame. Ainda rolou espaço para umas novas, a emocionante versão de Cálice, parte da música recentemente gravada com o Ilê Ayê e a declamação de uma letra/poesia que lembrava a situação triste de Pinheirinho, Favela do Moinho e Pelourinho. Ficaram devendo algumas do Ainda Há Tempo, mas podem ser perdoados tranquilamente. Afinal, Criolo e banda cometeram um show que com certeza vai estar entre os melhores que Salvador presenciou em 2012, tiveram a responsa de chegar e garantiram seu retornex.


Confira abaixo mais fotos dos shows:













Você também pode gostar

0 comentários