CURTAS (ou como se sair de bloqueios de escrita)

por - 16:13


 
tenho sentido um certo "emperro" ultimamente pra escrever porcarias em geral. vou tentar explicar, apesar de não saber se me farei totalmente compreendido. acho que tem a ver com aquela parada do "inconsciente coletivo", saca? não? hm.... acho que o bruxão Alan Moore explica isso melhor no trecho do documentário, "The Mindscape of Alan Moore" (aos 56:10 do vídeo):” Tal como a teoria da duplicação periódica da informação. Esta indica que se pegarmos um período da informação humana, que poderia ser o tempo entre a invenção da primeira machadinha de mão (digamos que entre 50 000 A.C. e 1 D.C.) então esse é um período de informação humana que podemos medir levando em conta quantas invenções humanas surgiram durante esse tempo. Então nós vemos quanto tempo leva para nós termos duas ou mais invenções. Isso significa que a informação humana se duplicou. Como se passou após esse primeiro período de 50 000 anos, o segundo período passa a ser de 1500 anos, digamos o período do Renascimento. Nele tivemos o dobro de informações. Para duplicar-se outra vez a informação humana levou um par de séculos. O período se acelera. Entre 1960 e 1970 a informação humana duplica-se de novo. Até onde eu sei, a última contagem da informação humana está duplicando aproximadamente a cada 18 meses. Adiante disso, em algum ponto em torno de 2015 a informação humana estará duplicando a cada milésimo de segundo. Isso significa que a cada milésimo de segundo temos acumulado mais informação do que há toda a história anterior do mundo inteiro. E nesse ponto, eu acredito, é que se fecham todas as apostas. Não consigo imaginar que tipo de cultura poderá existir após tal ignição de conhecimento. Acredito que provavelmente a nossa cultura poderá se mover para um estado completamente diferente, se moverá além do ponto de ebulição, de uma cultura fluida a uma cultura de vapor.“

 

 


é mais ou menos isso. aliás, é altamente recomendado que você assista esse doc inteirinho, faça esse favor; garanto que você vai aprender muito com o cockney barbudo ermitão.


 


mas voltando ao assunto, tenho notado que essa parada tem influenciado muito em tudo ao meu redor. escrever, por exemplo: coloco a culpa na internet, que se tornou um bastião de cultura ilimitado, uma biblioteca sem fim e sem fundo, a ponto de tudo que eu leio, ouço e vejo na rede, penso em retransmitir na minha forma rústica de "mastigar e cuspir"; mas no momento seguinte percebo que já é tarde demais. alguma outra informação já ocupou meus olhos e se tornou mais relevante que a anterior. sendo assim, essa primeira informação que acabei de receber já se tornou obsoleta, repaginada, ou até mesmo discrepante frente à informação atual, a qual seguirá a mesma ordem de valor quando chegar a próxima informação. e assim por diante.

tendo em base essa ordem, uma forte sensação de irrelevância me atinge quando penso em escrever algo. isso é normal? não sei. bom, numa segunda e mais coerente hipótese, pode ser pura preguiça mesmo. não confirmo nem nego. mas, como resultado disso, o que eu posso fazer para sanar esssa debilidade momentânea é inaugurar uma categoria aqui no Altnewspaper de "curtas": um video, uma foto, uma noticia, e um comentário extremamente coerente ou infimamente obsoleto! isso não sou eu quem decido... enfim, você já viu isso antes em algum lugar, a fórmula não é nova. "so, let's take it way!"


 


***




* essa foto foi a mais viral desses dias no meu circulo de amigos do FB. trata-se de uma afronta sem precedentes. a legenda que acompanhava a foto indica, em meio a uma multidão de braços estendidos reverenciando o führer, na Alemanha Nazista, um homem de braços cruzados, um cidadão comum chamado August Landmesser. August era adepto (provavelmente por pura falta de opção) do Partido Nazista, mas se casou com uma judia, em 1935. por essa "traição contra a raça ariana", August foi preso e sua esposa foi garfada pela Gestapo em 1938. seus dois filhos, separados: um foi pra avó, outro pra um orfanato. a foto é de uma inauguração de um transatlantico em 1939, e indica a intransparente raiva subversiva de August sobre o destino cruel que lhe fora imposto, e aos seus entes queridos. Em 44 ele foi enviado para um "batalhão penal", onde foi declarado "desaparecido em ação". Isso é tudo que se sabe sobre August Landmasser, mas acho que é o suficiente. estória impressionante de um cara com bolas de elefante. (até rimou)


 


***

 
não saco muito bem de Super Bowl - ou qualquer outro esporte - mas parece que veicular um comercial nos espaços entre o time break deve ser muito, mas muito lucrativo. enfim, o comercial acima ERA pra ser transmitido num desses intervalos, mas foi duramente boicotado: acharam muito ofensiva a idéia geral em torno da demonstração do "produto" (camisinhas da marca portuguesa Durex). bem, ao visto nunca ouviram falar de "humor negro": Simpsons, Family Guy e South Park são crias derivadas puramente de humor negro. Monty Python é humor negro condensado.é dificil assim entender esses sketches??? pelamor, né.além do quê, a ideia de se evitar ter um filho que se tornará um psicopata é tão imprevisível como planejar ter como descendente o próximo grande lider estrategista mundial, ou um futuro superstar milionário. as pessoas tendem à impelir os pensamentos negativistas, por mais absurdos que eles possam ser num futuro imprevisto. é uma insanidade sem tamanho pensar que nada de errado pode acontecer no schedule da vida comum, e TUDO deve ser milimétricamente positivo e esperançoso. as pessoas são tão travadas que não conseguem nem fazer graça com suposições ou probabilidades. eu entendo que muita coisa atingiu um estatus mais contundente, e chegou-se a conclusão, por exemplo, que piadas com mulheres, negros, portugueses, deficientes e homossexuais nunca teve graça mesmo (né, Rafinha Bastos?). mas pô: censurar piadas sobre probabilidades?? esse mundo tá muito sério, na boa.

 


numa perspectiva positivista, se é disso que precisam, evitar que algumas pessoas nasçam caberia bem até em diversas outras situações, tipo pra gente que dirige embriagado e atropela ciclista e pedestres, gente que rouba dinheiro público, gente que desaloja familias sem-teto, crentes que tocam fogo em culturas indígenas, policiais em geral... e por aí vai. imagina se os pais de Hitler, ou Mussolini, ou Pol Pot, ou se os pais do Médici, tivessem usado camisinha? heim?...

aliás essa parada de pastores pentecostais tocando fogo em templos indígenas no Mato Grosso... bom, é assunto que se estende. na próxima eu falo disso.


Você também pode gostar

0 comentários