Diário de bordo Constantina SXSW: Em New York City #1

por - 14:09


Como vocês sabem (ou deveriam ter conhecimento, afinal, postamos a parada aqui) o Constantina está nos Estades e não, não é nos Estados Unidos do Brasil e sim da América. Aquele país regado a fast food, cerveja boa e gente estranha. Fechamos uma parceria com os caras de rolar aqui todo o diário de bordo deles. Todas as histórias, acontecimentos e perrengues que eles enfretarão por essa viagem, vocês acompanharão neste site. Este é o primeiro de vários relatos escritos pelos próprios membros da banda e fala sobre a viagem em si. Boa diversão e uma dica é colocar Bagagem Extra pra tocar.



Pisamos em NY. E a primeira coisa que veio a cabeça foi aquele filme dos anos 90 com John Candy, Jamaica Abaixo de Zero. Saímos de um calor insuportável de 36 graus em BH para um frio de doer, perto dos 4 graus (com ventos!). Tudo isso depois de enfrentar aproximadamente 7 horas de voo até Miami, mais 5 horas de chá de cadeira no aeroporto para pegar a conexão, e por fim mais 3 horas e meia de voo até NY. E por uma grande ironia, a primeira estação de metrô que pegamos rumo ao hotel se chamava Jamaica! A burocracia da entrada continua a mesma: papel daqui, carimbo dali, raio x, perguntas, mais filas, mas enfim, estamos de novo na terra do Tio Sam.


Estação Jamaica (quase abaixo de zero) em NYC
Estação Jamaica (quase abaixo de zero) em NYC

Malas no quarto, era hora de trabalhar: precisávamos adquirir os instrumentos para o show de domingo, pois não pudemos trazer os nossos por conta de burocracia americana. E de acordo com nossos cálculos, comprar os instrumentos novamente sairá mais barato dos que o custo de alguns trâmites. Fomos então para a Guitar Center de Manhattan, que coincidência ou não, fica na mesma rua do nosso hotel. Nem NYC escapa da falta de sorte. Infelizmente nem tudo que queríamos/precisávamos tinha em estoque. Pegamos apenas uma linda Fender Jazzmaster que um amigo nosso pré-encomendou na loja e que nos emprestou para toda a turnê.


Cansados de irmos de um lado para o outro procurando os instrumentos que queríamos, e de ficarmos tanto tempo em pé após a longa viagem, deixamos para concluir a missão na sexta, já que todos estavam extremamente cansados. Restou-nos comprar 3 six packs de boas cervejas (Blue Moon, Sierra Nevada e Newcastle), beber e ir dormir, com o compromisso de acordarmos cedo e irmos terminar nossa tarefa de conseguir todo o equipamento necessário para o nosso primeiro show por aqui, no Goodbye Blue Monday, na Broadway... Mas não na Broadway de Manhattan, e sim na do Brooklin!



Chill out time: cervejas americanasChill out time: cervejas americanas

Aproveitamos esse post de estreia para agradecer a todas as pessoas que estão nos ajudando nessa turnê e a todas aquelas que estão torcendo para que tudo corra da melhor maneira possível. E ficamos muito felizes, pois são muitas pessoas. São tantas que seria injusto citar nomes e correr o risco de deixar alguma de fora. Muito obrigado!


Aguardem mais notícias sobre a nossa jornada que apenas acabou de começar... Nossos posts aqui serão diários. E só espero que os outros Constantinos parem de roncar do meu lado, pois tá me avacalhando de escrever esse post da madrugada!


Saravá!!


Túlio e Constantina

Você também pode gostar

3 comentários

  1. sei que o que vou escrever é procurar pelo em ovo mas a cerveja newcastle não é uma estadunidense, muito menos americana. é uma cerveja inglesa (até no rótulo ta escrito bem legível)

    ResponderExcluir
  2. Brilha muito nos EUA, Ziguilim!

    ResponderExcluir
  3. Mas tu tá certo Renato! rs Vamos deixar assim: foi o cansaço da viagem que levou ao erro, pode ser? Abraços!

    ResponderExcluir