Diário de Bordo Constantina SXSW: Missão Gravação #7

por - 14:29


Sétimo capítulo do diário de bordo dos mineiros da Constantina e dessa vez, uma novidade bem legal para todos os fãs: tem música nova e ela ja tem nome, Giz de Cera. Os caras foram chamados por uma mina que trampou com o Fugazi e Flaming Lips em 2011 para gravarem um som lá em São Francisco. Cê acha que eles são otários? Os bigodudos correram pro abraço! Leiam abaixo como foi essa experiência e aconselhamos dessa vez, ouvirem “Pequenas Embarcações”.



Podemos dizer que hoje foi (mais) um dia de grandes experiências e crescimento para o Constantina. Gravar uma musica inédita – que chamamos de Giz de Cera – em um estudio de alto nível em San Francisco, a convite de uma produtora bastante respeitada, foi algo entusiasmante que acrescentamos ao nosso barco de vivências.


Conhecemos Terri, que já trabalhou com Fugazi e Flaming Lips, no festival SXSW de 2011 em uma rápida conversa após uma mesa redonda sobre "Mulheres no mercado de audio", na qual ela foi a mediadora. Ela nos havia citado em uma entrevista para o site do evento, comentando que desejaria nos assistir naquele ano. Não poderíamos perder a oportunidade de fazer contato! Convidamos Terri para o nosso showcase no festival, na qual ela prontamente atendeu, e após o show recebemos seu entusiasmado convite para ir a San Francisco gravar gratuitamente em seu estúdio! Com essa nova oportunidade de retornar aos EUA em 2012, não hesitamos em confirmar o convite e agendar a gravação.


Womans Recording AudioMission é uma organizacao sem fins lucrativos criada em 2003 pela própria Terri Winston que busca incentivar o crescimento da presença das mulheres no mercado de produção e gravação de audio e música nos EUA, oferecendo treinamento de alto nível. Como material de aprendizado, o estúdio oferece instrutoras altamente qualificadas e equipamento de primeira, a sua maioria doada por grandes empresas do setor de áudio como forma de incentivo ao projeto. O processo de gravação de hoje funciona com uma oportunidade de treinar a equipe para uma situação de gravação maior, como a de um álbum completo.




[caption id="attachment_12505" align="aligncenter" width="640" caption="Nossa equipe de produção: Terri Winston e duas de suas assistentes ao fundo"]Terri[/caption]

Terri comandou as operações de hoje com sua equipe extremamente competente de três assisstentes, que com grande paciência e bom humor nos guiaram no processo de gravação dessa nova música. Além disso, todo o processo foi trasmitido ao vivo via Ustream, onde podíamos interagir via chat com quem estava nos assistindo, e documentado em vídeo por elas, para geracao de material de portifolio para o estúdio. No processo todo predominou um clima leve e descontraído, mas nem por isso menos profissional. Um bom exemplo divertido foi a identificação que fizemos, que incluiu não só os nossos nomes e respectivos instrumentos, mas também os bigodes em um quadro branco do estudio iniciamos o processo de produção e gravação da faixa.




[caption id="attachment_12506" align="aligncenter" width="610" caption="É pra não confundir os bigodes!"]a identificacao[/caption]

Inicialmente fizemos um planejamento para definir o processo de produção da faixa – a sequência de gravacao dos instrumentos – e logo partimos para a montagem e posicionamento dos microfones e configuração do equipamento de gravação. Optamos por gravar a base ao vivo: bateria, baixo e guitarras e adcionar os demais instrumentos posteriormente – processo similar ao que estamos acostumados a fazer em nosso pequeno estúdio em BH, o La petite Chambre.



dani
Rapaz concentrado!

Todas as situações adversas de gravação do arranjo foram prontamente atendidas pela equipe de Terri: microfonação da pianica, shakers, flugelhorn (nosso substituto do trompete aqui nos EUA), glockenspiel, sempre com o uso de ótimos microfones e perifericos. Tudo isso dá uma segurança e uma animação sem tamanho. A musica nova soou fantástica nos alto-falantes do estúdio, mesmo que o processo de mixagem ainda não tenha sido feito. Achamos que atingimos o objetivo sonoro que desejávamos e esse mérito fica bastante com as meninas do Woman Recording Audio Mission. A paciência para obter os melhores takes e a calma transmitida pela equipe ajudou a contornar nosso ainda que pequeno mas presente nervosismo, algo natural no processo de gravação. Mas o fator humano é tao importante num processo de gravação quanto o equipamento e esse foi um diferencial para atingirmos o ótimo resultado que tivemos aqui.


Foi um dia realmente empolgante! No final ficou o novo convite para o retorno ao estúdio em outra oportunidade para gravar um álbum completo! Quem sabe?


André e Constantina


Você também pode gostar

0 comentários