"Sistema, você já foi melhor... ou pior"

por - 16:23

crônica mal estar civilização atual

Quando a gente chega numa certa idade durante a adolescência, sabe-se lá por que ficamos com raiva de tudo. Todos dizem que é porque seu corpo está mudando, seu saco vai ficando cabeludo ou você sente uma coceirinha na tulipa, mas não sei bem até que ponto isso é uma verdade. Verdade mesmo é que você se sente diferente. Talvez o motivo não importe, já que é um caminho meio sem volta. Você simplesmente não aguenta ver o mundo como está e se revolta contra ele, se questionando e questionando tudo a sua volta. E isso é ótimo para tomar consciência do mundo que te rodeia, afinal, sabemos que nem tudo aqui anda direito, como dizem os comerciais de Havaianas.


Dos meus tempos de revolta, lembro do que costumava fazer para demonstrar minha indignação: ouvia hardcore punk, falava palavrão, não comia carne, bebia suco de maracujá e assistia Gordo Freak Show na MTV todo sábado. Exceto pelo último, ainda faço tudo isso atualmente, o que reflete que meus tempos de revolta me marcaram para a vida... ou que eu sou um idiota com síndrome de Peter Pan. Mas pra mim tanto faz. Era legal fazer antigamente, é legal fazer agora. E com o tempo, aprendi a fazer outras coisas para não deixar morrer o espírito jovem, como buscar informação, ser mais dinâmico e odiar o Teatro Mágico. Tudo pela não-opressão do sistema! E acho que cheguei onde queria.


Parece que depois que você fica velho, fica mais difícil ouvir o termo “sistema” por aí. Antes era tão recorrente lutar contra as facetas deste inimigo tão emblemático quanto as corporações maléficas que burlam os códigos florestais e exploram mão de obra escrava, te forçam a eleger retardados e culpam a você mesmo pelas merdas que nos deparamos por aí. Hoje em dia, é difícil ouvir o termo por aí, tal como é difícil ver gente usando o dedo do meio como ofensa mortal ou mulheres se protegendo do sol com um guarda sol. Ops, engano meu. Vi uma senhora usando um guarda-chuva transparente como guarda-sol ainda esses dias. Ele não bloqueava o sol e provavelmente levaria a velha a uma dolorosa morte por burrice. Charles Darwin sorri em algum lugar do além.


E falando em burrice e “sistema”, imagino como ambos estão se combinando atualmente. É fácil de se reparar como algo tão decadente está apelando. Parece que mais do que nunca, está fácil odiar o que nos impõe. Principalmente porque o que nos impõe é idiota. Exemplos são as leis animalescas que vira e mexe são aprovadas em São Paulo, sob a batuta do inigualável Forrest Gump, digo, Gilberto Kassab. Ou mesmo o ECAD, que agora pode te multar se você quiser brincar de karaokê na casa da sua avó na tarde de domingo. Mas agora com as mobilizações populares, se o nosso tão “amado” “sistema” não tomar jeito, pode ser que ele até deixe de ser operacional. Claro, questão de tempo, período longo, mas ainda assim. Eu ainda espero ver meus netos neste período revoltado da vida, só pra ter o prazer de ver a decadência deste inimigo moral . E espero que esteja são o suficiente pra não mijar na cara deles, pra não justificar a raiva da molecadinha.


crônica mal estar da civilização

Você também pode gostar

1 comentários

  1. boa crônica. a gente fica velho mais não muda, o olhar crítico é sempre jovem. Esses velhos que são velhos já eram velhos quando novos porque nunca foram jovens. Fora os supérfluos as coisas continuam as mesma; manda quem sempre mandou e do mesmo jeito,com violência contra pessoas, meio ambiente e por ai. velhos senhores e os novos senhores a serviço do capital.

    ResponderExcluir