Impressões: 1º dia do #APR20Anos - Quem pode parar a Los Hermanos?!...

por - 14:23

[caption id="attachment_14114" align="aligncenter" width="640" caption="Maior público da história do Abril Pro Rock!"][/caption]

Vou começar dizendo que acho ótimo o Abril Pro Rock seguir um horário correto, acho realmente muito bom. Um respeito com o público, com as bandas, etc. Porém, começar um show as 20h de uma sexta-feira é meio cruel, o camarada que trabalha, pega um trânsito monstruoso e nessa hora ainda ta chegando em casa. Essa foi à única crítica que ouvi no Chevrolet Hall, com relação ao programação do Festival, isso inclusive ajuda na mega fila que existia em todos os locais externos do Chevrolet Hall na hora em que cheguei por lá, quando começava o show da Banda Mais Bonita da Cidade. Sendo assim, perdi a banda ganhadora do Bis Pro Rock, a Somato, banda que tem um EP bem legal e queria ter visto ao vivo. Também perdi o show do Tibério Azul (a atração local da noite), mas sobre A Banda Mais Bonita da Cidade, posso dizer que “coração não é tão simples quanto pensa”, realmente, sobrou espaço no coração dos presentes pelo menos para a o WebHit publicitário de 2011, a canção Oração.


Sobre o início da nova tour da banda carioca Los Hermanos, começarei refazendo a pergunta que fiz no twitter outro dia: quem sabe fazer dinheiro como o Los Hermanos no Rock brasileiro atual?! Ontem, a banda juntou cerca de 15 mil pessoas, incrivelmente esgotando os ingressos para o primeiro dia do Festival (maior público da história do evento). Fiquei tentado a copiar e colar minha resenha do “primeiro retorno” do grupo ao Recife dois anos atrás, porque diversas coisas se repetiram. A mesma histeria coletiva, com a diferença de que desta vez a maior parte do público estava vendo o grupo pelo menos pela segunda vez. Problemas no som foram notados, não tão gritantes quanto da outra vez, mas bem mais constantes. O mesmo estranhamento de “distancia” e menos emoção do grupo ao executar suas composições, por mais que sejam todos amigos, entre outras coisas.




[caption id="attachment_14115" align="aligncenter" width="640" caption="Os barbudos em ação!"][/caption]

Vamos falar do que aconteceu de diferente durante aproximadamente duas horas de mais uma apresentação histórica dos barbudos no Recife e no Festival Abril Pro Rock. Pra começar o repertório, acho que os últimos 10 shows do grupo que tive oportunidade de conferir começaram com a canção O Vencedor, porém desta vez foi diferente, começou de maneira mais calma com a bela Além do que se vê, se não com o mesmo coro da outra canção, nada que ficasse muito atrás. Outro momento BASTANTE DIFERENTE foi ouvir a cançã A Flor sendo executada no meio do show, praticamente quando chegávamos a uma hora de apresentação, o que deixou algumas pessoas com a impressão de que o show estaria no fim. O próprio Marcelo Camelo deu algumas dicas sobre o repertório, quando falou que a banda resolveu ensaiar algumas músicas dos discos que normalmente não são cantadas nos shows, mas sem deixar as músicas marcantes em shows do grupo de fora.


Foi interessante ouvir Acostumar, música que está no segundo trabalho solo do Camelo, mas que tem bem o feeling Los Hermanos, sendo tocada pelo grupo. Rodrigo Amarante aproveitou o espaço para cantar duas músicas novas que vão estar no disco solo do cantor que deve sair ainda esse ano, uma bastante melancólica e saudosista e outra meio anos oitenta/meio strokes, bem estranha, não sei o que esperar do disco solo do cantor. O bis foi feito praticamente por canções do primeiro disco do grupo, Tenha Dó e Quem Sabe animaram bastante os presentes que pulavam e pogavam. Os costumeiros pedidos por Pierrot no Recife foram recompensados, pois a banda terminou o show tocando ela, mesmo sem ensaio prévio (foi o que eles disseram), transformando Abril em carnaval.



Sobre a performance do grupo, é notório o distanciamento entre os integrantes da banda, não digo que falte amizade, mas nem de longe estão entrosados como já foram um dia. Mesmo com Amarante cantando músicas novas e Camelo cantando músicas do projeto solo na banda, não restam dúvidas com relação ao retorno não-efetivo do grupo, isso parece bem difícil de acontecer diante dos contínuos erros nas letras e nas entradas de instrumentos e dos vocais foram perceptíveis e bem claros, como Sétimo Andar e Cade teu Suin?. Os arranjos de algumas músicas estavam diferentes, não sei bem se por problema no som embolado ou por conta do grupo realmente, no meio de Conversas de Botas Batidas e no final de Um par eles foram bem claros. Mas, deu pra perceber que a convivência com a Hurtmold está fazendo o Camelo improvisar bem mais no meio das apresentações. O problema no som era tão evidente, que após reclamação de algum fã do grupo que estava na grade sobre não ouvir nada, Amarante disse que estava fazendo o que podia e que o mesmo usasse a imaginação e curtisse o momento.


O ponto super positivo do show de ontem (espero eu, de toda a turnê) era o mega telão que estava no palco por trás da banda, com várias câmeras mostrando os integrantes do grupo bem de perto durante o show, além de belas imagens do Rio de Janeiro e outros locais que alternavam em algumas músicas, como O Vento, coisa linda demais! Alguém tem duvidas de que vem um belo registro em DVD por ai?! Mas, é aquele lance, quem esteve ontem no primeiro dia da edição de 20 anos do Abril Pro Rock estava lá para comemorar, relembrar bons momentos. Todos os clichês existentes e possíveis de acontecer em shows do Los Hermanos, estavam presentes nessa apresentação, e todos aguardavam por eles ansiosamente. A estrutura do Chevrollet Hall ta bem bonita, o espaço Memorabilia contando um pouco da história do Festival ta massa. O Stand da Converse é bem foda, a garagem da Petrobras, com espaço para quem quiser gravar seu som, também.  Num fim de Semana caótico e cheios de shows no Recife, é uma boa pedida pra quem quer curtir o rock com conforto e qualidade, hoje e amanha tem mais!




[caption id="attachment_14113" align="aligncenter" width="640" caption="A banda agradece!"][/caption]

PS: Todas as fotos do Rafael Passos e retiradas do flickr do Abril Pro Rock.

Você também pode gostar

1 comentários

  1. Não curti o show, to ficando velha pra Los Hermanos (e eles tb)

    ResponderExcluir