Amnese: a trilha sonora brasileira para o inverno...

por - 11:08


De uma maneira simplória, Amnese seria o projeto one man band do violonista, compositor e cantor Nelson Barreto. Antes de tudo isso, Amnese era uma banda fictícia, já que até em show se falou, mesmo que um único integrante tocasse todos os instrumentos. Para quem gosta de Lo-Fi, experimentalismo, melancolia, eis aqui uma pérola da música nacional desconhecida. Entre EPs e álbuns cheios são cinco registros, todos carregados de uma estranheza subliminar absurda. Todos os álbuns da Amnese foram lançados pelo selo nacional Sinewave e a banda nunca saiu da internet, nunca fez um show. A trajetória começa com o disco que tem o título mais inverno, Songs for rainy days, de 2004. Um CD que mistura os sentimentos de solidão, quando você muda de cidade, vai morar sozinho, cresce e relembra os bons tempos da juventude deixada para trás. Em meio a farsa da “Banda” Amnese, Nelson lançou Apatheia em 2006. Este é um álbum chato, estranho, difícil, irritante, e tudo isso é intencional. O processo de composição do disco foi abandonado diversas vezes e trata-se de uma homenagem póstuma, sempre muito difícil para qualquer pessoa fazer. O EP Zumbis, de 2007,  é uma coleção de quatro temas instrumentais curtos que ele escreveu para o filme independente "Zumbis do Espaço de lá" (assista no youtube: parte um e parte dois).



Eis então que veio o trabalho mais expressivo e bonito do projeto, um dos melhores discos lançados em 2008. O álbum Sofia e a Curva do Céu é uma verdadeira obra prima. Contando com um instrumental de dar inveja, o CD é baseado na literatura de Friedrich Nietzsche, o qual narra a história do “Egoísta” que após fugir do mundo, busca entendê-lo no alto da “Curva do céu”. O estranhamento lírico com qual as letras e os instrumentais se sobrepõe é absurdo, fruto de bastante sensibilidade e reflexão sobre a vida. Pra relaxar, vem uma brincadeira que o músico fez após voltar de sua viagem da Espanha em 2009. O EP Ok, my pussy is hanging out of this fucking thing, um mini álbum de covers da Britney Spears, uma piada que ja havia nascido ainda nos tempos de "Songs", quando para manter a mentirinha da Amnese para algumas pessoas desconfiadas, rolou uma simulação de gravação ao vivo em estúdio da canção "Baby one more time". Com absoluta certeza, você nunca mais vai ver a Britney Spears do mesmo jeito depois de ouvir essas versões demoníacas!



Na coleta de aniversario de um ano do Hominis Canidae (baixa ai!), o projeto Amnese se fez presente com a faixa inédita “Inexistente”, uma música bem diferente da discografia do projeto, mais simples e objetiva, mantendo a melancolia e beleza da coisa (ouça acima!). Em 2010 fizemos uma boa entrevista com o Nelson, falando sobre as vivências dele, influências e projetos futuros. Na entrevista ele fala sobre um novo trabalho, mas até hoje, ele não saiu. Talvez fruto da vida burocrática que acaba suprimindo nossa criatividade, pela sua complexidade ou simplesmente pela correria do dia-a-dia. Uma característica interessante dos discos da Amnese é o fato das faixas estarem ligadas, meio que contando uma história, o processo é complicado e um tanto lento realmente. Então, fica aqui a sugestão para esses tempos de clima frio, mandar o som do camarada em seu celular, Ipod e ouvir por inteiro parado no trânsito caótico, mesmo que cada vez mais a frieza seja uma característica das pessoas... mesmo em dias de muito sol!

Você também pode gostar

2 comentários

  1. Estou gravando, está quase pronto. É sério.

    ResponderExcluir