#Terça Gringa: Gazebo Penguins e seu hardcore torto

por - 11:09


Recentemente, tive contato com algumas bandas de hardcore/punk da Itália que me fizeram pensar que o gênero por lá musicalmente vai muito bem, grazie! Dessa galera, o nome que mais me chamou atenção, e que por isso escolhi para minha colaboração pro Terça Gringa, foi o Gazebo Penguins, power-trio de nome estranho formado por Capra, Sollo e Piter (guitarra, baixo e bateria, respectivamente, com os dois primeiros se revezando nos vocais).


A sonoridade da banda é um tanto difícil de definir, mas transita em torno de um hardcore torto e dançante, com ecos da Dischord e do chamado post-hardcore. Pra citar referências, eles mesmos indicam Shellac, Refused, Fu Manchu e Fugazi entre suas principais. Já a VICE da Itália os resumiu como uma mistura entre McLusky e Motorpsycho, banda que eles citam no título de uma música . Nas letras e estética, a banda alterna questionamentos políticos com humor, sempre presente nos vídeos, entrevistas e shows, que, aliás, parecem ser um ponto forte da banda. Nas apresentações ao vivo, o trio cresce com a energia e emoção que transmitem tocando e com a interação com o público.



"Penguinvasion" é o primeiro registro e é onde o hardcore/punk da banda flerta com o noise em diversos momentos, resultando numa sonoridade bem crua, com oito músicas gravadas ao vivo em 2005, que já mostravam onde o trio podia chegar com sua música, sem medo de experimentar elementos não tão comuns ao gênero. "The Name is Not the Named" foi lançado na sequência, em 2006, ainda cantado em inglês e já traz uma sonoridade mais trabalhada. Com 11 boas faixas e uma capinha muito classe, já seria o bastante pra firmar a banda entre os bons nomes do cenário italiano. Mas é em "Legna", de 2011, que eles mostram o seu melhor e se destacam com um dos discos mais legais e empolgantes que ouvi ultimamente.



Com produção impecável de F. Donadello (os discos anteriores deixam a desejar no quesito qualidade de gravação), Legna marca a mudança para o italiano nas letras da banda, decisão muito bem sacada, a língua nativa soa bem demais no som deles e lhe dá uma personalidade maior, principalmente para nossos ouvidos tão acostumados ao inglês nesse tipo de som. No disco, o trio soa mais agressivo e caótico, mas sem perder a melodia característica desde Penguinvasion. Entre as oito faixas que compõem o disco e fluem fácil alternando vocais gritados e coros que te fazem querer cantar junto num show, como na linda Senza di te e em 300 lire, merecem destaque a faixa Dettato - seguramente uma das melhores do disco - e Frate Indovino, com sua estrutura nada linear. Entre seus materiais, a Gazebo Penguins ainda possuem um EP split em vinil comemorativo com a banda I Cani, feito para celebrar o dia dedicado às lojas independentes (21/04/2012), com duas músicas de cada banda e que também vale a pena ser conferido.


Pastebin

Você também pode gostar

1 comentários

  1. Essa banda é demais! São a cara da descaração. Ainda não ouvi este último de 2011, mas penguinvasion é foda!

    ResponderExcluir