"Estados alterados de sono"

por - 14:14

cronica sonho


Tem gente que considera dormir um estilo de vida. Faz questão de mostrar o quanto gosta de dizer que gosta de dormir, tira foto de pijama folgado com estampa de gatinho e faz questão de dizer um grande “boa noite, vou dormir” para o universo. Tem que se ter uma vida muito interessante pra fazer de algo tão tranquilo um evento com convidados e lista vip. Superestimar sono é meio exagero, por mais importante que seja dar uma cochilada de vez em quando. Não que exageros não existam no mundo, mas puta que pariu, pra sono?



Ultimamente não tenho dormido bem. Lembro-me do “ritual” que o pequeno eu costumava fazer em outros tempos. Um copo de leite, escovar os dentes, rezar para não morrer durante o sono e logo em seguida, dormir. Não sei o que aconteceu nesse meio tempo, mas parei de rezar e de beber leite. Quando se cresce, cria-se a impressão de que a gente é a prova de balas e não precisa mais de cálcio ou do grande guarda costas invisível. Em contrapartida, não acredito que retomar antigos cultos não me fará dormir melhor. Estão ouvindo, fanáticos religiosos? Procurem uma semelhança aqui.



Aliás, falando sobre o sono do pequeno eu, acabo me lembrando também dos sonhos que costumava ter. Dois eram recorrentes. O primeiro era o clássico “estar pelado na frente de uma galera”, que hoje não vejo problema nenhum. Acho que era por não ter a mente que tenho hoje, o que é ótimo, afinal, sabe-se lá onde estaria se sempre tivesse os pensamentos que hoje construo. O segundo não era muito comum, se bem que sonhos nunca são. Encontrava-me num grande salão jogando tênis com uma mulher de cabelos loiros. Por ser uma criança, me concentrava muito mais em ganhar o jogo do que na mulher. Mas ela, por outro lado, fazia o inverso e elogiava minhas jogadas. Inclusive, depois de um destes sonhos jogando tênis, pela primeira vez no auge de meus sete anos, acordei todo mijado. Vai entender...



Por acaso acredito que sonhos tenham um significado, mas dependendo do sonho em questão. Sonhos premonitórios? Não obrigado, já leio o jornal. Com a qualidade de sono que tenho dito, não tenho nem lembrado dos sonhos que venho tendo. Mas dos que lembro, afirmo categoricamente que foram irrelevantes. Algo envolvendo um cavalinho de madeira daqueles de estacionamento de mercado e uma moeda de vinte e cinco centavos pra manter ele chacoalhando. Não sei o resto do mundo, mas depois que vi Inception, reparei como meus sonhos são comuns. Prefiro culpar a idade chegando. E espero que possa voltar a dormir direito, com sonhos ou sem.


cronica sonho

Você também pode gostar

0 comentários