Paraíba instrumental

por - 11:08

Bandeira Paraíba


Recentemente fiz um post aqui sobre uma cena "emergente" calcada em experimentações e em sons sem vocais, o famoso instrumental que tanto anda fazendo a cabeça da molecada nesse país lindo! Eis aqui uma seleção de 5 bandas instrumentais do meu querido estado, a Paraíba. A cena aqui tá bem servida neste estilo, apesar de tá faltando mais shows dessas bandas por aqui. Conheçam, divulguem, e compareçam aos shows caso estas bandas pintarem na sua cidade, garanto que a o rock é garantido.


Banda-Monstro


Monstro – Desde que vi a primeira apresentação da Monstro, eu já sacava que aquela banda precisava gravar algo urgentemente pra que eu pudesse aloprar escutando as músicas dos caras. Um mix de dub/afrobeat/rock/psicodelia/lombras ainda não diz o que é o som do Monstro. Quando fui ao segundo show, gravei o bootleg deles (amadorzão por um celular) e fiquei escutando aquela gravação exaustivamente, eu já sabia que a banda era boa. Depois de um tempo, finalmente o Monstro lançou seu primeiro EP, fez um show fodástico no Festival Mundo (pena que foi interrompido por uma falha lá), mas que pagou o meu ingresso daquela noite, juntamente com o show da Dalva Suada. O som deles é puramente instrumental e não é pra todos os ouvidos, mas assim como as outras bandas deste post, para os bons ouvidos o Monstro é uma senhora banda do carai. Saca aí o primeiro Ep dos caras e vê se não é massa.



Glue Trip – Essa é novinha, só tem duas músicas disponíveis pra audição, mas duas faixas que já dá pra sacar que o som que Lucas Moura (Monstro) e Felipe Augusto (Dalva Suada) fazem, é algo muito chapado. Tive a oportunidade de assistir a que eu acho que foi a única apresentação da banda até aqui, e vos digo, a lombra é garantida. Essa banda é mais uma daquelas que nem todo ouvido e nem toda mente vão aguentar. Aqui dá pra escutar os que esses rapazes andam aprontando.




[caption id="attachment_15893" align="aligncenter" width="610"]Ubella Preta Foto por Thiago L Costa[/caption]

Ubella Preta – Essa banda já se firmou como uma das mais conhecidas no cenário instrumental brasileiro junto com a também paraibana Burro Morto devido a sua grande qualidade e aos shows que fez nos principais eventoss da região nordeste. A Ubella Preta faz um som legitimamente instrumental, cheio de contratempos, jazz, psicodelia e também uma pitada regional, o que torna a música deles até dançante. O último show da banda que colei, foi pura piração (na minha mente): apresentação em praça pública, muita gente nem sabia que o evento tinha começado e eu já estava vidrado nos caras em cima do palco tocando as novas músicas que estão pra sair no novo trabalho da banda. Eis o link do disco que a Ubella Preta lançou junto com o Jaguaribe Carne, outra banda foda da Paraíba que ficou de fora deste post por questões de números, só digo uma coisa, o som é uma porrada das boas na mente.


Red Butcher


Red Butcher - Essa também é nova, ou não. Remanescente de outra banda instrumental da Paraíba, a Red Butcher faz um som agressivo, sombrio, pesado. Doom/Sludge/Stoner são os elementos principais dos caras, além de uma forte influencia sabbatiana. Geralmente estão resumindo as bandas nessa linha de Post-Metal, mas o som dos caras vai além desses rótulos. Eles ainda não têm nenhum registro em estúdio, mas vendo os vídeos e as músicas gravadas amadoramente, já dá pra sacar que a “música instrumental pesada” também tem vez aqui na Paraíba. Este é o perfil dos caras no Toque No Brasil, lá tem umas musiquinhas que dá pra sacar o som dos caras.


Burro Morto


Burro Morto - Com certeza a mais conhecida das bandas paraibanas da cena instrumental. A Burro Morto já coleciona muito shows pelo Brasil, muitas participações com grupos fodas nestas apresentações, o que com certeza irá refletir no seu próximo trabalho. Falo do próximo trampo, pois o último deles já rendeu o que tinha que dá; o álbum Baptista Virou Máquina já foi tocado em vários cantos do país e com certeza, muito bem elogiado. O disco também tem uma trilha visual muito foda dirigida por Carlos Dowling. O som da banda é cheio de nuances, misturando muito bem afrobeat, jazz, funk e regionalismos experimentais. Baixa aí Baptista Virou Máquina, presta atenção que esse disco é tão foda que teve até participação de Catatau.


Indico todas estas bandas, de verdade, e como a Burro Morto é a que tem mais material audiovisual, vou deixar aqui a trilha visual do disco Baptista Virou Máquina, que deve ser degustada numa sessão de descarrego.




*a primeira e a segunda foto não encontrei créditos, mas não foram tiradas por nós.

Você também pode gostar

0 comentários