Conheça a Trincheira Filmes e como o meio e o tempo modificam o homem

por - 14:08


A Trincheira Filmes é uma produtora de cinema pernambucana formada por três das cabeças mais pensantes do cinema nordestino atualmente. É possível dizer isso apenas por ver todos os prêmios e espaços alcançados por eles em seus trabalhos já lançados.  Pensando em premiações e participações em festivais, dá até pra colocar a trinca num universo mundial, tendo em vista que alguns de seus curtas já conseguiram alguns destaques do outro lado do Atlântico. Porém, mais importante do que se estabelecer num mercado com pouco espaço no Brasil (por mais que esteja numa crescente) é colocar o telespectador pra pensar, sentir, interagir com o que está vendo. Ao longo dos quase 10 anos de existência e diversos curtas lançados, a produtora não se preocupa apenas em fazer cinema pelo cinema. É preciso pensar, não só no modo como tem se feito a arte do cinema no Brasil, mas em como usar o cinema para mostrar o que vem acontecendo de errado no meio em que vivemos (no caso, Recife).


É possível traçar uma linha entre vários trabalhos já lançados por Leonardo Lacca, Marcelo Lordello e Tião ao longo de todo este tempo. Você consegue enxergar a relação que o meio e o tempo causam no homem, seja ao reencontrar um amor do passado, ou um trauma de infância nunca apagado, seja no modo de ver o mundo em terras sertanejas, atreladas a tradição hoje consideradas ultrapassadas, mas muito presentes em nosso país, ou simplesmente quando o cinema retoma caminhos já andados nas incessantes e megalomaníacas buscas pelo novo, tentando se reinventar.


Eis aqui então quatro bons exemplos de produções feitas pela Trincheira e disponibilizados na web pelo próprio grupo. Eisenstein é de 2006 e trata de maneira satírica a egolombra dos produtores de cinema de maneira geral, também é uma clara homenagem ao cineasta e ao cinema russo, nesse filme Raul Luna (nosso designer brothagem) foi um dos co-diretores, junto com Tião e Leonardo Lacca. Décimo Segundo é de 2007 e fala sobre relacionamento e reencontro, como pode ser difícil visitar o passado em alguns momentos, é interessante perceber como o silêncio fala alto. Muro é de 2008, foi lançado dentro do Festival de Cannes e fala sobre o vazio do homem de uma maneira subliminar e poética. Nº 27 é uma tragicomédia e fala sobre traumas na adolescência e como pode ser difícil o dia no colégio.






Atualmente Leonardo Lacca trabalha no seu primeiro longa chamado Permanência, Tião também esta na montagem de seu primeiro longa Animal Político e Marcelo Lordello finaliza Eles Voltam, que será lançado no Festival de Brasília desse ano. Espero que também disponibilizem os longas na net em breve, já que o cinema nacional ainda carece de espaços físicos para que todos possam usufruir do momento em telas maiores.

Você também pode gostar

0 comentários