Ouça, baixe e compartilhe a coletânea Cena Independente #8, a nova música brasileira…

por - 11:08


O CENA INDEPENDENTE é um projeto baseado no Music Alliance Pact. Nele blogs nacionais especializados em música juntam o que há de mais novo e relevante na cena independente de seus estados em uma coletânea mensal, publicada sempre no final de cada mês por cada blog parceiro. Chegamos a oitava edição da coletânea, que atualmente é formada por 16 blogs de norte a sul do país.


A organização da mixtape fica por conta do FUGA Underground. Nesta edição de agosto, a capa ficou por conta do designer e ilustrador Pablo Miranda, editor do blog Alice Ilícita, que também faz parte do projeto. Outros de seus trabalhos podem ser vistos por lá. Nesta edição, 15 estados foram representados, mas o Brasil é grande é ainda ta faltando gente. Se o seu estado não estiver representado nesta mixtape e você conhece algum site interessante para representar sua cultura, basta passar este email para contato ou faze-lo você mesmo: mixtape.cenaindependente@gmail.com.



Nossa escolha para representar o estado de Pernambuco nesse mês é um projeto bastante interessante. Marditu Soundz é o projeto anti-musica experimental do baterista pernambucano Tiago Barros. No inicio era o nada, continua sendo o nada, mas aquele tipo que incomoda, sabe? A necessidade de por pra fora, criar, fez com que Tiago em um computador emulasse sons que outrora resultariam no Bed Room Noise esquizofrênico que faz você se perguntar, o que é música? Já foram lançados um EP e vários singles, que foram reunidos num segundo registro. Ouça o som mais recente liberado por ele, chamado de  uivo. Escute abaixo todas as faixas da mixtape, leia as infos das bandas e baixe a nova coleta…




A seguir você encontra detalhes sobre cada faixa da mixtape #8:

RIO DE JANEIRO: RockInPress
Thiago Elniño – Salve (rap/dub)


Vivendo o seu melhor momento em quase duas décadas, o rap brasileiro continua mostrando talentos cada vez mais interessantes e diferentes. Abraçado pelo groove e seguro pela rima, Thiago Elniño carrega abandeira do rap em Volta Redonda, região distante do Rio de Janeiro. Salve é a terceira faixa do EP “Cavalos de Briga”, lançado este ano de maneira independente e digital. A canção é uma porrada muito bem produzida e arranjada cantada diretamente para o povo de qualquer lugar do país.


Para quem gosta de: Criolo, Buguinha Dub, Instituto


PARANÁ: Defenestrando
Banda Gentileza – Quem Me Dera (funk-rock-brega-épico)


Mestre em misturar gêneros musicais que aparentemente não têm nenhuma relação entre si, a Banda Gentileza lançou neste mês de agosto um single caprichoso: a música "Quem me dera", que nas palavras do vocalista Heitor Humberto "começa com acordes farofa, vai pra um riff brega de metais, tem batida de tango, vai pra uma parte épica e termina num funk carioca." De quebra, o single foi lançado simultaneamente a um game 8 bits (“Game Dera”) e a um clipe que chegou a figurar na parada de novos clipes da MTV.


Para quem gosta de: Móveis Coloniais de Acaju, Apanhador Só, André Abujamra


BAHIA: el Cabong
O Quadro – Valor de X (rap)


Formado há 15 anos, O Quadro, de Ilhéus, acaba de lançar seu primeiro álbum mostrando que a maturação valeu a pena. Tendo a sonoridade típica do rap e o discurso através das tradicionais rimas como bases, o grupo solta um sequência surpreendente de faixas que misturam com dub, afrobeat, samba, rock e ijexá. Sem rejeitar batidas e samples, tornam a sonoridade mais orgânica com baixo, guitarra, bateria e percussão, criando uma musicalidade com teor crítico social aliado a uma força musical capaz de criar hits certeiros. Experimente se essa “Valor de X” não funcionaria em qualquer pista ou rádio.


Para quem gosta de: Rapadura, Lurdes da Luz, Criolo, Marcelo D2 e Beastie Boys


CEARÁ: Implosão Sonora
Astronauta Marinho – Remela de Gato (instrumental/rock)


Astronauta Marinho é um grupo formado por Chagas Neto (teclado e sintetizador), Caio Cartaxo (baixo e voz), Rafael Viana (guitarra), Guilherme Alvez (bateria) e Felipe Lima (guitarra, samples e voz). Sem nenhuma pretensão, a banda surgiu a partir de ideias sonoras, em busca de ritmos variados, não se prende a rótulos. Intitulando suas músicas com nomes engraçados e despojando-as de letras, a banda traz um som tão delicado e singular, que a gente tem vontade de entrar na canção e ficar numa conchinha lá dentro. Engana-se quem acha que música instrumental não pode ser legal. A Astronauta já tocou em eventos de Fortaleza, entre eles o Implosão Sonora no Bosque.


Para quem gosta de: Pata de Elefante


RIO GRANDE DO NORTE: FUGA Underground
Kung Fu Johnny – Nova (garage rock/indie rock)


Kung Fu Johnny é uma das mais novas bandas da cena potiguar. Foi formada em fevereiro pelos guitarristas César Valença (Venice Under Water) e Renato de Medeiros e pelo baterista e vocalista Ian Medeiros. Apesar de sua formação tão recente, o grupo não precisou esperar muito tempo para pôr na rua seu primeiro álbum. “Little Beers Gas Station” foi lançado digitalmente pelo Dosol Net Label no comecinho do mês. Com uma sonoridade que segue linhas próximas ao Dead Weather e Black Keys, “Nova” é uma das faixas fortes do debut e conta ainda com a participação de Emmily Barreto do Talma&Gadelha e Halina Oliveira no refrão.


Para quem gosta de: The Dead Weather, The Black Keys, Queens of the Stone Age


GOIÁS: Alice Ilícita
Cherry Devil – Dark Side Of Us (stoner rock)


Pra galera que não sabe e/ou não está acostumada, Goiânia é uma cidade stoner rock e eu tenho me segurado pra não indicar sempre bandas stoner. Mas dessa vez não tem jeito. Minha primeira indicação de stoner para a mixtape é a Cherry Devil, banda sensacional do cenário goiano. Formada em 2011, a Cherry Devil faz um stoner de responsa com um vocal fdp "véio o cara manda muito fi". Sem contar que no baixo é uma mina, e podem ver as estatísticas, bandas com girl no baixo, sempre vem coisa boa. Indico a música “Dark Side Of Us”.


Para quem gosta de: Led Zeppelin, Queens Of The Stone Age, cerveja e som de cara barbudo


PARÁ: MusicaParaense.Org
La Orchestra Invisível - Sangria (rock/experimental)


A banda La Orchestra Invisível surgiu em 2009 e lançou o EP “Primeiro” em 2010. Agora, em 2012, Marcelo Kahwage (voz e guitarra), Larissa Xavier (voz, guitarra e teclados), Cezar Souza (baixo) e Daniel Carlitos (bateria) apresentam o segundo EP, “Tratado do Vazio Perfeito”, que traz uma atmosfera mais introspectiva que o trabalho de estreia. A banda traça um caminho experimental, sem deixar de ter apelo radiofônico: algumas faixas já estão na programação de emissoras de Belém, entre elas, Sangria.


Para quem gosta de: Mutantes, Clube da Esquina, The Beatles


MINAS GERAIS: Meio Desligado
Gurila Mangani – Sente o Feeling (hip hop)


Ainda restrito ao underground do hip hop brasileiro, Gurila Mangani é um artista cujo talento indica grande potencial pela frente. MC e produtor, cria músicas com batidas certeiras, suingadas e com bom uso de samples. De quebra, ainda produz uma série de remixes e se aventura pelo instrumental, como pode ser ouvido no seu perfil no Soundcloud.


Para quem gosta de: Emicida, Pentágono, Di Melo


MATO GROSSO: Factóide
Monocromatas – 540.000 dB (pop/indie/bicth rock)


Mais uma banda da nova geração cuiabana, formada com dois egressos da Vitrolas Polifônicas e foi formada a partir da composição de uma música, está em vias de lançar seu primeiro álbum. Com seu som de fácil assimilação, trata-se de uma ótima pedida para as noites quentes e esfumaçadas do inverno de Hellcity.


Para quem gosta de: Jolly Rouge, Contingente Imigrante, Branco ou Tinto


MARANHÃO: Shock Review
Djalma Lúcio – Bar Central (rock alternativo/pop alternativo)


Djalma Lúcio nasceu e vive em São Luís (MA). Entre 2000 e 2004, fez parte da banda pop Catarina Mina, apresentando-se no circuito local e em festivais por todo o Brasil. “Conforme Prometi no Réveillon” é o seu primeiro EP solo, lançado em 2010, com quatro faixas. Em agosto de 2011, Djalma Lúcio tocou no Festival Casarão (Porto Velho, RO) e já se prepara para lançar um novo trabalho ainda em 2012. “Bar Central” é uma canção pop, com alma de bolero underground. Cita Roberto Carlos e descreve a agonia de uma mulher, vagando pelas noites, confusa, evitando encarar o fim de um relacionamento.


Para quem gosta de: Beatles, Caetano Veloso, The Smiths


PARAÍBA: Atividade FM
Sem Horas – Rockaína (rock’n’roll/jovem Guarda/blues)


“Rockaína”, segundo os próprios membros da banda, tem a intenção de retratar o efeito do rock ao estilo do grupo Sem Horas. A música é um cruzamento de blues com o conhecido rock estilo Jovem Guarda dos garotos. Porém, dessa vez a banda optou por guitarras mais sujas e cruas, e vocais mais gritados. Os Sem Horas possuem dois EPs lançados e atualmente se encontram na pré-produção de seu primeiro álbum.


Para quem gosta de: Garotas Suecas, Autoramas e Jupiter Maçã.


ALAGOAS: Sirva-se
Além de Nós – Caravela (pop rock/rock/ reggae pop)


Com uma sonoridade que engloba diversos estilos e carrega uma levada calcada no pop rock, a banda alagoana Além de Nós vem trabalhando na divulgação do seu primeiro CD “Que Nossas Vozes se Propagem”, lançado recentemente. O material totalmente autoral, conta com algumas participações especiais de músicos representativos do cenário local como: Wado, Luiz de Assis (Vibrações) e o rapper Vitor Pi que gravou parte do vocal da música Caravela, escolhida por nós para participar da coletânea desse mês.


Para quem gosta de: Fresno, Nando Reis, For Fun


ESPÍRITO SANTO: Ignes Elevanium
Broken & Burnt – Tell Me No Lies (groove metal/thrash metal)


Broken & Burnt vem de Vitória, Espírito Santo, com uma sonoridade calcada no Groove Metal e no Thrash Metal, especialmente influenciada pelo Pantera. Esta faixa, “Tell Me No Lies”, lançada recentemente, demonstra bem o caráter da banda, com riffs grudentos e com pegada, vocais com feeling e muita coesão na cozinha da banda. E isso com uma produção cristalina que exalta o entrosamento dos músicos da banda e o feeling das canções. Sensacional revelação capixaba.


Para quem gosta de: Pantera, Down, Machine Head


SÃO PAULO: Move That Jukebox
FONES – Assim Como Eu (grunge/hard rock)


Nada de modinhas, sintetizadores, guitarrinhas agudas ou qualquer elemento do hype indie e afins. Na casa do FONES, o grunge e algumas de suas ramificações são a ordem do dia. Sem firula e com uma produção “basicona”, o som que sai dos alto-falantes é cru e potente. Em “Assim Como Eu”, faixa de abertura do EP debut, o trio sorocabano conduz com cuidado os versos – só para chegar explodindo tímpanos no refrão, cheio de gritaria e guitarras pesadas. Boa pedida pros fãs da velha camisa xadrez de flanela.


Para quem gosta de: Soundgarden, Nirvana, Pearl Jam


Agora que você sacou todas as bandas da oitava edição do Cena Independente, BAIXE ESTA MIXTAPE! Só fica ligado, esse material não deve ser comercializado, apenas disseminado livremente pela websfera.

Você também pode gostar

0 comentários