Impressões da primeira noite do Festival No Ar Coquetel Molotov 2012...

por - 13:23


Começarei dizendo que com uma das principais vias de acessos a UFPE em reforma fica meio complicado chegar cedo numa sexta-feira pra conferir os shows da salinha Cine UFPE, então acabei por perder todos. Queria ter visto o show da banda Garotas Suecas, mas quem sabe numa próxima eu consiga. Caso alguém tenha conferido e quiser nos dizer o que achou ou como foi, os comentários estão abertos pra isso, faça esse favor. Cheguei na correria e me pareceu que existiam mais stands na feirinha da edição 2012 do Festival No Ar Coquetel Molotov, mesmo que eu ache o espaço do hall do teatro da UFPE enorme e completamente disperso.




[caption id="attachment_17118" align="aligncenter" width="640"] Clayton Barros, ta comportado demais![/caption]

Fui conferir a banda que abria os trabalhos principais da noite, o novo projeto do Clayton Barros (ex- Cordel do Fogo Encantado) intitulado Os Sertões. A banda lançou nesse ano seu primeiro disco “A idade dos Metais” e o repertório da apresentação do grupo foi basicamente com músicas do disco. Achei o show bem morno, com um pequeno público, mesmo bastante atencioso, não chegou a empolgar realmente. A banda é bastante competente, mas acho o som bem mais do mesmo, dentro daquele universo pop com alguma influência de Roberto Carlos ou Arnaldo Antunes (talvez?). O show acabou com uma versão confusa feita pelo grupo para Palhaço do Circo Sem Futuro, deixando claro que a banda anterior ficou para trás, achei bastante desnecessário tal versão, mesmo que tenha agradado as viúvas do Cordel.




[caption id="attachment_17119" align="aligncenter" width="640"] Lucas viajando no guarana com Noz Moscada![/caption]

Depois deles subiu ao palco o cantor e compositor Lucas Santtana, que também aproveitou o show no Festival para demonstrar músicas do seu novo disco “O Deus que devasta mas também cura”, lançado neste ano. Lucas estava bastante empolgado, mais até do que o som que o camarada faz, resultado da mistura de guaraná com noz moscada (segundo o próprio músico no palco). Entre as diversas boas composições do disco novo, o principal momento do show foi a execução de Recado Para Pio Lobato (do Sem Nostalgia), que contou com participação do público dançando em cima do palco durante a música inteira (alguém filmou a dona que atravessou o palco dançando?). Outro destaque era o som do teatro que estava bem alto e nítido, nas duas primeiras apresentações da noite.




[caption id="attachment_17120" align="aligncenter" width="640"] O Kyp ta numa relax, numa boa.[/caption]

A única atração gringa do teatro na noite de ontem foi a banda americana Rain Machine, projeto solo do Kyp Malone (integrante da Tv On the Radio), que fez um show bastante sossegado. Numa apresentação com várias músicas do novo disco da banda, alternou momentos de folk minimalista com algumas experimentações (mesmo que tímidas). Kyp foi bastante educado, simpático e contou com interesse e simpatia do publico que assistia comportados e confortavelmente sentados a apresentação. Me lembrou o show da The Sea And Cake no ano anterior, não existe um clímax ou um momento principal porque em nenhum instante alguma coisa se sobressai, mesmo que esteja bastante clara a competência da banda. Talvez o principal destaque seja a moça que faz o back in vocal, toca teclado (em alguns poucos momentos) e até guitarra, quebrando a presença apenas do vocal masculino de maneira interessante.




[caption id="attachment_17121" align="aligncenter" width="640"] Siba né foda não, foda era papai.[/caption]

O dono da primeira noite do Festival Coquetel Molotov 2012 foi Siba Veloso e seu “Avante”, um dos melhores registros pernambucanos lançados neste ano. Foi o único momento em que a maioria do público se manteve de pé o tempo todo, além de ter sido o show que mais lotou o teatro na noite. É sempre interessante ver esta nova fase do Siba em ação, totalmente a vontade, como disse ele “tocando em casa” o músico apresentou diversas faixas do disco, relembrou tempos de Mestre Ambrósio e interagiu bastante com o público, que cantava com ele diversas frases dos novos sucessos do cantor e compositor. O cidadão instigado Fernando Catatau participou do show tocando guitarra em Qasida (como era de se esperar) e ainda ficou no palco em Canoa Furada e Brisa. Outro destaque do show do Siba, foi a presença do brodagem e baterista Thiago Babalu (muito conhecido no hardcore nacional) integrando o grupo do cantor. Este show pode ser visto como um divisor de águas do trabalho de Siba dentro do seu estado de origem, como artista principal da noite de um festival, trouxe um ótimo público ao teatro da UFPE, que não lotou, mas foi muito acima do que eu esperava. Hoje tem mais, nos vemos por lá...




[caption id="attachment_17122" align="aligncenter" width="640"] Siba levantando o público![/caption]

PS: Todas as fotos pela gatirra Flora Pimentel.

Você também pode gostar

0 comentários