Mente vazia num ônibus lotado: de graça no busão...

por - 14:08


Antes de qualquer coisa deixo claro que realmente me divirto no coletivo, acho bastante interativo e instigante ao pensamento. Isso pro bem e pro mal! Mas às vezes fico muito puto, alguns atos são banais dentro do busão, uma regra não escrita, tipo quando algumas pessoas entram sem pagar. Vejo isso com uma frequência enorme e acabei tendo a ideia de mostrar algumas vezes que acabou rolando toda essa patifaria, segue alguns casos...


Ou eu sou muito ligado no que tá acontecendo no busão, ou então as pessoas são realmente muito discretas na hora de pagar a passagem e rodar a catraca. Porque sempre fica gente na frente do ônibus de bobeira. E eu não tô falando de pessoas velhas, nem de deficientes e muito menos de grávidas, e olha que grávida não passa na catraca, mas tem que pagar hein? Eu sei disso, num é assim? É isso mesmo!! Mas o neném paga?! Paga não né?! Crianças não precisam desembolsar grana até os seis anos de idade.


Um caso crasso do não pagante de passagens é aquela gostosa simpática, que além de ter tido acesso ao coletivo fora da passagem, naipe pedindo carona, ainda fica de papo com o motorista ou cobrador, com aquela roupa colada no corpo e sorriso meio na malicia, até que chega ao seu destino e pula fora, lógico que ela desce devagar, enquanto a macharia ao redor da aquela secada no material. Enquanto isso você está do outro lado da catraca, num aperto do caralho, mas pelo menos tem música pra acompanhar, né não?!


Eu não sou uma pessoa que se diga religiosa, passo longe disso, só devo entrar em igrejas em casamentos (e festas derivadas) ou na MIMO Festival, que realiza concertos em igrejas na cidade alta de Olinda. Mas retornando ao ônibus, com normalidade vejo crentes, com suas bíblias embaixo do braço e aqueles blazers, ou roupa formal qualquer, entrando pela frente, ocupando lugares indevidos e descendo pela frente e dando a paz do senhor. Outro dia vi um entrando pela porta do meio que não aparentava ser idoso, muito menos estar grávido, e nem era deficiente, por mais que alguns crentes aparentem ter retardo mental de alguma maneira. Além de ter tido permissão para tal fato, ainda entraram com ele: a mulher e duas filhas, uma delas mais alta que eu e ocuparam todos os locais vazios do busão, enquanto os demais tentavam passar a catraca. Mas que bando de filha da puta...


Não vou nem entrar no mérito dos familiares dos motoristas, ou namoradas, ou amigos, nem nada. Mas pra finalizar, tem aquele figura que é carismático e falador, que sempre entra no buso e começa a falar sobre o assunto da moda, seja a novela, política, futebol, daí fica na entrada do ônibus atrapalhando a passagem de quem sobe e no final (esse cara nunca leu o nosso manual de como andar no busão), mais uma vez, chega no destino na faixa. Não, eu não sou dono de empresa de transporte público, acredito inclusive que deveria existir o tal do passe-livre, iria realmente ajudar um bocado de gente, apenas penso que se essa galera pode ter essa boquinha, por que eu não posso?


Você também pode gostar

2 comentários

  1. Sem falar na falação do cacete dos cabrinhas do Instituto Manassés

    ResponderExcluir
  2. Só esqueceu de comentar que além disso, ainda tem os fdp que andam de graça só porque tá com aquele sonzinho do inferno tocando uma música que o motorista e cobrador gosta.

    ResponderExcluir