Shuffleando no busão

por - 11:08

shuffle by iloungue


No começo desse ano eu fiz um post nesse mesmo site sobre o quão legal é o shuffle para animar a semana de bosta que você provavelmente tá tendo. A gente sabe que é foda e que você não queria acordar cedo, pegar o coletivo e tomar um sol da porra na cabeça, mas músicas podem mudar isso, vai por mim.


Hoje resolvi fazer uma experiência: colocar meu iPod Shuffle pra tocar e ir anotando as músicas do caminho da minha casa até meu trampo e o resultado foram dez músicas que provam que eu tenho uma playlist de skatista do Tony Hawk 2, ou que sincronizar o iPod com programas que não são o iTunes faz tocar sempre as mesmas músicas.


Vocês vão sacar que eu não tenho mais muito saco pra várias coisas, é bom pra dar uma sacudida no seu dia e por isso, coloquei o streaming de todos os sons e as condições que ele repentinamente surgiu nas minhas orelhas, passando pelos meus fones Phillips de R$15,00. Veja abaixo.


Dag Nasty - Never Go Back:  essa banda é um clássico absoluto do punk que deu origem ao que o Ian Mackaye não gosta e é chamado de emo. Revolution Summer, Washigton DC e um hardcore para fechar o portão de casa e chegar até o ponto de ônibus. Começamos bem.



Parteum - 1995/1998/2001: a gente falou sobre o EP dele ontem, nessa lista de discos que você deveria ter escutado. Esse aí rolou enquanto eu esperava o busão e um cara meio louco fumava compulsivamente do meu lado. Tá bonito, tá firmão, um dos sons mais interessantes do "A Autoridade da Razão".



Xis - Foda-se: anota o meu recado: foda-se. Essa é a música do Xis que me fez parar de achar que era só us mano e as mina, que eu ouvia quando era criança. Você vê o ponto enchendo, nenhum busão passando e porra, o que você mais quer fazer é mandar a SpTrans e a prefeitura para aquele lugar, mas anota aí de novo: foda-se.



Noção de Nada - Diploma: e eis que surge o bendito ônibus, mas ele para no farol e um caminhão fode o trânsito saindo de um prédio em construção. Mas tem erro não, é só comemorar e curtir uma das poucas bandas de hardcore que eu ainda vejo alguma coisa legal. Esse som aqui teve direito a cover do Dead Fish na coletânea "Faces do Terceiro Mundo".



Sabotage - No Brooklin: é, caras, essa música não saiu do meu iPod desde o começo do ano. Ela tá aqui de novo e tava curtindo um sabota até o ponto que um camarada colou, daí a gente trocou ideia e eu interrompi a matéria, mas não tinha trânsito, um belo dum milagre.



Fugazi - Bulldog Front: depois que o chapa desceu terminei de ouvir o Sabotage e aí começou a rolar um Fugazi e eu ali antes do Largo da Batata, no fundão do buso já mandando "You want to figure it out we'll throw down, we'll throw down. You want to figure it out well throw down your bulldog front".


Racionais MC's - Sou 157: não curtia essa música porque eu ficava puto num discurso clichêzão quando era mais pivete. "Ah, Brown, não sei o que não sei o que lá", mas depois que eu cresci, acabei entendendo toda a ideia do som e ele é bem foda. "Uma pá de bico cresce o zóio quando eu chego, Zé Povinho é foda (rooooou) não é não, nego?". E eu tô de mal com o mundo.



Costa a Costa - O Mundo É Nosso: chegando perto do trampo já e pá, nada melhor do que rolar um Costa a Costa. Esse som é um dos mais legais da Mixtape Sexo, Drogas e Violência de Costa a Costa e o mais da hora é que eu saquei só esses dias a parte do "vende ela na Suécia". Parece que no nordeste rola muito tráfico de pessoas para prostituição na Europa. Eu pensei que fosse só um fato isolado, mas não.



Don L. - Pra Mandar O Mundo Se Fuder: tô descendo do busão e pã, já saio me livrando do murundu de gente e mandando o mundo se fuder. Esse som do Don L (que é/era do Costa a Costa) é um dos melhores para fazer um rolê de mal com o mundo, como já diria o Brown e ressalta uma coisa que eu só consigo achar legal quando feito por esse rapper, afinal, a galera força muito essa coisa de sexo no rap, mas ele não. "Procurando a gata pra ser minha Bonie e eu Clyde / Transando no banco de trás, parando o trânsito  / Mostrando como se faz  / Como cê vai linda ? Deixa eu te beijar todinha  / E ser o cara que te come e te faz bem como cê me faz / quando me acompanha num fim de tarde na ponte do cais".



Ogi - Por que, meu Deus?: Essa ai foi na caminhada do ponto até o trampo e para encerrar a matéria. O som fala sobre uma guerra que existe em todo lugar: polícia x bandido. Só que aí é que tá: os dois são vizinhos, os dois são da periferia, filhos do mesmo gueto e acabam se matando num assalto. O sistema é foda.



E assim acaba o shuffleando no busão. Alguma sugestão? Alguma coisa já rolou parecido com você? Acha que sou retardado por ficar anotando tudo num papel no meio da rua e no busão? Se quiser, se expresse aí embaixo, chapa.


 

Você também pode gostar

0 comentários