"Analisando a falta de mudança (de discurso)"

por - 14:11

cronica mudança


Sinto falta do Orkut. Ele era simpático, inovador, fresco e cheio de ideias revolucionárias, para quem viveu em 2004, claro. Especificamente sinto falta da “sorte do dia”, como se aquilo realmente inspirasse algum embasamento em ciências esotéricas e não fosse totalmente randômico. Um horóscopo de jornal se equipara perfeitamente à antiga sorte do Orkut ou a este texto mesmo, com a única diferença de que eu não sou o Walter Mercado. Mesmo Sabendo que aquilo era uma furada, gostava de ler e ficar imaginando de que forma poderia aplicar aquela frase em minha vida. É, eu tinha muito tempo de sobra quando era mais jovem.


Uma das sortes que mais caíam e que volta e meia eu vejo na boca do povo eram a infame frase “algumas coisas nunca mudam”. Digo infame porque essa não me parece bem uma sorte, mas uma constatação puramente niilista. Não que as coisas estejam perfeitas, mas se eu considerasse um horóscopo com estes dizeres, seria melhor começar a andar de bicicleta pelado na linha do trem. Isso porque eu achava que eles ainda escrevessem esse tipo de coisa pra dar uma moral pra quem acredita nessas ondas. Nada contra, não me leve a mal, todo mundo tem se apoia em algo. O meu apoio está nos jogos de Super Nintendo.


Vez ou outra, quando encontro gente que não vejo há muito tempo, ouço um “você não muda nunca”. Levo como um elogio, afinal, estamos falando da juventude que nunca morrerá, certo? Quando essa pira de mudança está ligada a pessoas, sou um pouco mais cuidadoso. É muito fácil exigir que as pessoas mudem sem tomar uma atitude diferente de apontar a falta de mudança. Isso é como ser o famoso arquiteto de obra pronta, que aponta a janela que está fora de lugar depois de já ter construído tudo. Acredito que as pessoas mudem, para pior ou para melhor, porém, também acredito que as pessoas não podem exigir mudanças em outras pessoas. É muito mesquinho querer que as pessoas mudem por uma questão de conveniência, por mais inconveniente que uma pessoa possa ser. Eis aí o tempero da vida. Gente filha da puta e gente legal tudo misturado.


Antes de dizer que as pessoas nunca mudam, leve em consideração que você também pode não ter mudado também, visto que você é uma pessoa também. É como falar que brasileiro é um povo burro sendo um próprio brasileiro. Pessoas mudam de formas diferentes, lentamente e sem um filho da puta cobrando alguma coisa. Podemos apenas mudar coisas ao nosso alcance, mudando inicialmente a maneira como lidamos com a necessidade de mudar. Daí caminhamos para algo mais massivo, consistente, mas sem pressa. Paciência, gafanhoto (ou libélula, se for fêmea). Aquele jargão babaca de dar duas voltas dentro de casa antes de ir mudar o mundo faz sentido. Talvez até literalmente, mas acima de tudo, mudanças acontecem sutilmente. E se não mudar, tem algo errado aí. Pode ser você, pode ser eu ou pode ser culpa do horóscopo. Ah, e não precisa votar direito como todos dizem. Vote esquerdo se quiser. O voto é seu.


cronica mudança

Você também pode gostar

0 comentários