"Breves comentários sobre envelhecimento"

por - 14:11

cronica envelhecer


Quando fiz dezoito anos, achei que veria o mundo de maneira diferente de quando tinha dezessete. Eu realmente acreditava que as coisas, as pessoas, os lugares, tudo seria minimamente diferente de alguma forma. Puro mito. Se você tem menos de dezoito e está lendo isso, tire da cabeça que alcançar a maioridade mudará algo na sua vida. A única coisa diferente é que você pode ir pra cadeia se fizer merda, tirar carteira de motorista e ficar parado no trânsito como qualquer outro ou esfregar o RG na cara de qualquer um que não queira te vender bebida. Porém, se você fizer mesmo o último, você só terá dezoito anos no papel. Esfregar na cara? Que coisa mais Dado Dollabela!



Além destes, você também pode entrar em baladas. Acho que você tem que gostar muito desse tipo de ambiente pra frequentar. Já tentei, nunca gostei. Considero um ambiente muito invasivo para o meu comportamento de animalzinho indefeso, sabe. Música alta, gente excitada e dopada com alguma substância em excesso, banheiros nojentos, um imbecil dando pause e play em umas músicas no shuffle. E não estou falando de baladas de música eletrônica ou afins. As indie parties podem ser incluídas nesta descrição. Até porque para mim, as indie parties são exatamente como um grande rodeio, mas para a galera ~alternativa~.



Há algo que ninguém costuma dizer sobre a maioridade. A expectativa de se fazer dezoito anos não se compara em nada se falarmos da decepção ao se fazer dezenove. Se você não fez nada de especial aos dezoito, quando passar para o próximo nível, não vai parar de pensar como aquele mundo que você achava que ia se abrir simplesmente não abriu. E nem adianta usar password, porque não havia nada a ser aberto. Isso sem contar na tristeza em se completar vinte anos, quando você realmente repara que está ficando velho, pois sua idade sobe da casa do 10 para a casa do 20. Pode parecer um nada e pode até não ser nada, mas é algo que fico pensando as vezes enquanto reclamo do mundo mudando sem ele me avisar.



Envelhecer é algo que vai além da minha compreensão agora. Talvez por ainda ser jovem. Mas sinto que a cada aniversário que faço, isso vai ficando mais claro em minha mente. O problema não é envelhecer, mas sentir que o mundo não está acompanhando seu progresso ou que ele progride muito mais rápido que você. Isso pode causar certo estranhamento, o que explica seu avô reclamando da televisão fazer muito barulho. Mas envelhecer é uma questão de perspectiva, se considerarmos que tudo é uma questão de adaptação, claro. E mesmo que eu esteja errado em minhas inferências, “não devemos nos odiar por estarmos envelhecendo, mas nos amar por estarmos crescendo”. Essa série era muito foda.


cronica envelhecimento

Você também pode gostar

1 comentários