Saudade daqueles funks de busão

por - 12:08

materia funk de busão


Houve um tempo em que as pessoas cansaram de pagar pau de gringo e começaram a fazer seu próprio som. Algo novo, que não falava das realidades distorcidas de outros países ou de problemas muito maiores que não ter uma modelo super gostosa junto com sua maserati. Assim, nos grandes subúrbios do Rio de Janeiro, surgia o funk. Por ser tão irreverente e por ser tão próximo e compatível com a realidade de outros subúrbios, o funk foi uma febre. Febre esta que se tornou dengue. E que atualmente se tornou malária.


Todos conhecem os funkeiros e seu estilo de vida ao mesmo tempo subversivo e datado. Tal como, graças aos recursos de telefonia celular, conhecemos seus batuques eletrônicos e suas histórias sofisticadíssimas, porém, devo dizer que é notável a diferença do funk de outrora para o funk atual. Não quero entrar em méritos de julgar nada. Na verdade, quero entrar no mérito de dar a você, amigx leitorx, a chance de fazer este julgamento. Nós do Alt juntamos alguns dos funks que costumávamos ouvir antigamente nos fundos dos busões para que você o compare com o que está sendo tocado nos busões agora. Se você quiser realmente ouvir os funks de agora, pegue um ônibus e torça para encontrar o bom amigo funkeiro. Costumo dizer que funk é como vinho. É uma bosta o tempo inteiro, mas bom pra tomar de vez em nunca.




















Você também pode gostar

0 comentários