"Impressões não-natalinas sobre o Natal"

por - 16:09

natal linduxo


O mundo dá voltas. Várias delas. Talvez nos esqueçamos disso facilmente por estarmos girando junto com ele numa dança envolvente no salão cósmico do universo ao som da mais bonita balada silenciosa sussurrada pelo fluxo vital que mantem esta dimensão ativa. Mas cortando o papo pseudo-simbólico-star trek, o mundo dá tantas voltas que agora vai completar uma das grandes em torno do sol ou, em termos mais simples, o ano vai acabar logo logo. E nem calendários maias são necessários para se saber disso, afinal, já anunciaram o especial de Natal do Roberto Carlos na televisão. E ele não me engana. Tenho certeza que eles vêm reprisando o mesmo show pelos últimos cinco anos e agora que ele tem algo novo pra mostrar, vão gravar um novo.



Final de ano me deixa meio triste. Não sei se é pelo consumismo ativo que me lembra de que não tenho dinheiro ou se pela época do ano em que todo mundo finge que gosta de você só pra ficar bonito na foto. Ou talvez ambos. Mesmo sabendo que é aniversário de Papai Noel, não acho que essas coisas agressivamente repentinas se explicam com facilidade. Acho até engraçado como muita gente gosta do natal justamente por estes motivos. “Deixe o espírito natalino tomar conta de você”, eu já ouvi. Não mexo com espíritos e nem com entidades xamânicas, obrigado.



Desde que me tornei vegetariano, a ceia de Natal não passa de uma refeição comum. Se pararmos para pensar, chester é um nome muito legal e você come uma ave com este nome. Aliás, chester é uma ave? Este é o tipo de questionamento que deve surgir em toda época de fim de ano, mas que fica sem resposta para que seja refeito o questionamento no ano seguinte. E é assim que se mantem uma tradição. Com dúvidas, um tempo de cozimento enorme e uvas passa para acompanhar. A única fruta que consegue simular perfeitamente o gosto de insetos de jardim e que nunca falta na maioria das ceias de natal que já estive. Não tem como não gostar de final de ano dessa forma.



Alguns dos costumes natalinos até são válidos se pensarmos nas criancinhas. Ninguém pensa nas criancinhas, então o farei por hora. A ideia de ser uma boa criança para ganhar presente de natal do seu Nicolau pode funcionar do ponto de vista comportamental. Esqueça o fato de que isso tudo seria uma grande chantagem para fazer seu pivete calar a boca e parar de ser mimado, até porque tudo que é ruim e funciona costuma ser mantido e incentivado em prol do bom e velho pragmatismo. Claro, imagino que a parcela de crianças que não gosta de sentar no colo de um velho barbado não se vê muito tentada a ser boazinha por este motivo em específico. Mas se tem quem gosta, vai fundo Papai Noel... mas mantenha as mãos onde possamos ver.


pedofilia é crime

Você também pode gostar

0 comentários