"Anime-se, o mundo não acabou"

por - 16:08

swaggin' bitch


Muito provavelmente eu não serei o primeiro idiota a te dizer isso, mas o mundo não acabou. Ainda teremos ônibus lotados, ainda teremos que ir trabalhar segunda feira, teremos a louça suja do domingo, as dívidas do cartão de crédito, as olheiras das noites mal dormidas e as reclamações de quem achava que tudo realmente podia acabar. Ingenuidade de quem pensava que tudo podia acabar tão repentinamente. Acho que terei metrô perto de casa antes do fim dos tempos, isso se não chover. A terra da garoa tá virando a terra da chuva que dá perebas na pele de quem toma chuva. E acho que não dá pra contar isso como fim do mundo porque a chuva de São Paulo sempre foi toda errada.


Vi num telejornal a história de um cara que construiu uma casa toda especial para sobreviver ao fim do mundo. Não deixei de me perguntar como diabos ele achava que o mundo ia acabar porque a casa tinha um formato oval, com janelas de escotilha de navio e cheia de passagens secretas subterrâneas com comida estocada. Ele deve ter gastado uma grana pra fazer algo tão... inovador. E a pior parte é que o ovo do destino nem foi testado, o que só faz a estrutura ser ainda mais questionável. Eu botaria mais fé num reboot da arca de Noé, só por dizerem por aí que ela deu certo uma vez. Se fizeram filme sobre isso, deve ser verdade, né? Porque fizeram filme sobre 2012 também e tal.


Espero muito que o dia 21 de dezembro não fique marcado como o dia em que o mundo não acabou. É o tipo de evento que facilmente se transformaria numa data comercialmente viável. Consigo até imaginar as propagandas nas Casas Bahia. “Os maias previram o fim do mundo e agora preveem o fim dos nossos estoques” me soa bastante apropriado. Será isso ou um vídeo viral de algum maluco gritando que o mundo vai acabar enquanto dirige um caminhão cheio de ofertas da Marabraz. Seria eu um gênio do marketing ou um faixa preta em apontar o óbvio?


Esse papo todo que ninguém mais aguenta tem que ter um lado bom e este é bem aparente. O Natal nem está em tanta evidência como normalmente fica nessa época. Quando se tem medo de que o mundo acabe, todo mundo se esquece do aniversário do amigão de todos pra ir fazer aquilo que sempre quis fazer. Aliás, eis aí algo que não vi muito. Mesmo com a ideia de que o mundo podia acabar, não vi ninguém se movendo para fazer coisas que nunca fez. Dos dois, um: ou ninguém levou fé nesse papo ou mesmo com a possibilidade de ser varrido da existência, ninguém tomou uma atitude e preferiu morrer com arrependimento. Não quero apontar dedos na cara de ninguém, até porque eu mesmo não movi uma palha e estou bem assim. Até porque, agora pode ser tarde demais. Ou cedo demais.


Claro, nem fodendo que o mundo iria acabar de uma vez numa sexta feira, mas confesso que em algum momento me peguei pensando “e se essa porra acaba ou fode metade dela?”. Não é o tipo de coisa que a gente espera, mas ficaria muito chato ver metade do mundo fodido e ainda dizer que o mundo não acabou. Sempre ficaremos a mercê das perspectivas, mas não importa o que aconteceu na sexta, o mundo sempre existirá. Com ou sem você. Ou melhor, com ou sem nós. Mas, acima de tudo, o mundo conosco também existirá e a segunda feira nos aguarda como aquela menina feinha que era apaixonada por você, mas que você não dava a mínima.


feinha

Você também pode gostar

0 comentários