"Comentários sobre a frustração"

por - 16:04

cronica frustração


Quantas estradas um homem precisa percorrer? Há quem diga que a resposta é 42, mas vamos refazer a pergunta. Quantas vezes um homem precisa percorrer a mesma estrada? Agora ficou mais difícil responder. Sempre tem um ex-derrotado falando sobre suas vitórias nas palestras motivacionais da vida, mas quantos ex-vencedores falam sobre suas derrotas? Melhor dizendo, acho que neste caso a frustração cabe melhor na questão. Porque bater na trave e ir pra linha de fundo é pior que não ter chutado no gol. A não ser que estejamos falando daquele vídeo do Ronaldinho em que ele acertava a trave uma caralhada de vezes. Aquela porra é montagem, né?



Nunca li um livro de auto-ajuda, mas sempre que penso nesta categoria literária, fico sem entender muita coisa. Por “auto-ajuda”, compreendia que o indivíduo iria se ajudar sozinho e não com a ajuda de um livro, que no caso faz o papel de um auxiliar indiretamente, atirando no rabo do conceito de se auto ajudar e fazendo o processo se tornar uma ajuda literal literal. E quem escreve livros de auto-ajuda? Derrotados ou vencedores? É preciso saber o caminho para trilhá-lo ou o caminho sempre é o mesmo? De qualquer maneira a questão não é relevante, o que quero apontar é este certo pragmatismo quando o assunto é se livrar daquilo que é desagradável a aqueles que não desejam ficar em segundo lugar.



Nunca repeti o ano na escola. Isso pra mim já é motivo de glórias acadêmicas, apesar de não ter sido o melhor dos alunos e nem de ter estudado na melhor das escolas. Os repetentes sempre têm aquela aura vermelha de quem já viveu a vida mais do que um novato na aula de português, mas no fundo, se frustram com o baixo rendimento escolar, com os colegas passando à frente e com o sistema de ensino que não o ajudou a acompanhar a galerinha. Todos os que conheci eram assim. Eles eram muito legais (claro, os que não me batiam e os que não desenhavam pintos no meu caderno), mas ainda assim, sempre me pareceram incompreendidos no fim das contas. Perspectivas e expectativas são maléficas nas relações sociais, mas ninguém aprenderá esta lição. E estarão fadados a serem repetentes num distante amanhã.



Talvez a pior de todas as manifestações físicas da frustração seja a topada na quina com o dedinho. Aquilo dói, mas dói mais na mente que no dedinho mesmo. Pense na dor como um lembrete de que você está longe de ser perfeito e que ainda vai ter que levar a mesma vidinha pelo resto da sua existência. Nada será pior do que a dor que te acompanhará para todo o sempre e a lembrança de que você voltará a se frustrar, a dor vai voltar e você não tem escapatória deste traçado destino. Devo estar exagerando, aliás, torça para que eu esteja.


cronica frustração

Você também pode gostar

0 comentários