O capitalismo é uma merda: Surplus

por - 12:11

surplus


Surplus, uma produção de 2003 do diretor Erik Gandini, mostra uma realidade cada vez mais aterrorizante que está totalmente banalizada nos dias de hoje. A de que o homem transformou-se em uma máquina de consumo e ganância que está destruindo o mundo e o tornando cada vez mais afásico e amoral.


Erik Gandini nos apresenta um filme bastante intrigante no qual ele usa de uma estética diferente e moderna, com imagens e sons que praticamente transformam o filme em um videoclipe, tornando-o visualmente interessante o que prende a atenção das pessoas, principalmente o público jovem, para que a mensagem seja apresentada de uma forma objetiva e clara desta situação da sociedade contemporânea.


Com uma visão bem forte da realidade atual, o filme mostra como o meio ambiente vem sendo destruído para que as indústrias continuem a produzir cada vez mais e assim maximizem seus lucros. Além desta questão ambiental Erik Gandini mostra também como a publicidade hoje está sendo distorcida pela indústria cultural para impor suas vontades às pessoas que perante esta situação acabam sendo influenciadas a comprar coisas totalmente supérfluas.


Outra parte marcante do filme é a entrevista com o filósofo e anarco-primitivista americano John Zerzan, um defensor da ideia de que os problemas da humanidade só serão sanados com a desindustrialização da sociedade e com o abandono da tecnologia. E durante todo o filme trechos da entrevista de Zerzan são mostrados, fazendo um comparativo entre o que ele pensa e o que de fato anda acontecendo no mundo.


Uma questão muito marcante nesta sociedade de consumo é o dinheiro, que no filme é abordado mostrando a vida de algumas pessoas de várias partes do mundo, como um garoto europeu que ficou milionário, mas que prefere ter sua vida simples e sem muito dinheiro de volta, ou a garota Cubana que em uma viagem descobriu e ficou deslumbrada com o mundo consumista que existe fora de Cuba; Ou também os trabalhadores Indianos que ganham a vida desmontando navios. Tudo isto para exemplificar esta particularidade do capitalismo que deixa poucas pessoas com muito e muitas pessoas com pouco.


Surplus apesar de ser bastante pessimista, pode ser encarado como um alerta para todas as pessoas do mundo de que chegou a hora de alguns valores da sociedade serem repensados e algumas atitudes em relação ao meio ambiente serem tomadas com certa urgência.


Assista ao filme abaixo.



Texto escrito originalmente para o Cine Cido.

Você também pode gostar

2 comentários

  1. Tudo bem que interpretação em quase todos os casos e individual, mas fica um pouco claro a crítica tanto ao Capitalismo quanto ao Socialismo, mostrando finalmente o conceito de sociedade em que supostamente nos adequaríamos.
    Trechos como o da menina falando sobre a variedade de alimentos mostra como dentro do sistema que ela vive(socialismo) tudo é meio "Cinza" de verdade.
    Quando aparecem pessoas andando por cuba e o som de fundo é uma marcha militar, ou trechos do fidel discursando com o audio do acionista da microsoft gritando "I LOVE THIS COMPANY, YEAHH", são indícios de críticas ao outro lado da moeda também.
    Parabéns pelas matérias, continuem assim.. Só notei que esse detalhe pode ajudar a descrever melhor o assunto que o longa aborta. Abraços!

    ResponderExcluir