Ouça, baixe e compartilhe a coletânea Cena Independente #14

por - 11:04

cena independente 14

A Cena Independente é uma coletânea mensal, inspirada no Music Alliance Pact, que busca apresentar aquilo que há de mais novo e relevante na música nacional através da curadoria de blogs especializados, cada um responsável por um estado brasileiro. A mixtape é organizada pelo FUGA e publicada sempre no último dia de cada mês pelos 16 blogs parceiros.


Atualmente o projeto conta com 16 blogs de todas as regiões do país, mas ainda há bastante espaço para novos parceiros, principalmente das regiões norte e sul. Caso seu estado não apareça na lista, entre em contato conosco e torne-se mais um blog curador da coletânea.

Baixe aqui a Cena Independente #14


image


PERNAMBUCO: AltNewspapper
Luiz Pessoa – Chaos Magic Disco (rock/instrumental/experimental)


Luiz Pessoa é um daqueles músicos matemáticos, fez parte de diversas bandas e produções voltadas para trilhas locais, tanto em curta quanto longa metragens. Tem um disco duplo com composições próprias lançado em 2009 e fez ou faz parte de algumas bandas instrumentais da cena recifense (monodecks e Sãomer Zwadomit, para citar algumas). Na faixa Chaos Magic Disco, ele mostra toda psicodelia contida em seu ser, digna de outros tempos da música mundial recheada de alucinógenos e muitas cores, mas feita em tempos de equipamentos digitais.


Para quem gosta de: Monodecks, Pink Floyd, drogadinha


1 large copy


GOIÁS: Alice Ilícita
Shotgun Wives – Draw (folk )


Com influências das raízes do folk como Bob Dylan, Johnny Cash, Tom Waits, Woody Guthrie entre outros, mas também com fortíssimas influências de bandas como Modest Mouse, Mimicking Birds, Velvet Underground a banda goiana Shotgun Wives lançou em janeiro de 2013 seu primeiro EP intitulado Hail To The Lizard King, EP que conta com 5 músicas: Dirty Money, Left Hand, Draw e Safe Kids. Ouçam a seguir Draw o primeiro single da banda. E prestem bem atenção porque o som dos caras é doidimais fi!!!


Para quem gosta de: Johnny Cash, Bob Dylan, Mumford and Sons


cacique revenge


PARANÁ: Defenestrando
Cacique Revenge – Perigo Púrpura (funk/psicodelia)


Novíssimo e promissor nome de uma nova safra de bandas que se estabelece em Curitiba, o Cacique Revenge é liderado por Cassiano Fagundes, veterano que se notabilizou ao passar por bandas como Bad Folks e Cassim & Barbária. Prestes a lançar o disco de estreia (“na verdade será um álbum magazine, com uma revista junto”, explica Cassiano) Perigo Púrpura é uma das primeiras composições do grupo a cair nas mãos do público. Instrumental e psicodélica, a faixa é uma viagem espacial funk lisérgica.


Para quem gosta de: James Brown e Guizado


Clara e a Noite


RIO GRANDE DO NORTE: FUGA Underground
Clara e a Noite – Fotos Coloridas (piano blues)


Clara e a Noite chegou ao seu segundo EP abrindo mão de vez das guitarras e baseando seu som inteiramente no piano. Criada como uma forma de Clara Pinheiro escoar suas composições para além do samba-rock da Orquestra Boca Seca, a banda tem como principais referências o blues e o piano rock dos anos 50 de caras como Little Richard e Jerry Lee Lewis, além de um vocal marcado por uma forte influência do soul. Entre faixas novas e outras já conhecidas de quem acompanha a banda na noite natalense, Amor da Outra representou um passo a frente na qualidade musical da banda. Fotos Coloridas é a faixa que abre o EP.


Para quem gosta de: Simona Talma


CapaSey3-648x648


SÃO PAULO: Move That Jukebox
Seychelles – Ghosts Are Gone (indie/acoustic/rock)


E lá se vai uma década de estrada na conta dos paulistanos do Seychelles. Para comemorar, o quarteto recrutou participações especiais e disponibilizou seu terceiro disco, com 14 inéditas, para streaming e download gratuito. E se a cerne do grupo sempre foi baseada em guitarras roqueiras e riffs de fácil assimilação, um dos destaques de Seychelles 3 é a surpreendente Ghosts Are Gone, uma maravilhosa balada acústica, com cara de trilha sonora e cuja autoria é dividida com a cantora Monique Maion. Pra ouvir de olhos fechados.


Para quem gosta de: Rosie & Me, Autoramas, Cascadura


andremendes2


BAHIA: El Cabong
André Mendes - A Cidade Que Eu Digo Não (pop rock)


André Mendes já teve um rápido momento de fama nacional no pop nacional com a banda Maria Bacana nos anos 90. Anos depois ele retomou uma carreira solo, focada em canções menos roqueiras. Depois de um disco em 2010, ele lançou outro na parte final de 2012, Enfim Terra Firme, um trabalho ainda bem mais acabado e definitivo que o anterior. Nele, músicas novas e antigas definem o espaço musical de André na música local, com composições pop bem construídas, ensolaradas, com violões e guitarras se revezando, e a velha capacidade de produzir belas canções carregadas de sentimento.


Para quem gosta de: Legião Urbana


Posada e o Clã


RIO DE JANEIRO: RockInPress
Posada e o Clã – Retalhos (regional/alternativo)


Carlos Posada não aparenta ter a idade que tem. Caminha na rua com semblante sempre sério. Segura o microfone como um rapper pronto para soltar suas verdades. Sua cabeça parece borbulhar ideias, criando letras confessionais que exploram literatura e o sertão, mesmo tendo nascido na Suécia. Sua banda, Posada e o Clã, mistura essas influencias ao ar pesado que a voz de Carlos carrega, resultando assim num potente conjunto sonoro pronto para lançar seu primeiro álbum, ainda neste semestre.


Para quem gosta de: Lenine, Nação Zumbi, Alceu Valença


Capa


RIO GRANDE DO SUL: Ignes Elevanium
Apanhador Só – Paraquedas (indie/rock alternativo com ritmos brasileiros)


Em 2010 o Apanhador Só destacou-se em listas de melhores daquele ano em muitos blogs especializados, mergulhando-se entre os febris lançamentos de Tulipa Ruiz, Marcelo Jeneci, Mombojó, Karina Buhr, Labirinto e até sua conterrânea Superguidis (R.I.P.). Após um registro acústico e de certa forma experimental (Acústico-Sucateiro, 2011), seus últimos lançamentos ocorreram em 2012: o compacto Paraquedas que com duas faixas dão uma palhinha do que será o segundo disco de estúdio da banda, e o clipe de Nescafé.


Para quem gosta de: Los Hermanos, Ecos Falsos, Bazar Pamplona


quase coadjuvante


MINAS GERAIS: Meio Desligado
Quase Coadjuvante – Ritalina (indie rock/lo-fi)


O instrumental excepcional de Ritalina, uma das faixas mais pesadas do CD Cartas Para a Próxima Estação, serve como introdução ao trabalho da banda belo-horizontina Quase Coadjuvante. Nela, estão presentes alguns dos principais elementos recorrentes da banda, como as boas letras, as influências indie/noise e um clima noventista despertado em quem era jovem demais para ter aproveitado aquela década, ressaltando ainda mais a melancolia e a sensação de deslocamento transmitida nas letras.


Para quem gosta de: Violins e Jair Naves


TICK


ALAGOAS: Sirva-se
TICK – Watchman Of Square (grunge/rock alternativo)


Suja, gritada e simples, assim é música da TICK, banda alagoana da cidade de Arapiraca. O clima sombrio de algumas canções faz disso uma característica forte no som dos caras, grunge garageiro que mostra sem medo a influência de bandas como Nirvana. Atualmente como um power trio a TICK acabou de lançar um demo-clipe da música Watchman Of Square que é a nossa indicação da vez pra coletânea. A formação atual da banda está cada vez mais se encontrando e já mostra estar no caminho certo e cada vez mais encarando com seriedade a produção autoral. Vamo acompanhar pra ver no que dá.


Para quem gosta de: Nirvana, Mechanics, Sonic Youth


gallo azhuu


MARANHÃO: Shock Review
Gallo Azhuu – Praia (rock ‘n’ roll)


A Gallo Azhuu acaba de lançar seu primeiro disco (Gallo Azhuu, 2012), cujas 10 faixas estão disponíveis para audição e download gratuito no site www.galloazhuu.com. A banda maranhense já conta em seu currículo com participações em festivais por todo o Brasil - Grito Rock Atibaia e Bragança Paulista (SP), Olinda (PE), Festival Martelada (DF), Rock Cordel Teresina (PI). Formada por Pataugaza (guitarra e vocal), Moaci Junior (Guitarra), André Grolli (baixo) e Denis Carlos (bateria), a banda faz um rock’n’roll influenciado por blues e rock clássico setentista, com letras sobre sexo (Amor, Praia, Um Filho em Você), psicodelia (O Homem-Árvore, Platypus) e o sobrenatural (Espingarda, Mansão dos Mortos).


Para quem gosta de: Black Sabbath, Grand Funk, blues


vdm


CEARÁ: Implosão Sonora
Verónica Decide Morrer - Aqui Jazz Você (rock)


Verónica Decide Morrer, que tem “como estilo o rock’n roll e como seguimento o rhythm&blues”, surgiu em meados de 2010 é uma das bandas mais ousadas do Ceará atualmente. Formada por Jomar Carramanhos (Verónica Valenttino), Jonas Sampaio, Dario Oliveira, Léo Breedlove e Bruno Carvalho, Verónica mistura música e performance teatral, trazendo um som que faz com que a gente queira dançar a noite toda.


Para quem gosta de: Rolling Stones, rock cru, performance


1000-Kicks-On-The-Cocks


MATO GROSSO: Factóide
1000 Kicks On The Cocks – 4.20 (rock instrumental)


Choque de titãs surgido nas "férias" de fim de ano em Cuiabá, Bruno Kayapi do Macaco Bong entrou no estúdio com Alexandre Facchini e saíram de lá com esse projeto instrumental 1000 Kicks on the Cocks. Conhecendo essas duas feras, a expectativa é grande e 4.20 não decepciona.


Para quem gosta de: Macaco Bong, Rage Agains the Machine, Bush


Você também pode gostar

0 comentários