#TerçaGringa: A experimentação eslovaca do Swarm

por - 12:04

Swarm

Desde que abrimos o Hominis Canidae recebemos vários lançamentos gringos com emails do tipo “Hi guys, this is my band [link] and i like so much if you post my álbum in your website. Many thanks!”


Dando um role na tonelada de email que recebemos entre spams, discos nacionais e materiais gringos, me chamou atenção um email que vinha da Eslováquia de uma banda chamada Swarm que se dizia “experimental, surrealism, post-industrial, jazz and other”.


Até agora eles só tem um EP, Ritualogy, lançado em 2013 que na boa, é uma maravilha. Para te situar um pouco no tipo de música que eles fazem: a segunda faixa, “Dope”, lembra um pouco a ótima atmosfera criada pelo Sobre a Máquina em alguns sons.


Há um vocal, mas é uma voz estranha, deve ser porque eles são da Eslováquia, entretanto, isso dá um clima em meio a tantas experimentações sonoras criadas pelo Swarm.


Em “Pass Over” o grupo distorce tudo e acaba criando uma sensação estranha, em meio a sons que lembram chicotes transformando-se em questões de segundo em uma espécie de ritual religoso.


Mas não estamos aqui para estragar surpresas, já adiantei duas faixas do EP que contém cinco. A única coisa que pode soar como ponto fraco em Ritualogy para alguns é uma falta de uma linha a ser seguida: as músicas se distanciam uma das outras na maioria das vezes, o que para mim não chega a ser um problema.


Swarm

Se você, assim como eu, achava que essa região era formado apenas por gelo, gente estranha e albergues prontos para te usar num esquema mundial de venda de órgãos, mas tire o cavalo da chuva, de lá saem boas coisas.


Os caras são tão legais que colocaram um mini faixa a faixa no Bandcamp e resolvemos traduzir, leia abaixo.




1 “Invocation” foi gravada faz dez anos com 3 cordas de uma guitarra velha (E, D, B), preparando piano e viola. O sintetizador acaba sendo o ponto central da atmosfera criada pelo som.

2 “Dope” é uma composição de quatro dias compilada em uma faixa de seis minutos. Simplicidade é a chave do que é tocado aqui. E o trompete? Ele é o tempero.

3 “Pass Over”, bem, uma experimentação maldita. Drogas psicodélicas não foram tomadas.

4 “Born That Way” – nós pegamos emprestada a voz de Anton Szandor LaVey em seu documentário. E sim, esse não é um som para recrutar pessoas para o satanismo.

5 “Tribal Fisting” é um tributo às tradições folclóricas da Eslováquia. A estrutura dessa música é feita a partir de um curta metragem que tem uma ideia parecida com a nossa.

 

Baixe Ritualogy EP em FLAC ou MP3 direto do site deles.

Você também pode gostar

0 comentários