#TerçaGringa: Hey boy, okey dokey!

por - 11:04

Boom Boom Kid


O que dizer do Boom Boom Kid? Um grande amigo que conheço há um tempo e amodoro de paixão. É sincero, verdadeiro e sempre foi leal, por isso faço esse depo pra ele (rsrsrs), mentira, na verdade foi porque ele pediu mais continuo adolando ele. Bjs.


Você pode se perguntar que porra foi aquela no primeiro parágrafo mas é apenas uma indicação que conheci o Boom Boom Kid na época do Orkut - aquela rede social hoje falida -, por conta de uns trutas punks. O engraçado, de verdade, é que alguns adjetivos dados como zueira de depoimento se aplica perfeitamente ao BBK: sinceridade e um som verdadeiro.


Caso não esteja ligado, o Boom Boom Kid é a banda comandada pelo Nekro (Fun People) e é argentina. Por favor, não fique de birra com os caras apenas porque o Maradona é infinitamente superior ao Pelé, ou porque o Messi é jogador de verdade e o Neymar é só mais um Robinho.


Voltando ao som: imagine um punk rock legal pra caralho com letras sobre amor, a música, gatos e claro, política. Misture tudo isso com alguns ritmos argentinos, como o tango, adicione um pouco da explosão do emo nos anos 90 - e me refiro a época boa, The Get Up Kids e cia -, mexa tudo isso, adicione mais um pouco de tempero latino e um cabelo do dread sujo do Nekro e terás a definição perfeita do que é o Boom Boom Kid.


O meu álbum predileto dos caras é o clássico e lendário Okey Dokey, lançado em 2001 - e que o Mozine tá distribuindo pela Läjä Records aqui no Brasil. Mas disponibilizo a discografia deles para vocês tirarem suas conclusões, afinal, são mais de quatro álbuns, uns EPs, singles e etc.

Aqui você pode conferir o link para um blog latino com a discografia dos caras e caso algum link falhe, você pode tentar no Share This Breath. Sabe o que tudo isso significa? Que não adianta pedir pra gente reupar. Então aproveite enquanto é tempo, caro hermano.

Você também pode gostar

0 comentários