Um papo sobre o universo do horror com o Toca o Terror

por - 14:05

Toca O Terror

A internet revolucionou o mundo, isso é uma das maiores verdades. Algumas coisas foram extintas, outras se adaptaram, perderam espaço, sem contar que democratizou realmente a informação e o espaço para uso. Hoje em dia qualquer pessoa pode ter um blog ou qualquer ferramenta social e falar o que quiser. O mesmo se aplica quando se pensa em rádio, se no veículo tradicional nem todo mundo pode abrir a boca, na web além das rádios online ainda foram criados os tais podcasts disponíveis para tal fato. Unidos por essa vontade de expor suas opiniões e um gosto em comum, cinco (ou seis) amigos do Recife se reuniram e criaram o Toca o Terror. A ideia é simples, comentar as produções cinematográficas dedicadas ao terror, dando dicas, citando curiosidades, e falando mal ou falando bem de quem merecer.


Um dos integrantes é Jarmeson de Lima, produtor cultural do Recife, um dos responsáveis pelo festival Coquetel Molotov e velho conhecido aqui da casa. Junto com eles estão Queops Negronski, Geraldo de Fraga, Júlio Carvalho, Jota Bosco e um fantasma, Diogo Monteiro, que apareceu apenas uma vez. A brincadeira começou em novembro do ano passado, e hoje já tem mais de 15 episódios gravados normalmente aos sábados e disponibilizados na internet através do Soundcloud (siga-os). Todos com temáticas diferentes., os caras já falaram de zumbis, aliens, terror oriental, series, Jason, melhores do ano, entre outros assuntos.


Equipe_parcial

Segundo Jarmeson, mesmo com pessoas de idade e perfis diferentes tocando o terror, uma coisa em comum é o apreço pela obra do diretor John Carpenter (que já ganhou dois programas apenas para ele) e a antipatia pelo escritor Stephen King, que a equipe considera superestimado. Uma característica legal do programa é o bom humor dos integrantes, além do desprendimento e acidez ao comentarem filmes e cenas das mais ridículas do terror atual e clássico. Segue alguns comentários dos integrantes sobre nomes do terror mundial.



"Wes Craven foi um dos primeiros nomes do terror que ficou na minha cabeça. Primeiro por A Hora do Pesadelo, que passava incessantemente nas noites do SBT e me apresentou um dos grandes ícones do cinema: mister Freddy Krueger. Segundo por Pânico, que brincou com os clichês das franquias de terror de uma forma brilhante. Tudo bem que o filme desencadeou uma leva de filmes ruins de psicopatas, mas isso não foi culpa dele. Wes Craven também é responsável pelo doentio Quadrilha de Sádicos, outro clássico do gênero, além do trashão A Maldição de Samantha. Claro que ele teve alguns desvios de conduta como Amaldiçoados e Um Vampiro no Brooklyn, mas nada que o vá tirar do panteão dos mestres do terror." (Geraldo de Fraga)



"Um dos meus diretores favoritos é, sem dúvida, George A. Romero. O cara que não necessariamente inventou os filmes de zumbi, mas popularizou o gênero. O cara que pegou os malassombrados zumbis do voodoo e os tornou o vizinho que mora ao lado. E para não resumir a filmografia dele simplesmente aos comedores de carne, temos: vampiros (Martin), bruxas (Season of the Witch), motoqueiros (Knightriders), animais (Monkey Shines) e até adaptação de Alan Poe (Two Evil Eyes)! Ou seja, o cara tem horror nas veias." (Bosco)



Acompanhe também o Toca o Terror no Facebook. O perfil é sempre atualizado com matérias sobre o terror, seja no cinema nacional, mundial, nos livros e nas séries de TV. Eles também estão no Twitter, o lance é tocar o terror em todo o lugar! Afinal, quem não gosta de filme desse gênero?

Você também pode gostar

1 comentários

  1. Salve! Passo rápido para agradecer a força dada. Curti a matéria, rápida, mas manda bem o recado. O terror agradece.
    Tamo junto.

    ResponderExcluir