Conversa de botões

por - 14:04

botoes

— Olha só, esse terno lhe caiu tão bem, rapaz.

— Você viu, não é simplesmente fantástico?

— Pois é. Agora só falta os caras chegarem.

— Que caras?

— Ora, seus amigos, eles não disseram que vinham só pra ver como você se saía dessa?

— Você tá ficando louco? Eu não tenho como sair daqui.

— Ah, então tá difícil.

— Me diga, como diabos poderia?

— Num sei, você sempre deu um jeito pra tudo.

— É, é verdade, mas eu acho que dessa vez não vai ter jeito, o terno está tão bem alinhado, não queria desperdiçar a oportunidade de aparecer assim tão bem vestido em público numa ocasião tão singular. Nunca vesti essas coisas antes, meus pais com certeza vão ficar orgulhosos.

— Sim, claro, posso até imaginar, mas você já parou pra se ver, veja bem, olha pra você, rapaz, parece constrangido, não se sente confortável na roupa, disso eu sei perfeitamente bem, e além de tudo está pálido. Tem medo de que?

— Não é medo, é só um incômodo esquisito aqui entre meus ombros que...

— Silêncio, silêncio. Agora não tem mais jeito, eles chegaram, disfarça, o velório vai começar, aja naturalmente, ajeita o algodão do ouvido.

Você também pode gostar

2 comentários