Impressões, vídeos, fotos: Explosions In The Sky no SESC Belenzinho

por - 14:08

Explosions In the Sky - SESC BELENZINHO

Provavelmente tudo que poderia ter sido dito sobre os shows do Explosions In The Sky no Brasil já foi falado, até imagens já postamos por aqui. Mas me entendam, eu estava em São Paulo por uma semana, usando o mínimo de tempo possível a internet e precisava falar sobre os shows. Os shows não, as performances. Porque o que eu vi nos dois dias de apresentações da banda americana no SESC Belenzinho foram atividades musicais performáticas, não apenas shows.


Antes de falar da banda no palco, falarei um pouco de minhas impressões sobre o lugar. A comedoria do SESC Belenzinho é muito boa, lugar bonito e com espaço de sobra para o dobro de ingressos colocados à venda pela casa para os shows. Aí entra o caráter capitalista da coisa: se fosse um espaço de show visando o lucro, venderia um número bem maior que os 500 ingressos por dia vendidos pelo SESC - o que causou uma comoção e um monte de gente pagando caro por ingressos do show de São Paulo ou correndo para o Rio de Janeiro pra ver o show do grupo no Circo Voador (o que também saiu caro).


Por mais que eu conheça pessoas que chegaram mais cedo nos dias dos shows no SESC Belenzinho e conseguiram ingressos pelo preço justo - o mesmo vendido anteriormente nas bilheterias do espaço -, também vi pessoas desesperadas atrás de um ingresso para conseguir ver o show e nem sei elas entraram. Deve ser muito foda ficar do lado de fora olhando lá pra dentro, pelo vidro, e vendo que tem espaço de sobra pra pelo menos o dobro do público que estava por lá, pense numa sacanagem. Para quem entrou, lógico que estava ótimo e confortável ver a apresentação de perto e sem aperto algum, mas pensem em quem perdeu os shows.


EITS - DIA 1


Sobre as duas apresentações do quarteto texano na comedoria do SESC: foram nove músicas em cada dia, tendo mudado ordem e repertório em cada um dos dias de apresentação. No primeiro, tocaram “Yasmin The Light”, “The Moon Is Down” e “Six Days At The Bottom Of The Ocean”. No segundo, “First Breath After Coma”, “Memorial” e “Your Hand In Mine”. Completando o setlist, em ambos os shows pude ouvir: “Catastrophe And The Cure”, “Postcard From 1952”, “The Birth And Death Of The Day”, “Greet Death”, “Let Me Back In” e a fodástica “The Only Moment We Were Alone”, que abriu o primeiro dia e fechou o magistralmente o segundo.


O que diferenciou as apresentações do grupo em cada um dos dias, além das músicas tocadas, parece ter sido a presença de espírito dos integrantes da banda. Se no primeiro dia foram notados alguns problemas técnicos em algumas faixas e no som, além de músicos mais travados e apreensivos no palco, no segundo dia vimos uma banda bem mais à vontade, despojada e com vontade de fazer barulho (independente de tocar os acordes certos ou não), o que talvez explique as músicas escolhidas em cada um dos dias. Munaf Rayani, responsável por ser a voz da banda no palco, demonstrou emoção em ambos os dias, seja falando em português bastante compreensivo, seja tocando de sua maneira peculiar e já conhecida pelos fãs do grupo.


O que posso dizer é que os anos de espera valeram a pena. Tudo o que todos esperavam presenciar nos shows do Explosions In The Sky foi visto e seguido à risca. Seja a emoção nas músicas e nos integrantes, a explosão sonora, a construção de um ambiente sonoro perfeito, um público atento e até muito educado (em alguns momentos houveram pedidos de silêncio por parte da plateia, mas a grande maioria que presenciou os dois dias de shows estava bastante atenta). Pra quem não teve a sorte de conseguir ingresso e ver o grupo ao vivo como eu fiz (e agradeço a Mariana por isso), segue a apresentação dos caras no primeiro dia em São Paulo, dividida em duas partes e postada no Youtube.





Também fiz alguns vídeos toscos (veja aqui), deste que provavelmente será um dos melhores shows do ano no Brasil (e pra mim, que moro no Recife, difícil ver alguma coisa melhor por aqui ainda nesse ano!). Espero que o grupo não demore pra voltar ao Brasil e que todos possam passar pela experiência incrível que é ver a banda ao vivo.

Você também pode gostar

1 comentários

  1. Olá, boa resenha da passagem da banda aqui no Brasil, confesso que já escuto esta banda à um ano, porém nunca fui de pesquisar muitas músicas deles até agora, depois de eu aprender a intro de "Postcard From 1952" na guitarra que me despertou a vontade de aprender outras músicas, melhor dizendo, agora conhecer todas as músicas desta banda incrível, obrigado pela postagem e gostaria de ver os vídeos do show, aqui aparece como vídeo privado. Obrigado mais uma vez.

    ResponderExcluir