"Ensaio rápido sobre a pressa paulistana"

por - 15:21

rubinho


Paulista adora dizer que está com pressa sem estar. É mania, relaxem. Eu mesmo adoro falar isso quando me pedem pra responder aquela pesquisa ou pra assinar aquela petição. Aliás, engraçado como os abaixo assinados são a forma mais burocrática de protesto que se utilizam, não? Claro que um molotov chama atenção, mas apesar de não achar a melhor forma de se mostrar o que se tem a dizer, não acredito que o extremo inverso tenha um efeito diferente dele. E todo mundo parece amar fazer abaixo-assinados! Porque um punhado de assinaturas com certeza expressa a aderência de uma galerinha a uma causa, não? Principalmente nos dias de hoje, onde a subjetividade de sua opinião é tão respeitada e quase nunca dá pra ser forjada ou manobrada de forma que sua efetividade seja mantida.



Revoltas à parte, estive pensando o quanto essa coisa da pressa está ligada diretamente à competitividade. Ser o mais rápido, em muitas situações, acaba sendo sinal de que é melhor que os outros. Já assistiu a uma corrida antes? É bem essa a lógica. Por isso riem tanto do Rubinho Barrichello, afinal de contas, um corredor que corre é diferente de um corredor que corre mais rápido que todos os outros. Apesar de só conhecer São Paulo e uma pequena parte do nordeste, a Bahia especificamente, não consigo ser o antropólogo do amor e categorizar essa característica somente ao povo apressado daqui mesmo, porém, esta observação se mostra bem adequada. É difícil concordar comigo mesmo, mas neste ponto dou meu próprio braço a torcer. Como diria Edgard Allan Poe, nunca venceremos as batalhas que travamos com nós mesmos.



Em época de politicagem, essa onda se mostra claramente. “São Paulo, locomotiva do Brasil”, eles dizem. Velocidade é um atributo qualitativo engraçado em alguns momentos, como quando a internet está lenta ou quando você se atrasa pra ir a um lugar. Chegar rápido é mais importante que chegar. Mas como a “locomotiva do Brasil” encara esta visão de maneira tranquila, muitos gostam deste título. Até porque, um trem é a coisa mais moderna e veloz que temos atualmente, pensando em tecnologia. São sujos, carregam qualquer coisa e necessitam de vinte mil homens pra que possa ter os trilhos pra caminhar e que, mesmo quando prontos, ainda precisam de uma galerinha pra manter funcionando. Bem, o termo se encaixa mais adequadamente por outros motivos que pela rapidez propriamente dita.



Apesar de tudo, ainda tenho pressa. Não de sair daqui ou de deixar todo mundo para trás, mas de fazer o que tenho que fazer. O tempo passa e não sei quanto dele ainda tenho. Paulista é tudo apressado mesmo, mas nem sempre por alguma razão. Cara, talvez até sejamos apressados sem notar, o que é preocupante, mas é assim que somos. Cabe até parar e pensar, ou melhor, correr e pensar sobre isso, mas é coisa quase impossível de se fazer. Taí outro motivo pelo qual sinto que o paulista não pensa tanto quanto deveria. Sou paulista e admito não me ligar naquilo que realmente importa, na maioria das vezes. E por que? Não sei, tô meio com pressa agora. Depois penso nisso.


papaleguas lol

Você também pode gostar

0 comentários