#TerçaGringa: Les Claypool e o peso da Sausage

por - 11:05

CHICAGO - JULY 23:  Les Claypool of Primus performs at Lollapalooza on July 23, 2005 in Chicago, Illinois.  (Photo by Justin D. Renney/Getty Images)


Tem bandas que são muito fodas, né? Melhor ainda é quando essas bandas possuem uma personalidade forte que toca mais de uma banda com maestria. Poucos conseguem ser sempre excelentes no que fazem e um deles é Leslie Claypool, ou Les Claypool, ou o baixista do Primus. Ele tem tantas bandas sensacionais que é até difícil acompanhar. Três bandas dele conseguem superar o nível de alternatividade excêntrica de Claypool e realmente te fazem querer ouvir de fato o que a banda tem a oferecer: Colonel Claypool’s Frog Brigade, Colonel Claypool’s Bucket of Bernie Brains e, claro, a banda da terça gringa, Sausage.


Quem diria que uma banda com o nome de Sausage seria algo muito melhor do que uma salsicha. Nunca fui fã de carne, mas ainda assim, ouvir esta junção de Claypool com sua turma é um show a parte. A banda até se parece com Primus, mas esta é diferente pela pegada mais agressiva, dando vazão a um funk metal um pouco mais aparente que os experimentalismos da original banda de Claypool. Não pense que ele não faz suas experiências no Sausage, aliás, ele faz e muito, mas estes não se limitam em seus trabalhos baixísticos. Há um peso relativamente diferente na banda, dando um tom mais escuro, soturno, triste as músicas e, por consequência, no disco como um todo.


Infelizmente o Sausage acabou em 1996, depois que o Primus voltou a ser o foco de Les Claypool, mas não por isso deixamos de ter esperanças de que um dia esta maravilha de banda que é o Sausage volte. Além de um som excelente, o Sausage tinha a mania de se apresentar fantasiados de leiteiro, de amebas e até mesmo de penguins, costume este que foi adotado posteriormente nas apresentações do próprio Primus. Riddles Are Abound Tonight é o nome de seu disco mais conhecido, e o único que importa realmente no fim das contas e que pode ser baixado em nosso tumblr.




 

Tumblr

Você também pode gostar

0 comentários