Conheçam o projeto Live In Acapulco e deixem de ser preguiçosos

por - 14:08

LIA CINZA

Essa é pra você que fica aí procrastinando na internet e não faz nada de útil ou legal nessa vida. Pra você que tem banda e fica reclamando que não tem lugar pra tocar, nem espaço pra divulgar seu som. Pra você que acha complicado ter um “trabalho sério” e fazer música, ainda mais se ela for experimental. Eu tava pensando no que postar aqui essa semana, meio que enrolando, quando bato de frente com uma parada bem legal, o projeto Live In Acapulco.


A princípio pensei que se tratava “apenas” de um espaço para publicar streaming de bootlegs na internet. Fui falar com o idealizador e dono da parada, Rodrigo Florentino, pensando em descolar áudios para postar no Hominis Canidae nas quartas-feiras. Conheci Rodrigo pela internet, quando ele fez contato comigo para disponibilizar o seu projeto eletrônico e experimental NOX30 para download (hoje em dia ele também é integrante do projeto Luhm) e recentemente trombei o camarada pessoalmente, quando fui a São Paulo assistir os shows do Explosions In The Sky.


Segundo a fanpage do projeto, Live In Acapulco é uma vitrine de música não-convencional. Acapulco é o nome da república onde Rodrigo mora com uns amigos em Sorocaba, o primeiro evento foi feito por lá, mas os vizinhos não curtiram muito a ideia. Desde então, o "festival" acontece mensalmente em espaços culturais espalhados por Sorocaba, mas mantendo o espírito da casa inicial. Ele começou com a ideia de fazer um "festival" com shows de bandas que tivessem um som sincero e que ele gostasse, além de ter um estilo pouco conhecido e de difícil acesso para o público sorocabano.


Live In Acapulco


No primeiro evento ele teve a sacada de fazer registros em vídeos, mas depois de algum tempo resolveu começar a gravar o áudio dos shows e disponibilizar online. Quando você entra no site, além de clipes e sons, há também uma pá de foto. O que surpreende realmente é que no início tudo era feito apenas pelo Rodrigo. É isso mesmo, ele captava o áudio no computador, fazia vídeos de alguns momentos do show (decupava e editava) e ainda tirava algumas fotos do evento.


Tudo nasceu da necessidade de ter um movimento ou espaço para pensar música experimental na cena sorocabana. Hoje em dia, ele já conta com apoio da Margem Sonorização para o som das bandas, além de espaços como o Rasgada Coletivo e o Urban Arts e um bom numero de pessoas comparecendo. Já rolam camisetas silkadas do L.I.A para vender durante os eventos e foram disponibilizados áudios dos shows de bandas como o duo paulistano NATIONAL e o projeto canadense Thisquietarmy (falamos dele numa #terçagringa), e segundo Rodrigo, ainda tem muito por vir, pois ideias não faltam.


Veja o último vídeo disponibilizado do LIA de março e larguem de ser preguiçosos...


Você também pode gostar

0 comentários